Devo vender os meus investimentos?

Os mercados estão em frenesim e alguns investidores começam a perguntar-se se estará na hora de vender os seus investimentos. Veja aqui alguns pontos de reflexão.

Devo vender os meus investimentos?
Devo vender? Devo comprar mais?

Os mercados financeiros têm consistentemente os valores máximos de sempre. O Banco Central Europeu está a suportar a valorização dos principais ativos. Tanto as ações como as obrigações estão a ficar cada vez mais caras. Com base neste cenário, é natural que se questione se é tempo de vender os seus investimentos. Deixamos-lhe alguns pontos de reflexão e dicas que certamente irão ajudar a responder a essa questão.


Quem não arrisca...

Se quiser ganhar dinheiro nos seus investimentos é certo que tem de assumir riscos. Não queremos com isto dizer que devemos ser demasiado gananciosos e não ter os pés na terra. Visto que os ativos sem risco (ou com pouco risco) estão a proporcionar retornos muito reduzidos os investidores estão a ser levados a tomar mais risco... caso contrário, terão de se contentar com retornos perto de zero!


Reforce a diversificação da sua carteira:

A valorização das ações tem aumentado bastante o peso desta classe de ativos na carteira da generalidade dos investidores. Deste modo a sua carteira poderá ter ficado desequilibrada pelo que deverá analisar a diversificação que tem e compará-la com os níveis que o deixam confortável.

Poderá ter de vender parte das suas ações (mesmo que esteja a ganhar muito dinheiro) e comprar ativos menos arriscados. Ou poderá analisar a lógica do investimento noutros ativos, geografias e moedas. O fundamental é evitar concentrar demasiado os seus riscos pois em situação de queda do mercado o potencial de perda é muito elevado.


FIQUE ATENTO:
Se quer receber mais notícias gratuitas como esta, basta registar-se no E-Konomista. Toda a informação sobre negócios e investimentos actualizada ao minuto.

Olhe para a sua dívida

Muitos investidores ignoram o peso do seu endividamento e dos custos financeiros. Optam por investir o seu dinheiro em produtos com risco e desconsideram o potencial do desendividamento. Saiba que reduzir as suas dívidas é um investimento:
  • Sem risco;
  • Com elevado potencial de retorno;
  • Não paga imposto.
Em momentos de máximos nos mercados pode ser prudente reduzir as suas dívidas nos contratos com taxas de juro fixas e nos contratos com taxas elevadas (acima de 7%-8%).


Acompanhe os mercados mais de perto:

Uma última ideia fundamental em momentos em que os mercados estão nos seus valores máximos passa pela necessidade de acompanhar um pouco mais de perto as evoluções dos mercados. De notar, contudo, que isto não implica estar sempre a olhar para o mercado e para os jornais económicos pois se o fizer irá estar muito vulnerável às decisões com base na emoção (o que é bastante perigoso no mundo dos investimentos).

Ganhar dinheiro é muito bom. É bom ter elevados níveis de retorno. No entanto, ditam as regras da prudência que deveremos ser cautelosos e perceber quando é que um ganho é suficiente. Nunca perca de vista os seus objetivos e não se esqueça que investir implica ter uma visão de futuro assente em sólidos hábitos de poupança. Em última análise, são os ativos de risco que proporcionam melhores níveis de retorno em prazos mais alargados.


Veja também: