PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

O ABC da diabetes gestacional

A diabetes gestacional ocorre quando o corpo não produz a quantidade suficiente de insulina para as exigências da gravidez.

O ABC da diabetes gestacional
Cuide da sua saúde e do seu bebé!

A diabetes gestacional ocorre apenas durante a gravidez, podendo aparecer em qualquer fase da gestação. No entanto, é mais comum que o seu diagnóstico surja na segunda metade. Após o parto, este problema volta, normalmente, a desaparecer.

Surge quando o organismo não consegue produzir a quantidade suficiente de insulina para atender às exigências da gravidez. Sabia que cerca de 5% das grávidas sofre de diabetes gestacional? 

 

Causas da diabetes gestacional

Não existem propriamente "causas" da diabetes gestacional. O que existe são determinados grupos mais propensos a desenvolver este problema:

  • ​Pessoas com excesso de peso, que apresentem um índice de massa corporal superior a 30 (IMC);
  • Pessoas que tenham passado por um parto anterior de um bebé com peso superior a 4,5 kg;
  • Quem já tiver sofrido de diabetes gestacional numa gravidez anterior; 
  • Quem tiver histórico de diabetes (pai, irmão, irmã ou avós);
  • Pessoas originárias do sul da Ásia, Caribe ou Médio Oriente.
Quem tem diabetes gestacional, desenvolve duas vezes mais probabilidade de sofrer de diabetes tipo 2 mais tarde.


Aposte na prevenção

Mais do que controlar a diabetes gestacional, é importante apostar na prevenção! Assim, antes de engravidar, pense seriamente em manter um peso saudável, pois durante a gravidez a perda de peso ativo náo é recomendável, uma vez que pode comprometer a saúde da mãe e do bebé.

Aposte na prátia de uma atividade física regular, cerca de 30 minutos de atividade moderada já é suficiente! Além de melhorar os níveis de glicose, vai fazê-la sentir-se melhor.

 

Como sei se tenho diabetes gestacional?

O diagnóstico da diabetes gestacional é feito em duas fases distintas:

  1. Na consulta de vigilância pré-natal, onde se faz um exame à glicémia plasmática;
  2. Entre as 24 e 28 semanas de gravidez, onde é feita uma Prova de Tolerância à Glicose Oral (PTGO).


A Prova de Tolerância à Glicose Oral, realizada às 24-28 semanas de gestação, consiste na toma de um "sumo" que tem uma sobrecarga de 75 g de glicose. A grávida mede os níveis de glicose antes de tomar o líquido e depois novamente passado 1 hora e passadas 2 horas. O diagnóstico é depois realizado de acordo com um quadro com valores de referência:

  • Hora 0 - Glicémia plasmática tem de ser inferior a 92 mg/dl
  • Hora 1 - Glicémia plasmática tem de ser inferior a 180 mg/dl
  • Hora 2 - Glicémia plasmática tem de ser inferior a 153 mg/dl


Se os resultados forem todos inferiores aos valores de referência descritos no quadro, então pode descansar, não sofre de diabetes gestacional. Caso os valores estejam mais altos, terá de ver junto do seu médico a melhor forma de controlar este problema durante a gestação (pode ou não necessitar de injetar insulina). 

De acordo com uma série de recomendações da Direção Geral da Saúde (D.G.S.), todas as grávidas que sofram de diabetes gestacional devem fazer uma nova prova cerca de 6 a 8 semanas após o parto para confirmar que já não sofrem de diabetes.

 

Alimentação durante a diabetes gestacional

Acima de tudo, é essencial manter uma dieta equilibrada. O primeiro passo é o de fazer refeições com intervalos regulares (3 refeições por dia e duas ou três pequenas refeições), de forma a evitar flutuações excessivas das glicémias. Saltar refeições é absolutamente proibido, mas o petiscar em excesso também não é recomendado.

Aqui ficam algumas sugestões:

  • Prefira os hidratos de carbono complexos (cereais, leguminosas, arroz e massa integrais, aveia….) aos açúcares simples (bolos, açúcar, compotas, bebidas açucaradas, doces, entre outros);
  • Alimentos como o pão branco, batatas, arroz branco e bolos aumentam muito rapidamente a produção de insulina. Evite-os! Prefira alimentos com baixo índice glicémico como a massa e arroz integral, quinoa, etc.
  • Consuma fruta e vegetais verdes suficientes, para beneficiar do seu alto conteúdo em fibra, o que ajudará a regular a absorção de hidratos de carbono. No entanto, uma nota importante: não coma mais de duas peças de fruta por dia, ela também tem frutose (o açúcar da fruta);
  • Ingira alimentos ricos em proteína em cada refeição;
  • Evite alimentos ricos em gordura como enchidos, bolos e queijos.


Caso ainda tenha algumas dúvidas, faça uma visita a um nutricionista para elaborarem em conjunto um plano alimentar regrado e equilibrado.


Veja também: