12 dicas de viagem às Maldivas para umas férias perfeitas

Antes de partir para este destino de sonho, confira estas dicas de viagem. Uma dúzia de informações úteis para que goze umas férias inesquecíveis nas Maldivas.

12 dicas de viagem às Maldivas para umas férias perfeitas
Um destino a visitar pelo menos uma vez na vida

É difícil encontrar um destino de férias paradisíaco mais próximo da perfeição. As Maldivas reúnem tudo aquilo a que associamos ao verdadeiro descanso e ao romantismo de umas férias vividas a dois. Neste artigo, reunimos 12 dicas de viagem às Maldivas para que possa usufruir de dias inesquecíveis.

Porque nem sempre as coisas correm de forma tão sublime como as fotografias fabulosas deste arquipélago podem fazer parecer, há que estar preparado para uma cultura diferente e algumas contrariedades. Mas não se preocupe: as qualidades das Maldivas são tantas e tão acentuadas, que superam todo e qualquer aspeto menos positivo.

12 informações úteis para quem quer ir às Maldivas

Cada resort ocupa uma ilha

Ilha-resort nas Maldivas

As Maldivas são compostas por cerca de 1200 ilhas de origem vulcânica e reduzidas dimensões, espalhadas pelas águas azul-turquesa do Oceano Índico, um pouco abaixo do Sri Lanka e da Índia. Destas apenas cerca de 200 são habitadas, existindo ainda cerca de 100 que foram convertidas em resorts de férias.

Cada ilha dedicada ao turismo é ocupada por apenas um hotel. Assim, escolher a ilha é escolher o resort onde quer ficar. As ilhas estão agrupadas em atóis, que se encontram a diferentes distâncias da capital, Malé.

Nem todos os resorts são iguais

Maldivas Resort

Há resorts para todos os tipos de hóspedes. Ainda que este seja um destino muito procurado por casais, nomeadamente em lua de mel, há hotéis onde famílias e grupos de amigos, que vão especificamente para mergulhar, por exemplo, são bem-vindos.

Há resorts de luxo, com bungalows sobre a água, onde terá sempre um funcionário às suas ordens e há resorts mais modestos que lhe oferecem igualmente conforto e uma paisagem de sonho. Escusado será dizer que os preços variam de acordo com a dimensão do resort e o nível de serviço.

É possível ficar alojado em ilhas habitadas

Maafushi

Demorou muito tempo para que as Maldivas se mostrassem recetivas aos turistas de mochila às costa e alheados do luxo. Até há bem pouco tempo só era possível ficar alojado nos resorts e não havia oferta hoteleira nas ilhas habitadas por locais.

Recentemente, no entanto, foram concedidas licenças para abrir pensões e pequenos hotéis nas ilhas habitadas, sendo possível, desta forma, interagir de uma forma mais genuína com a cultura local.

Pode ter que esperar várias horas pelo hidroavião

Hidroavião, Maldivas

Se o seu transfer do aeroporto para o resort for feito de hidroavião – mais caro do que de barco, mas altamente aconselhável, pela experiência única de sobrevoar as ilhas de perto – e se chegar a Malé ao fim do dia, terá de esperar pelo amanhecer pelo táxi aéreo, pois os hidroaviões só operam com a luz do dia.

Muitas vezes o mesmo hidroavião para em vários resorts para apanhar turistas, por isso, também na viagem de regresso poderá ter de apanhar um hidroavião com muitas horas de antecedência relativamente ao seu voo.

Não está sempre sol

Céu nublado nas Maldivas

O clima das Maldivas é tropical, influenciado pela linha do Equador. É quente e húmido ao longo de todo o ano, com algumas alterações de acordo com as duas grandes estações em que se divide o ano: monção de verão e monção de inverno. A chuva pode aparecer a qualquer altura, ainda que seja menos provável que aconteça de dezembro a fevereiro, a época alta da região.

De maio a novembro há mais dias com aguaceiros e algumas trovoadas, com o mar a ficar mais agitado por algumas horas. No entanto, por norma, estes períodos são curtos e não estragam as férias.

É preciso reserva de alojamento para entrar no país

Naladhu Resort, Maldivas

Não se pode entrar no país sem a prova de que se tem reserva num hotel. Se por acaso alguém entrar sem essa documentação é encaminhado para os operadores turísticos do aeroporto para o fazer. O visto turístico de 30 dias é obrigatório e gratuito, sendo passado à chegada ao aeroporto local. Deve ser mostrado na viagem de regresso.

Vá às Maldivas com a TopAtlântico! Consulte os preços dos programas de férias aqui.

O regime de tudo incluído pode compensar

Restaurante em resort das Maldivas

A comida e as refeições em geral são caras nas Maldivas. As ilhas, devido às especificidades do seu solo, quase não têm agricultura, a não ser o cultivo de alguns frutos. Isto significa que à exceção do peixe e da fruta, é tudo importado, o que se reflete nos preços.

Este facto, conjugado com o facto de cada ilha turística acolher nada mais do que um hotel, faz com que as refeições tenham mesmo de ser feitas no resort (à exceção de alguma viagem de barco e/ou visita que possa fazer). Assim, informe-se sobre os regimes disponíveis e veja se a pensão completa ou até o tudo incluído é o mais vantajoso para si.

A água da torneira não é boa para beber

água engarrafada

A água potável das Maldivas é água do mar tratada e dessalinizada. Este processo faz com que perca minerais e nutrientes essenciais, para além de poder causar estranheza nos nossos estômagos ocidentais. Assim, beba apenas água engarrafada. No entanto, não se preocupe: o facto de escovar os dentes com água da torneira ou comer fruta lavada com ela não lhe vai fazer mal.

É um país muçulmano

País islâmico

A população das Maldivas é 100% islâmica. Isto significa que é um país conservador, onde é necessário respeitar com rigor as suas leis e tradições. O álcool e a carne de porco são proibidos por lei e produtos que os contenham serão confiscados no aeroporto, mesmo que tenham sido comprados numa loja de aeroporto duty free. No entanto, nos resorts, há bares com bebidas alcoólicas e poderá acompanhar a sua refeição com vinho ou cerveja.

A nudez e o topless são igualmente proibidos e, fora dos resorts, as mulheres devem apresentar-se com os ombros e as coxas tapadas. Os atos de carinho públicos, como abraçar-se e beijar-se, são vistos como ofensivos.

Não é obrigatório dar gorjeta

gorjetas

Nas Maldivas, a generalidade dos serviços já inclui uma percentagem para gratificação dos funcionários. Assim, não é expectável que se lhes ofereça gorjeta. No entanto, nos hotéis, e uma vez que nunca se tem a certeza se serão os funcionários a receber aquele valor, é comum pagar 1 dólar por cada mala transportada ou 2 dólares se a mesma for bastante pesada. Todas as outras gratificações ficam ao seu critério.

Já agora, saiba que a moeda oficial das Maldivas é a Rupia Maldiva (MVR). À data deste artigo, 1 Euro equivalia a 18 MVR. Mas não precisa de levar dinheiro local consigo: os dólares e os euros são aceites de forma generalizada. Em todo o caso, é prático e seguro levar um cartão de crédito.

Pode ser difícil conseguir medicamentos

kit SOS

É bom que leve consigo um kit com medicamentos básicos como um analgésico, um antipirético, um anti-histamínico, um anti-inflamatório e um antibiótico, ainda que este último deva ser tomado apenas mediante indicação médica.

Se toma medicação regular, leve-a em quantidade suficiente para os dias de férias e acompanhada da prescrição médica, para o caso de haver algum percalço ou de lhe fazerem perguntas no aeroporto. Muitos resorts têm médico disponível, no entanto pode haver medicamentos difíceis de arranjar rapidamente.

Não há wi-fi em todas as ilhas

wi-fi nas Maldivas

Por fim, nesta lista de dicas e informações sobre as Maldivas, falamos-lhe de internet.  Quando pensamos em viajar até às Maldivas, a última coisa com que estamos preocupados é se ali haverá ou não wi-fi. No entanto, pode ser que por motivos pessoais ou profissionais tenha de estar ligado à internet. Antes de fazer a sua reserva informe-se sobre a disponibilidade e o eventual custo deste serviço.

Este destino paradisíaco está à sua espera! Reserve o seu lugar nos programas de férias nas Maldivas TopAtlântico >>

Veja também: