Dicas para fazer o exame de condução

A aproximação da data do exame de condução pode provocar alguma ansiedade mas nós temos as dicas certas para o ajudar a ultrapassar este desafio.

Dicas para fazer o exame de condução
O truque é manter a calma.

O exame de condução é a primeira prova de fogo do início da vida adulta. Depois de 18 anos, debaixo das asas dos pais, este é o primeiro momento em que nos vemos sozinhos, na “vida real”, naquele que pode ser o primeiro bilhete para a independência. Só isto, já seria suficiente para provocar alguma ansiedade. 

Os amigos e a família, já encartados, ainda que sem perceberem, impõem alguma pressão nesta prova. Como se passar no exame de condução fosse tão simples quanto respirar e que aqueles que não o conseguem, só podem ter alguma incapacidade crónica. 

É, precisamente, esta pressão escondida, o peso do custo de repetir o exame, a facilidade com todos o apresentam e as inúmeras histórias de terror, sobre exames passados, que todos fazem questão de contar, que podem mexer com os nervos e complicar a prova.  É por isso que hoje trazemos dicas preciosas para ajudar a passar este desafio.
 

7 Dicas para um exame de condução sem sobressaltos

 

1. Cada coisa, a seu tempo

A nossa primeira dica começa muito antes do exame ou das aulas de condução. É tentador começar a aprender a conduzir, com os pais ou amigos, ainda antes da inscrição numa escola de condução. Não faça isso. Esse avanço pode revelar-se prejudicial porque, das duas uma, fica com excesso de confiança (que não é boa conselheira!) ou é muito possível que fique com um ou outro mau vício.

 

2. Prepare-se para as perguntas

Antes do exame prático de condução, o avaliador vai fazer-lhe algumas perguntas de mecânica para as quais é importante estar preparado. No entanto, tenha presente o seguinte: estas questões não contam para a avaliação, por isso, se não souber alguma resposta, não deixe que os nervos se apoderem de si. Espere perguntas como: para que serve a bateria ou a quantas rotações deve mudar de velocidade.

 

3. Antes de arrancar

Não se apresse, leve o tempo que for preciso para se preparar para conduzir em segurança, com confiança e confortável. Há detalhes a ter em conta, nomeadamente, ajustar o banco e os espelhos, colocar o cinto de segurança, colocar-se na posição correta, com as duas mãos no volante, e arrancar ao sinal do avaliador.

 

4. Controle a ansiedade

Se o seu coração estiver a mil, descanse porque isso é normal. Se não estivesse minimamente ansioso é que seria de estranhar. O medo é bom para nos deixar alerta e o truque é não se deixar dominar. Procure respirar com calma, conduza devagar, leve o seu tempo para cada manobra (isto não é uma corrida!) e afaste qualquer pensamento louco que surja! Parecem conselhos muito esotéricos mas, acredite, funcionam.

 

5. Conheça o exame de condução

O exame de condução é feito na rua, claro, mas esses trajetos já estão definidos, portanto, o seu instrutor saberá quais são as várias hipóteses que lhe podem calhar. Normalmente, pelo menos, no dia anterior ao exame fará esse caminho. Contudo, se souber com antecedência, pode pedir a um  amigo ou familiar que faça o percurso consigo para se familiarizar com a zona (com a outra pessoa ao volante, claro!).

 

6. Manobras e conceitos importantes

A não ser que lhe calhe um avaliador com muita pressa ou muito pouco exigente, há manobras e conceitos que tem que conseguir dominar na perfeição. Se não se sentir seguro em algum deles, peça mais aulas ao seu instrutor, não só para passar no exame de condução mas para estar preparado no futuro. Deve conseguir: 
  • Inversão do sentido da marcha com recurso a marcha atrás
  • Contorno de obstáculo em marcha atrás
  • Arranque em rampa com inclinação
  • Cumprir limites de velocidade
  • Estacionamento em espinha
  • Circulação em cruzamentos, entroncamentos e rotundas
  • Cedências de passagem 
  • Mudança de direção correta 
  • Inversão do sentido da marcha
  • Mudança de fila de trânsito e pré-seleção das vidas de trânsito
 

7. Mantenha a calma

Se tiver o azar de encontrar um avaliador pouco paciente, mauzinho e que parece estar a fazer de tudo para o enervar e prejudicar o seu exame, não caia no erro de responder às provocações. Infelizmente, é verdade que isto ainda acontece. Limite-se a seguir as instruções e esteja atento a eventuais rasteiras (como virar para ruas com sinal proibido). Guarde as respostas e os eventuais insultos num cantinho da sua mente e lembre-se: depois de terminar o exame, nunca mais vai ter que ver essa pessoa, para quê comprar uma guerra?

Boa sorte!


Veja também: