10 dicas para escolher a universidade

Está a preparar-se para o ensino superior, mas ainda tem dúvidas sobre este grande passo? Veja as nossas dicas para escolher a universidade e acerte na aposta.

10 dicas para escolher a universidade
É tão importante quanto a opção de curso

Está a preparar-se para a faculdade, mas ainda tem dúvidas em relação à instituição que deve escolher? Fique atento a este artigo e descubra como tornar mais fácil o processo de seleção das suas opções. Temos 10 dicas para escolher a universidade e, acredite, este passo é tão importante quanto a escolha do curso.

Para a maior parte dos portugueses, finalizar a escola já não é sinônimo de encerrar os estudos. Se ingressar num curso de educação superior é a sua meta, vai gostar de saber que há formas de facilitar a escolha da universidade e assegurar as ferramentas necessárias ao sucesso nesta nova fase da vida académica.

10 Dicas para escolher a universidade

dicas-para-escolher-a-universidade

1. Pesquise

Para começar, o primeiro passo a dar é pesquisar, o máximo que conseguir, sobre as universidades disponíveis para si. Procure por diferentes opções e pesquise sobre cada uma delas. Invista na internet para ajudar, mas não deixe de visitar as instituições, sempre que possível. Recolha impressos, procure por fóruns de alunos e encontre opiniões acerca das suas opções.

Não fique só pelos rankings divulgados e lembre-se que a universidade deve ir de encontro aos seus objetivos académicos, pessoais e, também, sociais.

2. Amplie a sua pesquisa

Não selecione uma ou duas universidades. Vá além e veja diversas escolas. Amplie a sua pesquisa e não fique pela proximidade geográfica. Procure por instituições de todo o país – e até internacionais. Crie um grande leque de opções e descubra todas as suas possibilidades.

Uma pesquisa acertada é sempre aquela que somou mais dados para comparação e, para além disso, inscrever-se em apenas uma ou duas instituições é um passo arriscado. Lembre-se: entrar na universidade pode ser difícil e quanto maior for o seu número de opções, mais provável será a sua entrada numa instituição.

3. Considere a localização (e não esteja preso à sua zona de conforto)

dicas-para-escolher-a-universidade

Pare e reflita: onde gostaria de estudar? Imagine que este será o seu local de residência por alguns anos e analise os diferentes sítios. Escolha um lugar onde se sinta bem – e não importa se é numa grande cidade, numa zona interior, perto de casa ou noutro país. Opte por uma localização que lhe dê, também, ferramentas para ser feliz.

Outro fator importante é observar que o local da universidade pode ser importante para a sua educação. Se o programa de ensino superior que escolheu pode oferecer muitos estágios, o ideal é escolher uma universidade localizada numa zona onde tenha a oferta destas experiências. Um exemplo disso é o curso de medicina, que, idealmente, deve ser feito numa zona próxima a hospitais. No caso dos cursos ligados à área dos negócios, é importante perceber que as grandes cidades vão ter mais oferta de estágios e trabalho.

4. Pesquise sobre os recursos disponíveis aos alunos

Analise toda a infraestrutura da universidade e enumere os recursos disponíveis aos alunos. Nesta fase da vida académica, todos os recursos adicionais poderão ser úteis e, portanto, devem estar debaixo de olho durante a escolha da universidade. Veja se a instituição oferece material de apoio, recursos tecnológicos e todas as ferramentas necessárias à evolução da aprendizagem na carreira que escolheu. Estar perto de determinados recursos vai permitir que o aluno esteja familiarizado com as mais diversas realidades da sua profissão.

Também é importante perceber que algumas universidades oferecem outras vantagens que podem facilitar a sua vida e dia a dia, como, por exemplo, acesso a planos de saúde, variadas opções de alojamento, hospitais, centros desportivos, teatro, bibliotecas específicas e, até, variedade nas refeições da cantina. Procure pelas vantagens de cada instituição e escolha a que melhor se adapta a si a as suas necessidades pessoais.

5. Encontre “guias”

Depois de considerar os programas, tente uma aproximação com profissionais ligados ao departamento onde pretende estudar. Converse com eles, procure saber mais sobre o seu curso e sobre as ofertas da universidade, e descubra se encontrou o local ideal e as pessoas com quem quer aprender durante os próximos anos. Que tal pedir para assistir a uma aula?

6. Fale com pessoas de confiança

Consulte a opinião de pessoas da sua confiança. Converse a respeito das suas opções com familiares e amigos, e, se for preciso, procure mesmo o apoio de um conselheiro vocacional.  Peça ajuda e escute as opiniões exteriores. Às vezes, observar a situação através dos olhos de outras pessoas pode ser uma excelente estratégia para encontrar pormenores importantes que estavam a escapar.

7. Seja realista nas suas escolhas

Sim, ser realista nesta fase é uma importante dica para evitar a perda de tempo e a frustração indesejada. Tenha em mente que ingressar em determinadas universidades pode ser uma tarefa difícil, por isso, amplie o seu leque de opções e não alimente expetativas exageradas. Ainda que determinada universidade seja o seu sonho académico, é possível que a sonhada vaga não seja sua.

Encare o desafio e entenda que este processo não precisa de ser a definição da sua vida profissional. É possível entrar noutro programa da sua lista de opções e, mais tarde, pedir uma transferência para um programa mais prestigiado, por exemplo.

8. Considere bem aquilo que deseja estudar

dicas-para-escolher-a-universidade

Esta deve ser a parte mais difícil, pois, basicamente, significa escolher aquilo que quer fazer pelo resto da vida. É claro que poderá sempre mudar de curso ou, após a conclusão de um programa, iniciar outro… Mas, é sempre bom quando acertamos na escolha à primeira, certo? Por isso, a escolha da universidade deve também levar em conta o programa que é a sua preferência.

Para os indecisos, uma boa aposta é escolher uma grande instituição que ofereça uma variada lista de especializações, por exemplo. Assim, vai poder conhecer diferentes contextos e isso pode ajudar a perceber aquilo que melhor se adapta aos seus objetivos.

9. Pesquise a reputação da universidade

Pesquise bastante sobre a reputação das universidades, em relação ao curso superior desejado por si. Esta escolha é importante para o seu currículo, uma vez que o mercado de trabalho pode privilegiar alunos formados por instituições reconhecidas para a área em questão. Esta escolha pode, portanto, tornar o seu currículo mais apetecível durante os processos seletivos para futuros empregos.

10. Considere os custos com a universidade

Por último, mas não menos importante, considere os custos que terá com a instituição. Pense a respeito da carga financeira que esta escolha pode significar e analise a sua disponibilidade para o efeito. Ainda que tenha acesso a empréstimos, por exemplo, há instituições mais caras que devem estar fora de cogitação. Lembre-se que esta fase da vida académica já será desafiante o suficiente e que deverá procurar vivê-la com o máximo de tranquilidade que conseguir.  Não esqueça ainda de verificar se tem direito a apoios, como as bolsas académicas.

Continua indeciso sobre a escolha que deve fazer? A verdade é que não está sozinho. Fique tranquilo, esqueça o pânico e siga as nossas dicas para escolher a universidade. O segredo é colocar em prática os conselhos que aqui apresentamos, reunir o máximo de informações e decidir-se de forma consciente. Este é o primeiro passo para acertar na escolha da instituição onde vai estudar.

Veja também: