25 dicas infalíveis para tornar a sua casa segura para crianças

A proteção de um filho é a principal missão da vida de quem é pai. Nesse sentido, recolhemos 25 dicas para que possa tornar a sua casa segura para crianças.

25 dicas infalíveis para tornar a sua casa segura para crianças
Das tomadas às cortinas, está tudo aqui.

Quem se torna pai percebe de imediato a importância de saber como tornar a casa segura para as crianças. De facto, apesar de defendermos que a intuição dos pais é uma das melhores ferramentas para a proteção dos filhos, sabemos também que existem mil e uma maneiras de uma criança se magoar dentro da própria casa. E os pequenos anjinhos conseguem descobri-las todas!

Não se preocupe: estamos aqui para o ajudar. Tendo presente que a maior parte dos acidentes envolvendo miúdos ocorre dentro do próprio lar, fizemos uma seleção de 25 dicas imprescindíveis para que consiga tornar a sua casa segura para crianças. Não hesite: aplique-as já e veja os seus níveis de stress e preocupação descer consideravelmente.

 

As dicas básicas de segurança

1. Utilize protetores para cantos e esquinas – se há um facto inquestionável na vida de uma criança é que esta vai cair e bater com a cabeça em qualquer lado; a única coisa que pode fazer é evitar que seja diretamente numa esquina agreste ou no canto mais afiado de uma peça de mobiliário;

2. Utilize bloqueadores, fechos ou trancas de segurança – a ideia é impossibilitar o acesso a armários, gavetas e quartos que tenham objetos e/ou produtos potencialmente perigosos, mas muito sedutores para a criança; ex.: facas, fósforos, medicamentos e produtos de limpeza;

3. Coloque imobilizadores ou travões em portas e gavetas – mesmo quando a criança pode aceder a determinados armários, convém que não entale os dedos na divertida brincadeira de abrir e fechar portas e gavetas;

4. Utilize protetores para tomadas – giro, giro é enfiar os dedos ou qualquer outro objeto nos buraquinhos da tomada... Evite um dos mais previsíveis e graves acidentes, recorrendo a protetores; e porque também é giro tentar engoli-los,  esses protetores devem ser bastante difíceis de retirar e, além disso, ter um bom tamanho. Dica extra: procure evitar fios elétricos expostos, recorrendo a calhas ou outro método de os juntar e esconder da vista dos mais pequenos;

5. Utilize imobilizadores ou batentes de segurança nas janelas (aplicável também a varandas e terraços) – parece haver poucas coisas mais sedutoras na vida de uma criança do que abrir e pendurar-se numa janela; não facilite: limite a abertura da janela a alguns centímetros ou impeça-a mesmo de abrir. Dica extra: afaste camas, mesas e outros de perto das janelas;
 
6. Utilize cancelas de segurança – para colocar no topo ou na base de escadas, evitando escaladas ou descidas sem supervisão; também podem ser usadas, por exemplo, na porta do quarto de uma criança mais velhinha, para impedir inusitadas viagens de exploração noturna;

7. Use fixações de parede ou chão em todo o mobiliário e eletrodomésticos passíveis de virar – as crianças gostam de trepar, subir e testar os seus limites das mais variadas formas; qualquer cómoda ou móvel de TV representa um incrível desafio... e também um sério risco. Se não estiverem fixos, esses objetos podem virar, tombando em cima da criança e causando graves lesões ou pior;

8. Dê preferência a cortinas e reposteiros sem fios/cordões – as crianças são mesmo imprevisíveis... e rápidas! Numa qualquer brincadeira podem enrolar os fios das cortinas no pescoço, correndo o risco de sufocar enquanto o Diabo esfrega um olho; uma alternativa é encurtar os ditos fios/cordões;

9. Preveja antiderrapantes em todos os tapetes – apesar de este conselho ser especialmente direcionado para os WCs, onde há maior probabilidade de escorregar e bater contra um sanitário em cerâmica, é válido e útil para qualquer divisão da casa;

10. Tenha especial atenção aos objetos que possam causar sufocamento – as crianças gostam de explorar o mundo que as rodeia, metendo à boca todo e qualquer objeto que lhes passe pelas mãos; para não correr riscos, guie-se pela seguinte regra: se couber no rolo de papel higiénico, é perigoso para a criança. Dica extra: nunca, mas nunca, deixe a criança ter acesso e muito menos brincar com sacos de plástico ou algo semelhante;

11. Afaste quaisquer plantas e flores do alcance do criança – para o caso de o pequeno gourmant conseguir mesmo aceder à iguaria, saiba o nome de cada espécie que tem em casa: a linha SOS (116 111) vai perguntar...

12. Retire as chaves das portas de todas as habitações da casa – esta é uma das dicas mais básicas para quem quer tornar a casa segura para crianças. De facto, mais cedo ou mais tarde, esta vai tentar usar as chaves e, provavelmente, vai conseguir. Resultado: uma criança em pânico, um par de pais histéricos e, mais do que provavelmente, uma porta arrombada.

  

Segurança na cozinha

13. Coloque sempre as frigideiras, tachos e panelas nos bicos mais afastados do fogão, tendo o cuidado de virar as pegas para a parede – o que se pretende é que as crianças não consigam alcançar estes objetos, por muito que se esforcem: não há muito pior do que ser atingido por água ou óleo a ferver!

14. Utilize trancas para o forno e tampas para o fogão – a ideia é evitar que as crianças se queimem quando os aparelhos estão ligados e que se habituem a mexer-lhes quando não estão;

15. Tenha especial atenção a todo o tipo de objetos cortantes – ainda que não pareça, as crianças chegam mesmo a todo o lado! Afaste tudo das bordas das bancadas e mantenha armários e gavetas bem fechados;

16. Cuidado com toalhas e qualquer outro pano em cima da mesa e/ou bancada – tem a nossa garantia que a criança vai puxar a toalha e tudo o que estiver em cima desta irá aterrar na sua cabeça. Nota: esta dica também é válida para a sala de jantar e qualquer outra habitação;

17.    Evite o uso de imãs no frigorífico – são muito giros, nós sabemos; o problema é que a criança também acha e, caso lhe consiga deitar as mãos, adivinhe onde irão parar... acertou: à sua boca.
 
 

Segurança no quarto de banho

18. Utilize reguladores de temperatura no chuveiro e restantes torneiras – um dos maiores divertimentos das crianças é abrir a torneira, colocando as mãos por baixo da água; com este aparelho evita queimaduras que podem ser mesmo graves. Nota: esta dica também pode e deve ser utilizada na cozinha, apesar de o acesso à banca, em princípio, não ser tão fácil;

19. Instale fechos de segurança no tampo da sanita – para segurança da criança - porque o perigo de afogamento, mesmo em pequenos volumes de água, é bem real - e do seu telemóvel novo;

20. Coloque todas as tampas dos sanitários fora do alcance da criança – o que se pretende é inviabilizar que esta consiga encher de água a banca, bidé ou banheira, pelas mesmas razões referidas no ponto anterior;

21. Coloque tapetes antiderrapantes na banheira ou poliban – não há nada mais escorregadio do que um bebé ou criança ensaboados.
 
 

Para os profissionais da segurança

22.  Recorra a um detetor de fumo, de preferência em cada uma das divisões da casa – ficaria espantado se descobrisse quantos pequenos pirómanos (acidentais ou não) caminham entre nós... Dica extra: pelo menos uma vez por ano, faça um pequeno exercício em que praticam os comportamentos a ter e passos a seguir em caso de incêndio;

23.  Recorra a um alarme de monóxido de carbono (CO) – estes devem ser instalados perto dos quartos de dormir. Porque nunca se está demasiado seguro;

24. Faça um curso de primeiros socorros - este investimento pode mesmo significar a diferença entre a vida a a morte. Recomendamos.

 
 

Dica extra!

25. Procure sempre produtos adequados e devidamente certificados para cada uma das situações descritas - se apresentarem algum defeito, seja de produção ou excesso de uso, devem ser substituídos de imediato; verifique frequentemente se estão operacionais e ainda cumprem o objetivo a que se propõem.


Temos consciência de que a proteção dos filhos é uma das maiores preocupações dos pais, pelo que tivemos especial cuidado na elaboração desta lista. Acreditamos realmente que estas dicas o ajudarão a tornar a sua casa mais segura para crianças, aligeirando-lhe (pelo menos) essa preocupação. Esperamos que concorde connosco.

 
Veja também: