Dislexia: quais os sinais e dificuldades

A dislexia está, não raras vezes, na origem de muitas das dificuldades de aprendizagem, pelo que importa conhecê-la melhor.

Dislexia: quais os sinais e dificuldades
A dislexia afeta de 5 a 11% da população portuguesa

A dislexia é uma perturbação de cariz neurológico, que está associada  à dificuldade de aprendizagem da leitura e da escrita.

Ainda não existem certezas sobre as causas do aparecimento da dislexia. Supõe-se que possa ser hereditária (caso da dislexia do desenvolvimento), aparecendo em vários familiares, ou adquirida, como consequência de um traumatismo craniano, de graves doenças neurológicas ou de problemas emocionais.

É, por isso, um erro confundir dislexia com preguiça, desinteresse, falta de atenção ou deficiências de ensino-aprendizagem. O que a dislexia requer é compreensão e acompanhamento profissional. Os terapeutas da fala e os psicólogos são os especialistas indicados para isso.

Normalmente, a perturbação aparece quando as crianças começam a aprender a ler. Mas só após dois anos de aprendizagem é que se pode fazer um diagnóstico mais concreto. Em todo o caso, é aconselhável um acompanhamento antecipado, sempre que sejam detetados problemas de linguagem.

Quais são os primeiros sinais de dislexia?

São estes, em geral, os primeiros sinais de dislexia:

  • Problemas na linguagem, como o seu início tardio ou a troca de fonemas;
  • Dificuldades na leitura e na identificação das letras do alfabeto;
  • Leitura muito lenta, com muitas incorreções e troca de sílabas, o que não ajuda a interpretar o texto;
  • Invenção de palavras ao ler um texto e/ou confusão de sílabas ou de letras;
  • Escrita com muitos erros ortográficos;
  • Muita dificuldade para aprender uma língua estrangeira.

De que modo a dislexia afeta a psicomotricidade?

A dislexia também se pode fazer sentir a nível motor, através destes sintomas:

  • Confusão das formas, tamanhos, cores e posições;
  • Problemas motores nos exercícios manuais;
  • Escrita em espelho (por exemplo: «p» em vez de «q» e «d» em vez de «b»).

Quais as principais dificuldades da dislexia?

Estas são algumas das dificuldades apresentadas por esta perturbação:

  • Problemas em memorizar e processar informações verbais;
  • Falta de fluência e precisão de leitura, que origina uma leitura silabada e com erros nas palavras;
  • Dificuldade em conhecer os sons, como os das rimas, por exemplo;
  • Troca constante na escrita e na leitura de letras com características específicas (p-t; f-v; f-t; ch-x-j; o-u; a-o; s-ss-ç; s-z; ão-am; ou-on; mn; nh-lh; b-v; b-d; p-q, entre outras);
  • Problemas em compreender os textos lidos;
  • Grafia irregular e escrita com muitos erros ortográficos;
  • Troca de sílabas ou palavras (ai-ia; par-pra; sa-as; ra-ar, etc.);
  • Dificuldade na organização e na estrutura de ideias a incluir num texto;
  • Problemas em expressar os conhecimentos e ideias por escrito.

Quais as alterações emocionais provocadas pela dislexia?

O insucesso escolar, motivado pela dislexia, pode ter consequências importantes a nível emocional nas crianças. Uma aprendizagem não conseguida e o fracasso em superar as dificuldades podem deixar marcas muitas profundas. Importa, por isso, não desvalorizar a questão ou entendê-la como inevitável.

São estes alguns dos problemas emocionais vividos pelas crianças cujo insucesso escolar se liga à dislexia que as afeta:

  • Ansiedade;
  • Tristeza e sentimento de culpa;
  • Baixa autoestima;
  • Vergonha e insegurança;
  • Frustração e inferioridade;
  • Distúrbios comportamentais.

Dê à dislexia a atenção que ela merece. Recorra aos especialistas já indicados, se necessário, até porque os seus sintomas variam de acordo com os diferentes graus de perturbação.

Em caso de dúvida, pode começar pelo teste rápido, do Instituto Português de Dislexia. Só tem a ganhar com isso. O teste ajuda-o a identificar, sem dificuldade, os sintomas da dislexia.

Já agora: não esqueça que dislexia nada tem a ver com incapacidade intelectual. O disléxico pode ser, como qualquer outra pessoa, saudável e inteligente. Sabia que George Washington e Pablo Picasso eram disléxicos?

Veja também:

Ana Carolina Veríssimo Ana Carolina Veríssimo

Ana Carolina Veríssimo é redatora de conteúdos desde 2013. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Nova de Lisboa. É apaixonada pelo jornalismo online e pelo marketing digital. Escreve sobre diversos temas, sobretudo tecnologia, saúde, lifestyle e televisão.