Dispareunia: tipos, causas e tratamentos

Se tem dores durante as relações sexuais, leia este artigo. Falamos de dispareunia, um assunto tabu, com várias causas e para o qual existe tratamento.

Dispareunia: tipos, causas e tratamentos
Este problema pode levar a um desinteresse pela vida sexual

A dispareunia é uma disfunção sexual que afeta as mulheres, estando associada à dor durante a penetração. Pode ter várias causas e, geralmente, as queixas só surgem aos ouvidos dos profissionais, meses e meses depois, pelo facto de os problemas sexuais serem um assunto tabu.

Existe tratamento para este problema que, muitas vezes, tem um grande impacto na vida a dois, podendo levar a um desinteresse pela vida sexual.

Tipos de dispareunia e sintomas

O sintoma mais comum é a dor, que pode ser uma pontada ou uma sensação de ardor no início da relação sexual. Trata-se, então, de uma dispareunia superficial.

No caso de uma dor mais forte, que ocorre quando o pénis se introduz no fundo da vagina (colo do útero), estamos a falar de dispareunia profunda.

As dores após a relação sexual, ou seja, a sensação de estar dolorido, são também consideradas dispareunia.

Não se deve confundir este problema com o vaginismo, ou seja, um espasmo involuntário na musculatura da vagina que interfere na penetração. Este pode ocorrer, por exemplo, depois de um episódio de dispareunia, pelo medo de que a disfunção volte a surgir.

utero

Causas da dispareunia

Para perceber o que está na origem desta disfunção, contactamos a Sociedade Portuguesa de Ginecologia (SPG). Segundo Carla Rodrigues, do Núcleo de Interesse de Medicina Sexual, na dispareunia podem existir causas orgânicas (físicas) e causas psicológicas.

“Embora não haja dados estatísticos, na nossa prática clínica encontramos mais casos de etiologia orgânica”, conta a especialista.

Alguns exemplos destes casos são:

  • Vulvovaginite;
  • Doenças sexualmente transmissíveis;
  • Endometriose;
  • Quistos nos ovários;
  • Mioma uterino.

Outra das causas mais comuns é a secura vaginal, que pode dever-se a vários fatores, entre eles a entrada na menopausa e o uso de medicamentos como alguns anticoncecionais orais, antidepressivos, sedativos e anti-histamínicos.

Para além das causas físicas, o fator psicológico também pode ser responsável pelas dores durante a relação sexual.

Nestes casos falamos, por exemplo, de:

  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Historial de abuso sexual;
  • Sentimento de culpa em relação à sexualidade;
  • Falta de desejo sexual;
  • Stress.

Tratamento da dispareunia

dispareunia

Tal como as causas que originam esta disfunção sexual, as formas de tratamento são também muito variadas.

No caso de sentir dor durante as relações sexuais, a mulher deve consultar o seu médico ginecologista para fazer um diagnóstico e tentar perceber o que pode estar a provocar o problema. Depois de um exame físico e de algumas questões, o especialista sugere o que fazer para tratar esta disfunção.

“Se a dispareunia for da causa orgânica, a terapêutica consiste em tratar a causa subjacente”, indica Carla Rodrigues. Por exemplo, no caso da secura vaginal, se estiver relacionado com o uso de um medicamento como a pílula, pode sugerir-se alterar o método anticoncecional utilizado.

Outros tratamentos incluem desde um “simples tratamento tópico para correção de uma flora vaginal, infeção bacteriana ou fúngica a tratamentos mais agressivos como injeções de ácido hialurónico, LASER vulvar ou mesmo intervenções cirúrgicas quando existe patologia ginecológica utero-anexial”, acrescenta a médica da SPG.

Se a origem desta disfunção for psicológica, mediante o tipo de causa, a especialista explica que “é necessário recorrer à terapia sexual que pode ir desde o simples esclarecimento e ensino de técnicas de relaxamento até ao recurso a dilatadores vaginais para dessensibilização”.

O apoio emocional e a medicação podem ser outras formas de tratamento para estes casos.

Veja também: