Diversificação alimentar do bebé: o que saber

Logo aos quatro meses pode iniciar a diversificação da alimentação do bebé: é um novo mundo que está para chegar. 

Diversificação alimentar do bebé: o que saber
É tempo de mudança no paladar!

Apesar do leite materno ou a fórmula serem muito ricos importantes para o bebé, a dada altura a diversificação alimentar é essencial para completar as suas necessidades nutricionais, nomeadamente de proteínas e ferro. Lembre-se que é desde muito pequenino que deve começar uma alimentação variada e equilibrada para evitar problemas e as consequências de uma alimentação pobre no futuro.

Assim, depois dos quatro meses, se for necessário reduzir a quantidade de leite, seja porque o bebé não gosta do leite, porque tem pouco ou se tiver que parar de amamentar por qualquer outra razão, pode iniciar a diversificação alimentar. Porém, se a alimentação for feita exclusivamente com leite materno, pode e deve manter este regime em exclusivo até aos 6 meses.
 

Como iniciar a diversificação alimentar?

Para que o bebé se adapte aos novos sabores e texturas mas, principalmente, para que seja possível detetar quaisquer intolerâncias ou alergias, a introdução de novos alimentos deve ser gradual. Não se preocupe se, inicialmente, o seu bebé rejeitar os alimentos. 

Na verdade, esse movimento trata-se do reflexo de extrusão, que acontece até aos 4/5 meses e sempre que lhe são colocados alimentos na parte anterior da língua o bebé, automaticamente, “rejeita-os”. Não se assuste, insista e lembre-se que, quando se trata de alimentos sólidos, deve sempre utilizar uma colher para alimentar o seu bebé porque na habituação e maturação.


As regras de ouro da diversificação alimentar

O pediatra será a pessoa mais indicada para ajudar nesta nova fase do seu bebé, porém, quando se trata de diversificação alimentar, há algumas regras a cumprir: 
  • Não usar sal nem açúcar
  • Começar por substituir uma das refeições de leite por papa ou sopa 
  • Entre as refeições, o bebé deve beber água
  • A carne deve introduzir-se a partir dos 6 meses
  • Só a partir dos 6 meses é que o glúten deve ser introduzido
  • Antes dos 12 meses, o bebé não deve consumir leite de vaca
  • Soluções como boiões de fruta devem ser exceções apenas para situações de recurso


Como preparar as refeições?

Mais uma vez, lembramos que o pediatra é a melhor pessoa para acompanhar esta nova fase, esclarecer todas as dúvidas e indicar quais os alimentos mais indicados para cada momento. Nos casos de dietas vegetarianas, com grandes riscos de carência nutricional que possem ser prejudiciais no futuro, é fundamental que assegure um aporte de energia, proteínas, nutrientes e vitaminas adequado. Nos restantes casos, espere algo como: 


Sopa

Simples, passada, com um colher de chá de azeite em cru e com apenas quatro legumes que podem ser: 
  • abóbora
  • alface
  • alho-francês
  • batata
  • brócolo
  • cebola
  • cenoura 
  • curgete
  • couve coração
  • couve-flor


Papa

Voltamos a referir que até aos seis meses o bebé deve comer papa sem glúten. Além disso, não deve comer mais do que uma papa por dia. Tenha atenção que existem dois tipos de papra: a láctea e a não láctea; a primeira já contém leite pelo que deve ser preparada com água.


Carne

Só pode inroduzir a carne aos 6 meses e deve começar pelas carnes brancas como:
  • avestruz
  • coelho
  • galinha
  • peru

Só depois as carnes vermelhas: borrego e vaca.
 

Peixe

A partir dos 7 meses deve intorduzir o peixe, alternado uma refeição de carne com uma de peixe. Tenha atenção que o salmão só pode ser introduzido depois dos 10 meses, até lá, há muita variedade: linguado, pescada, bacalhau, besugo, etc.
 

Fruta

A fruta deve ser consumida como sobremesa, depois da sopa, e nunca deve substituir uma refeição. Deve ser fresca, crua, madura e ralada. Comece com banana, maçã e pera. A partir dos seis meses pode introduzir o iogurte que, mais à frente, pode misturar com a fruta.
 

Ovo

A partir dos 9 meses, é tempo de incluir meia gema de ovo cozida. Nestas refeições, a gema do ovo substitui a carne ou o peixe mas o bebé só deve comer ovo 2 vezes por semana. A partir dos 12 meses, o bebé pode comer ovo inteiro.

Quando se trata da diversificação alimentar, o truque é variar, tanto nos alimentos como no tipo de confeção, e não dramatizar. Se o seu bebé recusar, de facto, algum alimento lembre-se que há, mesmo com alguns cuidados quanto a alergias e intolerâncias, muita variedade à disposição.
Proteja a saúde da sua família >>
Veja também: