4 doenças transmitidas por mosquitos: as mais comuns

Os mosquitos são vetores de variadas doenças. Eles são portadores destas doenças que, ao picarem, transmitem-nas ao ser humano.

4 doenças transmitidas por mosquitos: as mais comuns
Conheça as 4 doenças mais usuais de contrair com a picada de um mosquito

Apresentamos-lhe as mais comuns doenças transmitidas por mosquitos. São 4, para as quais apresentamos formas de transmissão e possível tratamento.

4 doenças transmitidas por mosquitos

1. Paludismo (malária)

O paludismo (malária) é uma doença transmitida pelos mosquitos. É uma infeção dos glóbulos vermelhos causada pelo plasmodium, um organismo unicelular. Normalmente utilizam-se fármacos preventivos da doença.

Transmissão: O paludismo transmite-se através:

  • Da picada do mosquito Anopheles fêmea infetada;
  • De uma injeção dada com uma agulha previamente utilizada numa pessoa infetada;
  • De uma transfusão com sangue contaminado.

Tratamento: É possível iniciar medicação para prevenir o paludismo durante uma viagem a uma zona endémica. O medicamento começa a ser tomado uma semana antes, continuando durante toda a estadia e prolongando-se durante mais um mês depois de ter abandonado a zona endémica.
O fármaco mais frequentemente utilizado é a cloroquina. Contudo, nenhuma terapêutica é completamente eficaz no momento de evitar a infeção.

2. Dengue (Zika)

O dengue é uma doença infeciosa causada por um arbovírus que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, nomeadamente no Brasil.

Transmissão: A transmissão da dengue é feita através da picada de mosquitos infetados do género Aedes. Neste momento estão em estudo mais vias de transmissão, nomeadamente de humano para humano.

Tratamento: Não existe tratamento específico para dengue, apenas tratamentos que aliviam os sintomas.

3. Febre amarela

A febre amarela é uma doença transmitida por mosquitos. É uma patologia infeciosa febril aguda, de curta duração (no máximo 10 dias), e de gravidade variável.
É provocada por um tipo de vírus (flavivírus), encontrado em primatas não-humanos que habitam em regiões de florestas.

Transmissão: Este vírus pode ser transmitido aos seres humanos de duas formas:

  • Pela picada da fêmea do mosquito conhecido por “Aedes Aegypti”, desde que o inseto esteja contaminado (após picar um ser humano com a doença). Esta é conhecida como febre amarela urbana.
  • O segundo tipo de febre amarela é a  silvestre, que ocorre através da picada do mosquito Haemagogus.

Tratamento: Não existe medicamento para combater o vírus da febre amarela. O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado.  A única forma de evitar a febre amarela é a vacinação.

4. Leishmaniose

A leishmaniose é uma doença não contagiosa causada por parasitas que invadem e se reproduzem dentro das células que fazem parte do sistema imunológico (macrófagos) da pessoa infetada.

Transmissão: A sua transmissão dá-se através de pequenos mosquitos que se alimentam de sangue. Por serem muito pequenos, estes mosquitos são capazes de atravessar mosquiteiros e são encontrados em locais húmidos.   Não está provado que exista contacto humano-humano.

Tratamento: O tratamento passa pela eliminação da doença fazendo a prevenção juntos dos cães. Num cão não é possível eliminar de vez esta doença, apenas controlar. O tratamento humano é feito por administração de alguns fármacos.

Prevenção para todas estas doenças

A prevenção passa pela eliminação dos mosquitos de alguma forma. As pessoas que vivem em zonas endémicas ou então que viajam para lá devem tomar precauções:

  • Podem utilizar inseticidas com efeitos de longa duração quer dentro das suas casas quer em zonas anexas;
  • Colocar redes nas portas e janelas;
  • Usar mosquiteiro sobre as camas;
  • Aplicar repelente;
  • Utilizar a roupa a proteger toda a pele.

Veja também:

Raquel Pacheco Neves Raquel Pacheco Neves

Farmacêutica, Raquel Pacheco Neves é especialista na prevenção e no tratamento das mais variadas patologias, no que à farmacologia diz respeito. Com uma paixão especial pela puericultura, a promoção da saúde tem sido, desde sempre, o seu principal objectivo profissional.
O seu mais recente projeto é o portal Bébéu.