Eczema atópico: tipos, causas e tratamento

O eczema atópico é um problema de pele que afeta sobretudo bebés até aos seis meses. Conheças as suas causas e formas de tratamento.

Eczema atópico: tipos, causas e tratamento
Dermatite atópica afeta sobretudo bebés

O eczema atópico, também conhecido como dermatite atópica, é um problema de pele que consiste numa inflamação deste órgão, associada a muita comichão. A evolução da doença pode ser aguda ou crónica.

Eczema” é uma palavra que deriva da palavra grega “ferver”, querendo assim descrever pele vermelha, seca e com comichão. Por vezes, pode também apresentar secreção de líquido, bolhas, crostas e escamação da pele.

Tem uma maior incidência em bebés até aos seis meses e pode desaparecer até aos dois anos ou, pelo contrário, manter-se durante alguns anos ou até a vida toda. Regra geral, ocorrem cerca de nove surtos por ano, com uma duração de 15 dias cada.

Eczema atópico: causas

São duas as  principais causas do eczema atópico:

Hereditariedade

No caso de ambos os pais terem o problema, a probabilidade da criança vir a sofrer de eczema atópico é de 70%. Se apenas um dos pais sofrer deste problema, a probabilidade baixa para cerca de 30% a 50%, mas é, ainda assim, bastante alta.

Meio ambiente

O eczema atópico é um problema típico dos países industrializados. O meio ambiente, o estilo de vida e o aumento exacerbado de higiene (sim, leu bem!) são algumas das principais causas por detrás do desenvolvimento da dermatite atópica.

Eczema atópico: evolução

Estima-se que o eczema atópico tenha 75% de incidência em bebés durante os primeiros seis meses de vida. Há uns anos, geralmente a doença desaparecia, mas com a evolução dos tempos, tal já não tem vindo a acontecer tão frequentemente.

Em 60% dos casos a doença ainda desaparece, mas em 30% tende a manter-se. Nestes casos, chegando aos dois anos de vida, a doença pode desaparecer ou não.

Tipos de eczema atópico

Podemos encontrar dois tipos de eczema atópico, divididos pelo grau de gravidade:

  • Eczema atópico agudo – caracterizado por se manifestar através de pequenas vesículas e manchas vermelhas. Estas manchas causam geralmente muita comichão e por vezes dor;
  • Eczema atópico crónico – este é um tipo de eczema mais grave e avançado e é identificado por se manifestar através de manchas grandes avermelhadas e espessas, que chegam a fazer com que a pele escame.

Consequências do eczema atópico

São várias as consequências apontadas em caso de eczema atópico:

  • Diminuição da qualidade de vida;
  • Grande desconforto físico;
  • Problemas psicológicos e de autoestima;
  • Stress;
  • Cansaço extremo;
  • Alterações de humor;
  • Transtornos do sono.

O eczema atópico não tem cura (por vezes, desaparece por si e não por algum tratamento em particular). No entanto, existem formas de o controlar. Hidratar a pele, evitar produtos químicos, materiais irritantes, fototerapia e a toma de corticoides e anti-histamínicos são alguns deles.

Um dado também interessante aponta para o facto da amamentação exclusiva a peito nos primeiros meses de vida ajudar a prevenir o aparecimento de eczema atópico.

Veja também: