Publicidade:

Educação para a cidadania: 4 linhas orientadoras

A educação para a cidadania, quando orientada de forma correta, é uma área fundamental em contexto de escola. Saiba em que consiste.

Educação para a cidadania: 4 linhas orientadoras
Saiba mais sobre esta disciplina importante

A educação para a cidadania pretende contribuir para a formação de indivíduos autónomos, responsáveis e solidários com os outros em seu redor. É também o seu objetivo conduzir a que os jovens conheçam e exerçam os seus direitos e os seus deveres sociais, sempre respeitando o próximo e sabendo ouvir. Os valores que se pretende que sejam promovidos são os da democracia, com foco nos direitos humanos, no espírito criativo e num sentido crítico apurado.

4 linhas orientadoras da educação para a cidadania


educação para a cidadaniaFonte: Pexels/rawpixel

1. É um processo participado, individual e coletivo

A educação para a cidadania procura apelar à reflexão sobre os problemas do indivíduo e a sociedade, de modo a construir dinâmicas de intervenção e de transformação social, sempre com base nos ideais de justiça, da igualdade e da democracia.

2. A escola é um local ideal para este tipo de reflexão

Na escola encontramos um espaço que deverá ser propício à prática dos mais diversos exercícios de cidadania, abordados através de diferentes temáticas – como a educação ambiental, a educação rodoviária, a educação financeira, a educação do consumidor, a educação para o empreendedorismo, a educação para a igualdade de género, a educação intercultural, a educação para o desenvolvimento, a educação para a paz, a educação para a saúde e sexualidade, a educação para os media, entre vários outros.

3. Como deve ser esta disciplina inserida no currículo escolar?

A inserção da educação para a cidadania no currículo escolar exige uma abordagem transversal, tanto nas áreas disciplinares e disciplinas, como também em atividades e projetos, desde a educação pré-escolar ao ensino secundário. Pode assumir formas diversas, mediante as dinâmicas que forem adotadas pelas escolas dentro da sua autonomia. Não sendo esta uma disciplina obrigatória, é dada às escolas a possibilidade de decidir ou não pela sua oferta como disciplina autónoma, nos 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico.

4. Existem referenciais ou documentos orientadores?

Existem, de facto, referenciais e outros documentos orientadores, mas estes não constituem guias ou programas prescritos. São, antes, instrumentos de apoio que, no âmbito da autonomia de cada estabelecimento de ensino, podem ser utilizados e adaptados conforme as opções que sejam definidas em cada contexto, enquadrando sempre as práticas a desenvolver.

Esta é, sem dúvida, uma disciplina que pode ser de imensa utilidade no quadro da sociedade e do mundo em que vivemos, pelo que devia ser fomentada nas escolas, com todo o cuidado que requer. De facto, quando bem orientada, pode gerar frutos fulcrais para todos.

Para maios informações sobre a educação para a cidadania nas escolas portuguesas, consulte as informações oficiais, disponíveis aqui.

Veja também:

Catarina Mesquita Catarina Mesquita

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, Pós-Graduada em Linguística Portuguesa e Mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, possui experiência de mais de quinze anos ao serviço da educação, da tradução e da escrita.