Publicidade:

3 boas razões para eliminar o Facebook (e como fazê-lo)

Está a pensar desligar-se das redes sociais ou deixar um pouco o mundo virtual? Eliminar o Facebook pode ser um bom começo. Veja porquê e como fazê-lo.

3 boas razões para eliminar o Facebook (e como fazê-lo)
Porquê e como eliminar o Facebook de uma vez por todas

Num mundo onde reina o excesso de informação, tanto a nível de conteúdo como de canais de transmissão, o exagero de tempo passado nas redes sociais pode representar algumas consequências nocivas para a saúde mental e para uma vida equilibrada. Já pensou em eliminar o Facebook e começar uma desintoxicação do mundo virtual?

Não pretendemos passar a mensagem que as redes sociais ou o Facebook em particular são o inimigo, mas a incorreta e excessiva utilização das mesmas podem sê-lo.

Ansiedade, stress, problemas familiares, comportamentos obsessivos ou mesmo depressivos podem agravar-se ao estarmos permanentemente expostos a uma corrente de notícias que já não sabemos se são reais, ou a vidas aparentemente idílicas.

Começamos por falar-lhe em eliminar o Facebook, temporariamente ou permanentemente, pelo caráter mais abrangente que esta rede social tem.

3 razões para eliminar o Facebook


ALT eliminar o facebook

1. Privacidade

Quando criou uma conta de Facebook, forneceu uma palavra-passe, uma conta de e-mail, nome, provavelmente o número de telefone pessoal, entre outras informações.

Faça um exercício: há quantos anos tem conta? Neste período de tempo, quantas fotografias publicou? Quantas vezes disse estar em algum lado? Sem nos apercebermos, abrimos uma janela para a nossa privacidade e fornecemos dados a uma entidade global. Leu os termos e condições com cuidado, ao criar a sua conta?

2. Ansiedade

Sofre com o facto de estar algumas horas sem poder consultar o Facebook? Sente ansiedade ao ver o número de notificações que tem por ver ou mensagens por responder?

Podemos estar perante sintomas físicos: palpitações, dificuldades na respiração, ou até dificuldades em concentrar-se noutras tarefas ou relacionar-se com outras pessoas cara a cara. Sente-se triste ao ver fotografias de outras pessoas a viverem uma vida aparentemente melhor? Talvez esteja na hora de eliminar o Facebook.

3. Boa utilização do tempo

A grande conclusão é que o Facebook e outras redes sociais tanto podem ser uma ferramenta de trabalho como uma grande perda de tempo. É viciante, é chamativo e é complicado de ignorar.

Eliminar o Facebook: passos a seguir


como eliminar facebook

Da parte técnica da eliminação do Facebook, a dificuldade não é grande: acedendo ao menu de definições da sua conta pode apagá-la (“Definições gerais de conta > Gerir conta > Pedir eliminação de conta”).

Pode também desativar a conta temporariamente em “Definições gerais de conta > Gerir conta”. Para voltar a ativá-la basta fazer login.

Mas apostando numa utilização mais sustentável, considere estas informações para promover uma utilização mais saudável desta e de outras redes sociais:

1. Comece por eliminar a aplicação do seu smartphone e/ou tablet. Fora de casa vai acabar por consultar a rede social muito menos vezes: longe da vista, longe do coração;

2. Mas os browsers existem, por isso, considere alterar a sua palavra-passe para um conjunto de caracteres fora do grupo que costuma utilizar. Este passo extra de se lembrar de uma password nova e mais complicada pode ajudar;

3. Nas vezes que consulta o Facebook no computador, faça logout, não se limite a fechar a janela do browser. Esforce-se por se lembrar deste passo, que vai dificultar o acesso automático e ajudar a combater o vício;

4. Faça uma limpeza à lista de amigos, páginas que segue, grupos a que pertence. Personalize a informação que lhe interessa;

5. Desligue as notificações e sobretudo os sons que alertam para alguma nova atividade. Mantenha o mínimo dos mínimos neste aspeto, para evitar demasiadas distrações.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.