AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Emigrar para a Suíça: o que deve saber

Veja como se preparar devidamente se quer emigrar para a Suíça. Este continua a ser um dos destinos de “eleição” dos portugueses na hora de emigrar.

Emigrar para a Suíça: o que deve saber
Saiba o que deve fazer antes de partir rumo à "terra do chocolate".

Porque decidem os portugueses emigrar para a Suíça?

Não será certamente apenas pelo chocolate, relógios, montanhas ou neve…

Na realidade não é de agora a ligação dos “tugas” à Suíça.  As boas condições de vida e trabalho (com salários muito apetecíveis), o baixo nível de desemprego, os bons cuidados de saúde e educação podem ser razões (mais que) suficientes para justificar a opção dos muitos milhares de portugueses pelo país.

Atualmente são já mais de 200 mil portugueses a residirem na Suíça e, dado o panorama nacional, é provável que o número continue a aumentar. Mas não pense que por estar dentro do espaço europeu, a entrada neste país é fácil. Antes de partir há várias questões legais a tratar.


FIQUE ATENTO:
Se quer receber mais notícias gratuitas como esta, basta registar-se no E-Konomista. Toda a informação sobre emprego actualizada ao minuto.

Onde procurar emprego na Suiça?

Este é sempre o ponto importante. Antes de emigrar para a Suíça deve começar por “sondar” o mercado de trabalho. O ideal seria mesmo que antes de partir tivesse já trabalho assegurado.

Para o ajudar na busca deixamos-lhe agora uma lista de sites onde pode encontrar milhares de ofertas:
1. Job-room (esta página deve ser a sua primeira referência já que é a página oficial do centro de emprego suíço)
2. Jobup
3. Jobs
4. Job-source
5. Jobwinner
6. Topjobs

Além das páginas anteriores tem ainda ao seu dispor algumas dos “nomes mais conhecidos” no mundo do recrutamento e/ou trabalho temporário: 
1. Monster
2. Adecco
3. Randstad

Mas há mais, para quem tem interesse em emigrar para Suíça, não deixe de dar uma olhadela nas ofertas divulgadas por algumas das organizações internacionais sediadas na Suíça, como por exemplo:
1. Organização das Nações Unidas (ONU)
2. Organização Mundial da Saúde (OMS)
3. Organização Mundial do Comércio (OMC)
4. Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR)
5. Organização Europeia para a Investigação Nuclear (CERN)
6. Organização Internacional do Trabalho (OIT)

Mas se está mesmo a pensar emigrar para a Suíça comece já a informar-se sobre o processo de reconhecimento e validação das suas habilitações académicas. À semelhança do que acontece com muitos outros países, se tiver formação académica superior e quiser trabalhar nessa aérea deve assegurar-se que a mesma é reconhecida.


Vistos de residência

Ainda que não necessitem de obter visto de autorização para entrar na Suíça, qualquer cidadão português que tencione trabalhar e residir no país terá que obter um visto de residência. 

A Suíça tem definidas várias categorias de "permis de sejour"  – assim se chamam os vistos de residência – sendo os mais habituais os seguintes:
B: visto de residência inicial
Com uma validade de cinco anos, este visto obtem-se mediante um contrato de trabalho por tempo indeterminado ou com mais de um ano de duração. 

C: visto de residência permanente
Pode dizer-se que é fase seguinte ao visto B. Neste caso a validade já é atribuída por um período indeterminado e possibilita ao portador a mudança de emprego e cantão (como são designadas as 26 “regiões” da Suíça).

L: curto prazo
Aqui a validade do visto é determinada pela duração do contrato de trabalho. Geralmente varia entre os três e os 12 meses. Findo este período deve ser renovado por um visto do tipo B (visto de residência inicial).

Para saber mais sobre as condições de obtenção dos vistos de residência consulte a página do Federal Office for Migration.


Habitação, saúde e segurança

De forma resumida, a sua maior “dor de cabeça” nestes três pontos será mesmo arranjar casa. Espere preços exorbitantes. A título de exemplo um quarto pode facilmente custar cerca de 2000 euros por mês. Mas calma nada o impede de encontrar um bom negócio. Comece já a pesquisar em sites como: 
1. Homegate.ch 
2. Immoscout24
3. Home.ch

No que à saúde diz respeito, o melhor é começar já a pensar num seguro de saúde. O sistema de saúde suíço é um misto entre o sector público e privado, em que as seguradoras “oferecem” planos básicos. O governo regula estes serviços e comparticipa pelo menos 25% dos seguros.

Quanto à segurança, só lhe podemos dizer vá em paz! Os índices de segurança na Suíça são bastante elevados.


Línguas oficiais

Antes de emigrar para a Suíça tenha, no entanto, atenção a mais um detalhe. Lembre-se que este país tem quatro línguas oficiais - alemão, francês, italiano e o romanche - e ter conhecimentos de (ou preferencialmente dominar) pelo menos uma das três mais faladas é fundamental para que seja bem-sucedido na sua “aventura”.


Para terminar, antes de emigrar, tome a sua decisão de forma ponderada e consciente. Mas nunca é demais frisar!


Veja também: