AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

6 estratégias para agilizar a entrada no mercado de trabalho

A entrada no mercado de trabalho pode ser rápida, se souber abordar as empresas e demonstrar o seu potencial. Damos-lhe as nossas dicas!

6 estratégias para agilizar a entrada no mercado de trabalho
A entrada no mercado de trabalho – o que fazer?

Nos últimos anos, o desemprego jovem atingiu níveis históricos em Portugal. O sucesso académico deixou de ser garante de emprego e o paradigma da carreira para toda a vida extinguiu-se! A entrada no mercado de trabalho passou a depender das competências de empregabilidade dos candidatos, ou seja, da sua capacidade de falarem a linguagem das empresas. Sumarizamos as principais estratégias para encontrar emprego rapidamente.


A entrada no mercado de trabalho – o que fazer?

Começamos pelos erros que não deve cometer:
  1. Ser vago quando apresenta os seus objetivos aos empregadores
  2. Ser igual aos demais quando elabora o seu CV ou quando se dirige às empresas
  3. Ignorar o poder do networking
Agora que sabe as três regras de ouro, fique a saber em detalhe como proceder para entrar no mercado de trabalho.



6 estratégias que deve seguir


1. Conheça-se bem

Há três aspetos da sua personalidade que o empregador deseja conhecer, mesmo que não expresse essa vontade na entrevista de emprego: os seus interesses, os seus valores e as suas competências. Por outras palavras, o empregador quer saber o que gosta de fazer, o que é que o faz feliz no emprego e o que é que sabe fazer muito bem. O candidato sabe dar estas informações? Quase apostamos que não!

A maioria das pessoas não se conhece bem, e quando confrontada com a pergunta “o que gostavas de fazer quando começares a trabalhar?” dizem “qualquer coisa, o que importa é ter um emprego.” É certo que é necessário trabalhar e que à falta de oportunidades que nos sejam aprazíveis aceitaremos outras menos aliciantes; mas isso não invalida que se conheça e que saiba exatamente para onde quer ir e onde quer chegar. Sabê-lo vai ajudá-lo a procurar as empresas certas para si!

Questões para refletir:
  • Em que setor gostaria de trabalhar?
  • Preferia trabalhar numa empresa pequena ou numa empresa grande e com possibilidade de progressão?
  • Na minha área profissional há várias funções que posso desempenhar: quais é que eu detesto, e quais é que me aliciam mais?
  • O que é mais importante para mim num emprego: um bom salário, ter tempo livre, bom ambiente de trabalho, a possibilidade de ajudar as outras pessoas?


2. Tenha um currículo impressionante

A entrada no mercado de trabalho implica ter um bom currículo; só que um bom currículo, hoje, é totalmente diferente do que era considerado um bom currículo há dois anos atrás. Não é só o conteúdo que importa: construa um documento visualmente impactante, que possa ser lido diagonalmente em 7 a 12 segundos e que mostre os principais marcos na sua vida profissional.



3. Escreva uma (boa) carta de candidatura

A carta de candidatura pode ser mais do que uma mera formalidade na procura de emprego. Se usar os formulários que encontra na Internet, garantimos-lhe que não se vai diferenciar dos demais candidatos a emprego. Seja honesto na sua carta e “fale” num tom próximo e afável com o seu leitor. Acredite em nós: já não há paciência para as cartas que iniciam com “Ex.mo Senhor, o meu nome é João Silva e venho por este meio...”. Experimente algo mais arrojado, sem deixar de ser profissional.



4. Assuma a responsabilidade de fazer a entrevista acontecer

Estabeleça objetivos: este mês vou a 5 entrevistas de emprego. E lute por isso! Não basta enviar emails todos iguais para dez mil empresas diferentes. Pegue no telefone e peça para falar com o responsável pelo recrutamento na empresa. Disseram-lhe que não? Peça para lhe dizerem o nome da pessoa e envie a carta de candidatura endereçada ao mesmo. Os telefonemas nunca são feitos em vão, mesmo quando o plano A falha.



5. Visite as empresas

Estude a empresa que lhe interessa, vista-se de forma adequada e faça uma visita. Não sem previamente pesquisar no LinkedIn quem é o responsável pelo recrutamento. Leve o seu currículo consigo, mas não faça da entrega do currículo o principal objetivo da visita. O seu objetivo é falar pessoalmente com o responsável, e se não for possível, então deixará o currículo. E telefonará, no dia seguinte, para saber se o responsável o recebeu.



6. Faça contactos e mais contactos

À medida que pesquisa informação sobre as empresas e que as vai visitando, vai-se apercebendo de que quem faz o recrutamento na empresa X é o Dr. Y, ou que o rececionista amável da empresa Z se chama H. Registe todos os nomes que passarem por si numa base de dados, indicando a data e o local em que conheceu as pessoas. Não imagina o jeito que lhe vai dar, daqui a 6 meses, saber o nome do rececionista para voltar a tentar contactar o diretor de recursos humanos da empresa!

Veja também: