7 dicas para um envelhecimento saudável e feliz

Pequenos hábitos e atividades quotidianas, como caminhar ou conversar com pessoas, promovem um envelhecimento saudável. Conheça aqui essas rotinas.

7 dicas para um envelhecimento saudável e feliz
Uma velhice saudável é um objetivo para qualquer pessoa

Toda a gente deseja ter um envelhecimento saudável, ativo e feliz. As medidas a adotar para se ter uma velhice saudável aplicam-se a pessoas de qualquer idade. Contudo, a partir dos 60 anos – que é considerada a idade em que começa a velhice – recomendam-se cuidados redobrados.

De acordo com o EuroHealthNet, “o envelhecimento saudável está associado a otimizar oportunidades para uma boa saúde, de modo a que os idosos possam ter um papel ativo na sociedade e desfrutar de uma vida com independência e qualidade”.

7 hábitos que promovem um envelhecimento saudável

1. Ter uma alimentação equilibrada

Food

Uma dieta equilibrada é aconselhável para uma vida saudável em todas as idades. No caso dos idosos é ainda mais importante e a alimentação deve ser rica em fruta, legumes e fibra.

Alimentos que sejam prejudiciais para o colesterol e com gorduras devem ser evitados, assim como produtos muito salgados, doces e comidas processadas.

Uma alimentação equilibrada é importante para fornecer ao organismo todos os nutrientes necessários para uma boa saúde. Podem ser necessários suplementos, caso sofra de alguma doença.

2. Ser fisicamente ativo

Old

Fazer exercício é importante em qualquer idade. Os idosos não precisam de fazer exercícios de uma forma tão rigorosa como, por exemplo, ir ao ginásio. Atividades mais leves como caminhar (pelo menos 30 minutos por dia), fazer jardinagem, yoga, ou andar de bicicleta são suficientes.

O exercício físico ajuda a controlar o peso, baixa a pressão arterial e fortalece os músculos, o que ajuda a evitar quedas. Fazer exercício liberta oxigénio para o cérebro, bem como uma proteína que fortalece células e neurónios, o que ajuda a prevenir demência e a estimular a atividade cerebral.

3. Fazer visitas regulares ao médico

Old

Visitar o médico regularmente é muito importante para se fazer check-ups. Ao fazê-lo, será possível antecipar certos problemas e evitar que se tornem preocupações maiores. Exames aos dentes e aos olhos também são fundamentais.

4. Manter o cérebro ativo

Old

Perder faculdades cognitivas é normal durante o envelhecimento. Por isso, é fulcral manter o cérebro ativo e trabalhar a memória para se ter uma boa saúde.

Ao fazê-lo, está-se a prevenir doenças como o Alzheimer e demência. Atividades como fazer palavras cruzadas, puzzles, ter aulas de dança, assistir a conferências e ler um livro ajudam a manter o cérebro ativo.

5. Dormir bem

Sleeping

Um sono de qualidade pode ser tão importante como uma boa alimentação. Os idosos precisam tanto de uma boa noite de sono como os jovens adultos (entre 7 a 8 horas por noite).

A falta de sono pode levar à depressão, irritabilidade, aumentar o risco de quedas e de problemas de memória. É aconselhável que se tenha uma rotina com horas regulares para dormir e se evite a cafeína durante o dia.

6. Ter uma postura preventiva

Helmet

Muitos problemas geriátricos, doenças e acidentes, como quedas e depressão, podem ser prevenidos.

É recomendável que o idoso adote uma postura preventiva: tomar vacinas, levar as mãos depois de ir à casa de banho e antes de comer, usar roupa e calçado confortáveis, tomar a medicação, usar cinto de segurança e capacete, ter detetores de fumo em casa, andar acompanhado à noite, etc.

7. Ser socialmente ativo

Cards

Conhecer os vizinhos e estar em contacto com outras pessoas é importante. Ao fazer parte da comunidade, o idoso vai ter quem o acompanhe nos bons momentos e quem o ajude em situações mais difíceis.

É aconselhável que o idoso participe em atividades sociais como voluntariado, passeios de grupo, jogar cartas, etc. Isto ajuda a que a pessoa se sinta mais ativa e útil, evitando a depressão.

Veja também:

Ana Duarte Ana Duarte

Jornalista e gestora de comunicação no projeto Patient Innovation, Ana Duarte é mestre em Ciências da Comunicação, pela Universidade do Porto. A sua paixão pela escrita começou cedo, quando aprendeu a escrever e começou a criar os seus próprios jornais. Interessa-se por tecnologia, desporto, cinema e literatura.