5 erros financeiros que os casais cometem

Saiba quais os erros financeiros que os casais cometem e evite-os. Falar sobre as finanças do casal é fundamental.

5 erros financeiros que os casais cometem
Saiba como evitar problemas.

São vários os erros financeiros que os casais cometem, particularmente no início da vida a dois. Assumir responsabilidades que até aqui não faziam parte das suas preocupações e gerir um orçamento familiar pode resultar em situações financeiras delicadas, em particular por falta de experiência.

A vida financeira deve ser uma prioridade de qualquer casal, mas isso nem sempre acontece. Como em quase tudo na vida de um casal, falar é o ‘melhor remédio’. Ainda assim, o ideal é estar previamente acautelado sobre alguns dos erros financeiros que os casais cometem de forma e conseguir evitá-los. Conheça cinco dos erros financeiros mais comuns dos casais.

 

Erros financeiros que os casais cometem (e não deviam...)

 

1. Fazer das finanças um tema ‘tabu’

Como já referido, falar frequentemente sobre dinheiro é fulcral para o sucesso da vida financeira do casal. Longe vão os tempos que que apenas um dos membros do casal obtinha rendimentos. Os casais devem falar sobre os ganhos e gastos de cada um (e dos dois) e definir um orçamento familiar (orçamento mensal) capaz de responder às necessidades do casal. Não tenham receio de falar sobre dinheiro.

 

2. Acumular dívidas, em particular com o cartão de crédito

Os cartões de crédito podem ser o fracasso de qualquer casal se um dos membros (ou os dois) não os souberem usar responsavelmente. Não há casal que resista a constantes dívidas resultantes do uso inadequado do cartão de crédito.

 

3. Não atribuir responsabilidades

Um dos erros financeiros que os casais cometem é não definir quem é responsável por pagar o quê. Uma hipótese é ter três contas, cada um ter a sua própria conta e abarcar 50% das despesas totais. No entanto, nem sempre cada membro do casal obtém rendimentos semelhantes. O importante é definir desde logo as responsabilidades de cada um e os dois contribuírem.

 

4. Não poupar para uma emergência

É normal no início de uma relação, especialmente nos casais jovens em início de vida a dois e de vida ativa profissional, haver objectivos e sonhos a concretizar (carro novo, viagem, etc.). No entanto, os casais não se podem esquecer de poupar para uma emergência (desemprego ou doença, por exemplo). Hábitos de poupança desde o início da vida a dois são fulcrais para o sucesso financeiro do casal e para estar preparada para uma contrariedade.

 

5. Não incutir hábitos de poupança nos filhos

Nos casais com filhos é importante adoptar desde cedo o conceito de poupança. Consoante a idade das crianças vá falando de dinheiro e da importância deste. Eduque financeiramente os seus filhos.

Veja também: