11 erros que comete ao planear uma viagem

Dos viajantes mais mais experimentados àqueles que só agora se começam a aventurar, todos cometemos erros quando estamos a planear uma viagem. 

11 erros que comete ao planear uma viagem
As dicas de Luís Seco, do FotoViajar

Seja por desconhecimento ou por excesso de confiança, haverá muitos erros que comete ao planear uma viagem com os quais aprender para o futuro. Estes são apenas alguns daqueles que podem influenciar de forma mais negativa a tão esperada saída de férias pelo mundo.
 

Os 11 erros mais frequentes ao planear uma viagem


1. Ser inflexível com as datas

Vamos direto ao assunto: partir um dia ou dois mais tarde ou mais cedo pode significar uma poupança significativa no preço dos voos. E o mesmo se aplica ao regresso. Faça as suas pesquisas online antes mesmo de pedir os dias de férias no trabalho. No caso de ter 15 dias disponíveis, por exemplo, uma viagem de apenas 10 dá-lhe alguma flexibilidade para o dia da partida. Tenha em mente que voar a meio da semana costuma ser consideravelmente mais barato.



2. Fazer reservas em datas demasiado próximas da partida

Pense bem. Todos queremos a melhor relação preço-benefício nas nossas compras. Por isso mesmo, os primeiros a fazer reservas em voos, carros alugados e hotéis vão escolher os melhores preços. Exceto se lhe for completamente impossível decidir-se antes, planeie a sua viagem com bastante tempo de antecedência. As opiniões entre aqueles que estudam a indústria variam mas dois meses antes é uma boa bitola.



3. Escolher hotel sem estudar bem o mapa da cidade

quarto
Para quem quer explorar bem uma cidade, o hotel apenas serve para dormir e, nalguns casos, para tomar o pequeno-almoço. Para além do preço e da limpeza, a localização do hotel é a sua característica mais importante. Poupar em alojamento mais longe do centro mas ter de perder imenso tempo para chegar aos monumentos e outras atrações não é boa ideia. Para além disso, vai acabar por gastar também muito dinheiro em transportes públicos ou gastar o seu precioso tempo a andar a pé por zonas menos interessantes.

Se encontrar o hotel ideal e este estiver mais longe da ação, certifique-se que tem uma estação de metro bem perto (de preferência com linha direta para o centro) e compre um passe para vários dias. Não se esqueça também, ainda antes da partida, de estudar bem a forma de chegar desde o aeroporto ao hotel escolhido, especialmente se chegar à noite. Tenha igualmente cuidado com os horários de check-in e check-out.



4. Planear demasiadas atividades

Com o número de dias limitado, muitas pessoas acabam por preencher demasiado a agenda das atividades a fazer e acabam por andar mais stressadas e a correr de um lado para o outro do que se estivessem a trabalhar. Planeie bem os seus dias mas deixe bastante espaço de manobra para paragens não calculadas ou explorações de lugares inesperados. Levante-se cedo para aproveitar ao máximo mas esqueça os horários rígidos.



5. Escolher múltiplos voos com escalas curtas

Seja cauteloso e pondere bem a hipótese de reservar "aquela" escala curta perfeita que encontrou. Se o primeiro voo se atrasar (o que não é assim tão raro) vai acabar por perder a sua ligação e ter que esperar no aeroporto pelo próximo voo que parta para o seu destino sem estar completamente preenchido. Isto se comprou os dois voos num só pacote.

Se os adquiriu a operadores diferentes vai, pura e simplesmente, perder o voo e... o dinheiro. Comprar um novo lugar num avião a partir do aeroporto para o próprio dia ou o seguinte não é garantido e vai ser bastante caro!



6. Estabelecer um orçamento demasiado otimista

É fácil deixarmo-nos entusiasmar quando encontramos a viagem que queríamos mesmo a um preço fantástico. E também é fácil esquecermo-nos de incluir outras despesas inevitáveis no nosso orçamento. Tenha em atenção os seguintes custos:
  • lugares no avião, bagagem de porão e comida (especialmente em companhias low cost)
  • entradas em museus e outras atrações
  • transportes públicos locais (inclusivamente transfers de e para o aeroporto)
  • taxas de utilização de cartões de crédito e débito (consulte o seu banco previamente)
  • roaming e dados móveis
  • serviços extra em hotéis
  • possíveis acidentes com carro alugado que o obrigam a pagar a franquia (considere pagar um pouco mais para a baixar se estiver num país onde o risco de acidentes for maior)
  • estacionamento do carro alugado
  • comida na rua ao longo do dia e jantar num restaurante imperdível mas mais caro que encontrou
  • gorjetas...



7. Não pedir um aumento temporário de limite no cartão de crédito

A verdade é que o cartão de crédito se tornou essencial para viajar hoje em dia e "salva-nos a vida" muitas vezes. No aluguer de um carro, por exemplo, é frequente termos de o usar para deixar uma caução quando recolhemos a viatura (devolvem-nos essa quantia na entrega se o carro voltar "igual"). Se essa caução for de 1000 euros...

Podiamos dar-lhe muitos mais exemplos de utilizações no dia-a-dia em viagem. Nunca se esqueça de pedir com tempo um aumento temporário de limite, algo que alguns bancos permitem que se faça numa sessão de homebanking. Como razão, invoque "viagem ao estrangeiro".



8. Não verificar a meteorologia no destino

meteorologia
O problema aqui não é só chegar ao destino com a roupa errada pois facilmente poderá comprar uma peça ou duas que voltará a vestir quando voltar a casa. A principal questão é a eterna escolha do que levar na mala. Com uma investigação precisa online sobre o tempo vai poder escolher exatamente o tipo de roupa que vai precisar. Não se esqueça de deixar espaço na mala para trazer as recordações...



9. Confiar unicamente em guias de viagem impressos

Os guias de viagem impressos são, muitas vezes, preciosos para organizar a sua viagem. Mas a informação que lhe dão fica rapidamente desatualizada pois há mudanças a nível de preços, horários, condições de segurança, atrações,... Complemente a sua pesquisa online, especialmente em blogues e sites de viajantes que visitaram recentemente o seu destino de eleição. Deixe comentários colocando questões específicas. Faça o mesmo em grupos sobre viagens nas diversas redes sociais.



10. Não verificar a data de validade de documentos

Este erro é um clássico entre os viajantes mais inexperientes. É vital levar documentos cuja data de validade não ultrapasse o dia do regresso. O melhor mesmo é ultrapassá-la largamente. Tenha especial atenção ao Cartão de Cidadão e/ou Passaporte, Carta de Condução (se for alugar um carro), Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD), Seguro de Saúde,... Faça a verificação com tempo de antecedência suficiente de modo a que haja tempo para renovar os documentos sem pagar taxas de urgência.



11. Não recolher informação importante sobre o seu destino

São as surpresas em viagem que nos deixam verdadeiramente entusiasmados. Contudo, é essencial recolhermos informação importante antes de partirmos de modo a vermos tudo com "outros olhos". Tenha especial atenção ao seguinte:
  • taxas de câmbio
  • pormenores culturais distintivos
  • frases úteis na língua do destino
  • história do país/cidade
  • vistos e passaportes
  • alfândegas
  • tipo de fichas elétricas
  • segurança e saúde
  • lugares a evitar
  • números de telefone úteis
  • opções de transportes públicos

Veja também:

Luís Seco Luís Seco

Autor do blog FotoViajar e do Visit Évora, que criou com o intuito de dar a conhecer a sua cidade e a singular região do Alentejo. Embora enquanto mais jovem não tivesse o hábito viajar, hoje em dia a curiosidade de saber o que existe e como se faz noutros lugares levam-no a estar sempre a pensar em viagens. Gosta especialmente de road trips mas é igualmente fã de cidades cosmopolitas e daquelas que marcaram a História.