Escalões do IRS em 2017

Conheça os escalões do IRS em 2017, e saiba o que vai acontecer à sobretaxa. As notícias são positivas, especialmente para quem ganha mais.

Escalões do IRS em 2017
Saiba quais vão ser

Em 2016 os escalões do IRS foram atualizados, depois de um longo período de congelamento. Para o ano, o mesmo acontece, sendo que os escalões do IRS em 2017 estarão mais uma vez em linha com a inflação esperada, que deverá ser ligeiramente superior ao que foi previsto para 2016.
 
Lembre-se que esta é apenas uma das medidas previstas no Orçamento de Estado (OE).
 

Escalões do IRS em 2017

Para 2017 mantêm-se os cinco escalões, com algumas alterações nos valores dos mesmos, na ordem dos 0,8%, que corresponde à inflação esperada para 2016. Relembramos que os escalões do IRS que se seguem correspondem à parte do rendimento dos contribuintes que é sujeito a impostos.
 
  • Até €7.091 a taxa é de 14,5%, sendo a taxa média de 14,5%.
  • De mais de €7.091 até €20.261 a taxa é de 28,5%, sendo a taxa média de 23,6%
  • De mais de €20.261 até €40.522 a taxa é de 37%, sendo a taxa média de 30,3%
  • De mais de €40.522 até €80.640 a taxa é de 45%, sendo a taxa média de 37,613%
  • Superior a €80.640, a taxa fica nos 48%
 
A taxa de solidariedade de 2,5% para quem ganha entre €80 e €250 mil, e de 5% acima deste ultimo nível mantêm-se.
 

Impacto dos escalões

Os escalões do IRS em 2017 deverão ter um impacto positivo no poder de compra, pois foram ajustados de acordo com a inflação esperada para 2016, e não com a inflação prevista para 2017, que seria de 1,2%.
 
Face a 2016, contribuintes que tiveram um aumento no seu rendimento inferior a 0,8% deverão sentir uma redução no IRS que devem pagar, sendo que contribuintes que tiveram um aumento no rendimento superior a 0,8% vão ter de pagar mais.
 

Sobretaxa em 2017

Há novidades também no que toca à sobretaxa do IRS. Este adicional do imposto vai ver os seus valores reduzidos, o que beneficiará todos os contribuintes que o pagam, sendo que quem mais ganha mais beneficiará, pois também paga mais.
 
A retenção na fonte será gradualmente eliminada ao longo do ano, sendo que contribuintes do 2º escalão deixam de a fazer a partir de abril; do 3º escalão a partir de junho, e do 4ª escalão em setembro. Contribuintes do último escalão apenas o farão em novembro. Assim, quem recebe menos sentirá o efeito positivo mais cedo do que os que ganham mais.
 
Ao analisar os escalões do IRS em 2017, deve ter em conta também esta novidade acerca da sobretaxa, pois tudo influenciará a sua carteira.


Veja também: Tabelas de IRS 2016
 
 

Escalões de IRS 2015

Os escalões de IRS para 2015, que continuaram a ser, desde 2013, cinco:
Escalões de Rendimento coletável Taxa normal Taxa média
1º - Até 7.000€ 14,50% 14,50%
2º - Mais de 7.000€ e até 20.000€ 28,50% 23,60%
3º - Mais de 20.000€ e até 40.000€ 37% 30,30%
4º - Mais de 40.000€ e até 80.000€ 45% 37,65%
5º - Superior a 80.000€ 48% -
 

Tabelas de IRS 2015

As tabelas de retenção de IRS em 2015 foram publicadas no dia 12 de janeiro de 2015 no Diário República. Consulte o documento completo com as tabelas de IRS para 2015 (trabalho dependente e reformados) para o Continente.

A proposta da reforma do IRS e de Orçamento de Estado previa que as limitações globais a deduções à coleta e a benefícios fiscais definidos por escalão acabassem, sendo alterados pelas limitações estabelecidas em cada dedução à coleta individual ou nas deduções ao rendimento líquido.
 
No entanto, os partidos da maioria propuseram (em consonância com o Governo), na discussão da reforma de IRS, algumas alterações nas deduções de IRS. Uma coisa parece certa, para ter direito às deduções terá de juntar as faturas, obrigatoriamente com NIF, verificar se as mesmas foram transmitidas à Autoridade Tributária e Aduaneira e entregar o IRS dentro do prazo estabelecido.
 
Veja também: