Estrogénio: a hormona feminina

Estrogénio, assim como progesterona, são termos conhecidos de qualquer mulher, especialmente em idade fértil. Saiba tudo sobre esta hormona feminina.

Estrogénio: a hormona feminina
Saiba como o estrogénio está presente ao longo da vida fértil

O estrogénio é uma hormona natural, segregada pelos ovários. É responsável por garantir o funcionamento e manutenção dos órgãos sexuais e reprodutivos da mulher, desde o útero até aos seios. É particularmente responsável pelo desenvolvimento das características femininas.

O estrogénio atua juntamente com a progesterona, e ambas são segregadas pelos ovários a partir da primeira menstruação até à menopausa, ou seja, durante todo o período da idade fértil da mulher. A progesterona atua depois como uma hormona que atua sobretudo durante o período da ovulação, durante o período fértil, preparando o corpo. O estrogénio tem um papel mais abrangente.

Como está presente na mulher?

Esta hormona é responsável por determinar as características femininas, desde a anatomia até ao comportamento. É a ela que se atribuem a formação das chamadas curvas femininas, simplesmente, a formação do corpo, desde o crescimento dos seios, ao aumento da anca e das coxas, formação vaginal e crescimento de pêlos. Estimula o crescimento de músculos e ossos.

mulher

Este “trabalho” começa com a puberdade e termina na menopausa. Durante a vida da mulher são produzidos estradiol, estriol e estrona, os três tipos de estrogénio naturais, que atuam nas diferentes fases da vida. Artificialmente, a ação das hormonas pode ser controlada por métodos contracetivos, como a pílula, entre outros.

Os ciclos menstruais femininos são determinados pelos níveis de estrogénio, em oscilação cíclica com a progesterona. O estrogénio faz com que haja um engrossar do revestimento uterino, preparando a ovulação e a possível fertilização. Depois da ovulação, a progesterona é responsável por proteger o endométrio para receber o óvulo fertilizado.

Se a progesterona prepara o corpo da mulher para ser fertilizado, o estrogénio depois prepara-o para a consequência disso mesmo, ou seja, para o parto. Estimula o crescimento da glândula mamária e relaxa a zona da pélvis, ao mesmo tempo que prepara a densidade do útero. A produção aumenta bastante durante a gravidez.

O que acontece se há falta de estrogénio?

Os níveis de estrogénio variam de mulher para mulher e existem casos de deficiências que devem ser medicamente seguidos. É importante notar que, com a menopausa, os ovários vão deixando de funcionar, a produção desta hormona baixa. Afrontamentos, secura vaginal, alterações de humor, perda de massa óssea, são consequências naturais. Manter uma dieta equilibrada e um estilo de vida saudável durante esta fase da vida pode ajudar a contrariar alguns sintomas.

Durante a vida adolescente e adulta fértil, a falta de estrogénio pode ter algumas consequências comuns à menopausa e outras mais complicadas:

  • aumento de peso;
  • ausência de menstruação ou irregularidades significativas;
  • quebra na libido sexual;
  • perda de memória;
  • pele seca;
  • infeções urinárias;
  • dores nas articulações;
  • comportamentos depressivos.

Uma menopausa precoce, que pode ser um sinal de lago mais grave. As causas para estes sintomas podem ter várias origens desde um emagrecimento repentino, presença de tumores e células cancerígenas e questões genéticas de deficiência hormonal.

Fale com o seu médico acerca do seu método contraceptivo e da melhor opção para si, tendo em conta o comportamento hormonal e a motivação para o mesmo. As hormonas femininas são também responsáveis pelo aumento do acne ou por oscilações de humor, daí um acompanhamento desde a adolescência ser o aconselhado.

Veja também: