Europeus sabem poupar

No que toca a poupar dinheiro, os europeus parecem ser os mais sábios. Alemães, austríacos, franceses e ingleses são os que mais euros arrecadam.

Europeus sabem poupar

Apesar de o cenário de crise generalizada começar aos poucos a esbater-se, ainda não é hora para euforias.

Os cidadãos europeus estão a consumir cada vez menos em alimentação, compras e lazer, adianta o estudo revelado pelo GfK, denominado “Dia-a-dia de poupança na Europa”.

Os europeus apostam mesmo na poupança das suas economias. No topo da tabela dos mais poupados estão os alemães, franceses, austríacos e ingleses. Procuram produtos alimentares e bebidas mais baratos. Um em cada quatro inquiridos assume fazer cortes nos gastos da alimentação. Já os momentos de lazer associados a idas a restaurantes, cafés ou bares tornaram-se na generalidade menos frequentes.

Na Rússia e Itália, os cidadãos optam por cortar despesas na roupa e no calçado. Os franceses preferem controlar gastos nos restaurantes e nas saídas à noite, adianta o estudo.
Do lado oposto, ou seja, os que não estão lá muito vocacionados para guardar dinheiro extra no bolso, estão os espanhóis e os polacos. Um em cada três inquiridos afirmou nada fazer para reduzir as despesas.

Entre homens e mulheres quem mais poupa são Elas. As mulheres europeias economizam mais do que os homens: na comida e bebida (42% contra 34%), na roupa e calçado (43% contra 36%) e nos jornais e revistas (24% contra 18%).

Níveis inéditos de poupança

Os níveis de consumo na Europa têm vindo a aumentar para resultados recorde, fruto da crise económica ainda latente.

Os cidadãos europeus continuam preocupados com a subida do desemprego e a fragilidade das contas públicas dos países.
No segundo trimestre de 2009, a taxa de poupança agregada na Zona Euro subiu 16,5% face ao período anterior, registando o maior nível de sempre da série iniciado em 1999. Segundo dados oficiais do Eurostat, orgão europeu de estatísticas, este aumento da poupança ficou a dever-se ao facto de o rendimento disponível (0,7%) estar a aumentar mais do que o consumo final (0,2%).

Pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2008, a taxa de poupança diminuiu tanto na Zona Euro como nos “Vinte e Sete”. Dados relativos ao terceiro trimestre de 2009 revelam que a taxa de poupança das famílias recuou para 15,8% na Zona Euro e para 13,7% na União Europeia.
A taxa de investimento das empresas subiu para 21,3% na Zona Euro e 21,1% na União Europeia.