Como fazer um canteiro de ervas aromáticas em casa e poupar

Sonha ter um canteiro de ervas aromáticas mas não sabe como o fazer ou manter? Arranje espaço na cozinha porque chegou ao sítio certo!

Como fazer um canteiro de ervas aromáticas em casa e poupar
Siga o passo a passo para ter um jardim perfumado em casa.

A grande maioria das pessoas vive num apartamento e mesmo aquelas que vivem em moradias muitas vezes não têm tempo ou espaço para fazer um canteiro de ervas aromáticas. Mas ter ervas aromáticas dentro de casa e muito mais simples do que julga e, na verdade, requer poucos cuidados. 

Até em pequenos frascos de vidro pode semear tomilho ou salsa e as vantagens são muitas. Para começar, a alegria de semear, cuidar e ver crescer uma planta, depois, apesar do pequeno investimento inicial, vai poupar muito dinheiro no supermercado (as ervas aromáticas frescas são sempre caríssimas!) e, por fim, as suas receitas vão ficar muito mais saborosas e saudáveis com ervas aromáticas tratadas por si de forma natural.

 

Como fazer um canteiro de ervas aromáticas passo a passo

Material necessário

  • Plantas ou sementes
  • Recipientes 
  • Pedras de argila expandida
  • Manta de drenagem
  • Paus de gelado ou espetada
  • Terra
  • Água

1. Comece por escolher o recipiente para plantar as ervas aromáticas. Pode comprar uma floreira, nas lojas de jardinagem ou reutilizar garrafas de plástico, latas de conserva, caixotes de madeira ou usar qualquer vaso que já tenha em casa. É importante que no fundo tenha furos para que a água da rega possa sair.



2. De certeza que já comprou um daqueles vasos de aromáticas no supermercado e passados um ou dois dias, a planta estava morta, verdade? Isto não volta a acontecer se colocar pedras de argila expandida no fundo do recipiente onde vai plantar as ervas para evitar que a raiz das plantas morra com excesso de água.

3. De seguida, coloque a terra. Também aqui há um truque importante a considerar: a terra deve estar solta para que as raízes consigam penetrar na terra e assim se desenvolveram fortes e saudáveis. Por isso, desfaça qualquer torrão que a terra possa ter e não a aperte muito. 



4. A terra deve ficar 4 cm abaixo do limite do vaso para que as ervas aromáticas tenham espaço para crescer. Agora está na hora de regar a terra até que fique bem húmida. O passo seguinte depende se vai semear ou plantar ervas aromáticas.


Se vai plantar:
Faça buracos com cerca de 10 cm de profundidade e afastados  por um palmo. Coloque as plantas e certifique-se que enterra bem as raízes. Aconchegue bem a terra à volta da planta. De seguida, regue com um borrifador para ter a certeza que a terra adere bem à planta.

Se vai semear:
Comece por dividir o espaço de acordo com o número de ervas que vai semear. De seguida, espalhe as sementes no espaço que preferir para cada uma delas e cubra-as com mais uma camada de terra. Regue de novo a terra e termine identificando, com a ajuda de paus de gelado ou de espetada, as ervas.

 

3 Cuidados para manter o canteiro de ervas aromáticas

1. Tenha o canteiro de ervas aromáticas exposto ao sol apenas durante quatro a cinco horas por dia.
2. Regue a terra quando esta estiver seca mas sem encharcar, mesmo as ervas que precisam de mais água.
3. Colha as ervas em excesso, para que as restantes possam crescer saudáveis.

 

As nossas ervas aromáticas preferidas

Cebolinho: muito rico em vitaminas A e C, o cebolinho tem um sabor ligeiramente picante, idêntico ao do alho-porro e é ótimo para temperar saladas ou polvilhar em arrozes. As suas folhas são sensíveis e não deve cortar  mais de 1/3 da planta. Pede muito sol, rega frequente e um solo rico.

Hortelã: existem várias espécies, umas cheiram a limão, outras a manjericão e também a chocolate. São resistentes, duradouras e muitas vezes nascem nos jardins sem que as cultive. São terapêuticas e ótimas para colocar no chá ou em refrescos, em sobremesas, molhos ou nas sopas. Crescem muito e rapidamente, por isso, precisam de um espaço próprio.

Manjericão: é muito sensível, deve estar protegido do tempo mas precisa de muito sol, um solo rico e permeável. Rico em óleos essenciais, ácidos orgânicos e vitaminas A e C é perfeito para preparar irresistíveis molhos e dar uma nova vida a qualquer prato de massa. E ainda é um ótimo repelente para moscas e mosquitos.

Malagueta: vermelhas, verdes ou amarelas as malaguetas têm sempre lugar nas nossas cozinhas. Com a vantagem de que, depois de plantadas, ficam na terra por muitos anos. Pode comprar as sementes ou plantar a partir de uma vagem madura. Aguenta bem o calor mas deve ser protegida no inverno.

Salsa: rica em minerais e vitaminas A e C é uma das ervas favoritas dos portugueses. É muito resistente, tanto no inverno como no verão, mas deve-se mudar com frequência o local do cultivo. Ótima para acompanhar qualquer prato, incluindo sopas, e é melhor se a comer crua.


Veja também: