Fígado gordo: um perigo silencioso

Com o tempo, a acumulação de gordura no fígado pode evoluir para doenças hepáticas graves. Conheça as causas, os sintomas e tratamentos para o fígado gordo.

Fígado gordo: um perigo silencioso
Causas, sintomas e tratamento do fígado gordo

Fígado gordo ou esteatose hepática é uma acumulação de gordura nas células do fígado, correspondendo a 5-10% da sua massa total.

É uma situação clínica muito frequente em Portugal, afetando cerca de 15% dos adultos portugueses.

Pode não chegar a evoluir para uma lesão do fígado mais preocupante ou, pelo contrário, pode causar inflamação do tecido hepático, degenerescência do órgão, causando cirrose.

Portanto, a esteatose hepática constitui, assim, a fase anterior ao desenvolvimento de lesão permanente do fígado.

Causas do fígado gordo


  • Ingestão excessiva de gorduras na alimentação, sobrecarregando o fígado na sua transformação de modo a ser eliminada, acumulando-se o excedente nos tecidos hepáticos;
  • Excesso de peso ou obesidade;
  • Consumo de álcool;
  • Diabetes e colesterol elevado;
  • Perda de peso rápida;
  • Certas doenças metabólicas genéticas;
  • Uso de alguns medicamentos;
  • Ingestão de toxinas e cogumelos.

 

figado

Sintomas do fígado gordo


A maioria das pessoas não apresenta sintomas ou complicações. Por vezes, pode ocorrer:

As alterações são detetadas através de análises ao sangue, onde se revela aumento das enzimas hepáticas (transaminases) e através da ecografia abdominal, encontrando-se aumento do tamanho do órgão (hepatomegalia).

Tratamento do fígado gordo


Não existem medicamentos específicos para tratar a gordura no fígado. O tratamento é feito através de alterações no estilo de vida, fazendo uma alimentação com pouca gordura, perdendo peso, praticando exercício físico regular.

Infusões e plantas medicinais

infusoes

Alcachofra: planta que pode ser consumida sob a forma de infusão, em xarope ou incluindo na alimentação (coração de alcachofra em conserva). Uma das suas principais propriedades é regeneração e proteção hepática, ajudando ao bom funcionamento do fígado, facultando as digestões difíceis. Ajuda também a baixar os níveis de colesterol e melhora toda a função hepática e biliar.

Cardo-mariano: a infusão desta planta medicinal tem benefícios terapêuticos muitos notáveis nível hepático. Ajuda a manter o fígado saudável, através da sua importante ação protetora e regeneradora, tal como a alcachofra.

Dente-de-leão: esta planta muito comum, usada como infusão, possui diversas propriedades benéficas à saúde. É um tónico hepático, melhorando o funcionamento do fígado e da vesícula biliar. Muito usado nas digestões difíceis, especialmente após refeições exageradas. Ajuda a desintoxicar o fígado.

Alimentação

fibras

Para eliminar a gordura no fígado, deve-se evitar o consumo de alimentos ricos em gorduras e açúcares, como carnes vermelhas, enchidos (bacon, salsicha, chouriço, salpicão, alheira, presunto), bolos, biscoitos, doces, uma vez que aumentam o colesterol e o açúcar no sangue, o que favorece a acumulação de gordura nesse órgão.

Além disso, é importante eliminar o consumo de bebidas alcoólicas, pois o álcool é responsável pelo aumento de absorção dos ácidos gordos no fígado. Aumentar o consumo de frutas, legumes e cereais como linhaça, chia e aveia, pois são ricos em fibras, que ajudam a diminuir a absorção de gordura no intestino.

Atividade física

exercicio

O exercício físico ajuda a aumentar o metabolismo e a queimar a gordura acumulada. Essencial para perder e controlar o peso, deve ser feito com regularidade entre 3 a 4 vezes por semana, cerca de 40 a 60 minutos.

Controlar doenças

As doenças como diabetes e colesterol elevado aumentam o risco de fígado gordo e mais tarde, lesões hepáticas mais graves. O excesso de açúcar no sangue, obriga o organismo a transformar o açúcar em gordura para manter os níveis de glicemia. O colesterol elevado, por si só, já é um sinal de excesso de gordura no organismo.

Veja também:

Ana Luisa Santo Ana Luisa Santo

Enfermeira especializada em acupuntura e medicina tradicional chinesa. É uma apaixonada pela saúde natural e terapias alternativas, explorando ativamente formas seguras de cuidar a saúde e o bem-estar. Trabalhou no Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital Geral Santo António, Porto. Atualmente trabalha na consulta de acupuntura do Hospital da Lapa. Docente no Instituto Jean Piaget. Enfermeira voluntária na AMI.