Publicidade:

Publicar fotografias dos filhos nas redes sociais: sim ou não?

Conheça os argumentos contra e a favor de colocar fotografias dos filhos nas redes sociais e saiba o que diz a lei.

Publicar fotografias dos filhos nas redes sociais: sim ou não?
Fotografias dos filhos nas redes sociais? Uma questão de bom senso

Em pleno século XXI, a Internet faz parte das nossas vidas e já a conhecemos há algum tempo para termos consciência das vantagens e desvantagens de se usar redes sociais. No que diz respeito aos pais colocarem fotografias dos filhos nas redes sociais, parece existir, atualmente, uma divisão de opiniões sobre se é correto fazê-lo ou não.

É ético publicar fotografias dos filhos nas redes sociais?

Os dilemas relativos à colocação de fotografias dos filhos nas redes sociais estão relacionados com preocupações com a segurança das crianças, mas também com o direito “moral” de expor a imagem de uma pessoa apenas porque esta é menor.

As opiniões dividem-se: alguns consideram correto e aceitável usar a imagem dos filhos para promoção pessoal nas redes, outras pessoas acham que as crianças são indivíduos com direito à privacidade, desde que nascem, e que por essa razão não devem ver a sua imagem exposta por terceiros antes de eles mesmos poderem, sequer, expressar o seu (não) consentimento.

Regras a ter em conta ao publicar fotografias dos filhos

Se está na fação dos pais que gostam de publicar fotografias dos filhos, siga estas regras:

  • Não publicar fotos das crianças no banho ou de fraldas ou com uniformes escolares;
  • Não publicar imagens em que crianças aparecem acompanhadas de objetos de valor;
  • Não publicar imagens em que seja possível identificar o local (a escola, a casa, etc.) onde está a criança;
  • Restringir ao máximo o número de pessoas que podem ter acesso à imagem no Facebook, limitando o acesso a amigos mais próximos.

Os argumentos

O desejo de proteger a privacidade dos menores de 18 anos é o motivo mais invocado pelos pais que não querem expor os filhos nas redes sociais. Outro é o facto de considerarem que, provavelmente, os filhos têm uma palavra a dizer quanto à exposição da sua imagem na Internet, sobretudo quando crescerem e puderem pronunciar-se sobre esse assunto.

Por outro lado, existe uma grande percentagem de pais que nada temem quanto a publicar fotos dos filhos nas redes sociais, isto porque confiam nas restrições de privacidade do Facebook, que permitem escolher quem pode visualizar as fotos.

criança a usar smartphone

Pedir permissão

Talvez muitos pais nem sequer pensem nisso, mas as crianças devem ter uma voz ativa no que diz respeito à informação que é partilhada ou publicada acerca de si.

Há pais que envolvem as crianças nos debates familiares sobre muitos assuntos, perguntando, de uma forma ajustada à sua idade, quais as suas opiniões. É importante pedir permissão a uma criança antes de publicar fotos ou vídeos em que ela aparece.

Muitas vezes, os pais não percebem que, de cada vez que uma foto ou vídeo é carregado, está-se a contribuir para a pegada digital da criança, que pode segui-la para a vida adulta. Não é difícil perceber que as crianças poderão ter interesse em entrar na idade adulta com liberdade para criar a sua própria pegada digital a partir do zero.

O que diz a lei?

O direito à imagem está garantido na Constituição e no Código Civil. Se a violação desse direito for feita pelos progenitores ainda é mais grave do que se for feita por terceiros.

Uma dica para o Facebook

Talvez a forma mais segura de publicar fotos dos filhos no Facebook seja criar um grupo restrito, adicionar unicamente as pessoas que lhe interessam e, assim, partilhar as fotos dos filhos de forma privada. Assim, teoricamente, não corre o risco de perder o controlo sobre quem vê as fotografias ou vídeos. Mas, já sabe, estes continuarão online para sempre.

Veja também: