Franchising – vantagens e desvantagens

Se está a ponderar avançar com um negócio em regime de franchising saiba quais as principais vantagens e desvantagens associadas a este modelo.

Franchising – vantagens e desvantagens
O que avaliar.

Espaços coworking para pequenas empresas e freelancersO franchising pode ser uma boa oportunidade para quem quer abrir um negócio próprio, mas quer evitar os constrangimentos iniciais inerente à criação desde a sua raiz. O franchising permite ao franchisado iniciar o negócio assente numa empresa já consolidada no mercado, “bebendo” da experiência que esta possui. Este pode ser um modelo de negócio seguro e com vantagens para ambos os lados (franchisador e franchisado), no entanto, como qualquer negócio, não está isento de desvantagens. Saiba quais as vantagens e desvantagens do franchising.
 

O que é o franchising?

O franchising é um modelo de negócio que consiste numa parceria na qual uma empresa consolidada no mercado (franchisador) concede a terceiros (franchisado) o direito de explorar a sua marca e ainda usar o seu know-how, prestando auxílio ao parceiro. Em troca recebe, habitualmente, contrapartidas financeiras, bem como a expansão do negócio.
O parceiro (franchisado) garante o seu negócio sem ter de o começar de raiz, iniciando-o de forma mais segura e integrado numa rede com sucesso comprovado.

 

Vantagens do franchising

  • Permite ao franchisado gerir o seu próprio negócio, baseado no know-how de quem já teve sucesso;
  • O franchisado pode usufruir da promoção, incluindo publicidade, da marca registada. As sinergias na comunicação, marketing e publicidade, entre franchisador e franchisado;
  • O investimento num negócio em franchising, habitualmente, é inferior relativamente aos casos em que abre um negócio idêntico, mas de modo independente;
  • Pode beneficiar da denominada escala de rede que permite ao parceiro acesso a fornecedores com relações já estabelecidas com o franchisador, acesso a formação contínua, etc.
 

Desvantagens

  • O franchisado pode ter pouca abertura para promover a sua personalidade no negócio, porque o franchisador pode pretender exercer o direito de controlar a apresentação do seu produto/serviço;
  • Custos associados à integração na rede, tais como os direitos de entrada, os “royalities” e a taxa de publicidade;
  • O franchisado – ou até mesmo o próprio franchisador – pode ser afetado negativamente com o mau desempenho de outros franchisados ou mesmo do franchisador. Os erros de qualquer um podem prejudicar a imagem da rede;
  • O franchisador pode abandonar o negócio se o franchising não estiver a cumprir as expetativas.


Veja também: