Publicidade:

Gestão e liderança: 5 lições de “La Casa de Papel”

O novo vício dos binge watchers da Netflix é um fenómeno interessante. Conheça algumas lições de “La Casa de Papel” no que toca a gestão e liderança.

Gestão e liderança: 5 lições de “La Casa de Papel”
O que se pode retirar da aclamada série

De certeza que já ouviu falar da série “La Casa de Papel”, uma produção espanhola para a Netflix, disponível na plataforma de streaming. A série, intrigante e viciante, baseia-se num grupo de oito ladrões que tomam de assalto a Casa da Moeda de Espanha, com o objetivo de levarem a cabo um grande roubo. No meio deste thriller psicológico e intenso, as lições de “La Casa de Papel” sobre gestão e liderança são surpreendentes.

Sem spoilers para quem ainda não viu a série, podemos dizer que é interessante observar a estratégia que o Professor (o mentor do assalto), desenvolve para preparar o golpe e as características que ele detém enquanto líder: inteligência emocional e segurança nas decisões.

5 Lições de “La Casa de Papel” sobre gestão e liderança


ALT lideranca e gestao

1. Planeamento

Um aspeto que se destaca no enredo da série é o planeamento minucioso e detalhado do assalto que é o centro da ação. Há um cuidado em planear todos os pormenores e antecipar situações, assim como pensar em soluções.

Como é que a preparação de um roubo se pode aplicar ao mundo da gestão empresarial e liderança? O gestor ou líder tem de ter exatamente este cuidado minucioso e planear bem qualquer tipo de ação, lançamento ou nova oportunidade de negócio ou projeto. A capacidade de antecipação é também uma mais valia para não colocar em causa o trabalho de equipa.

2. Estudo da concorrência

Parte do planeamento e do estudo de mercado, é também importante estudar a concorrência. Saber como eles atuam, quais são os mecanismos e imagens de marca, etc. É também importante conhecer o “inimigo” que pode antecipar os nossos passos. Da mesma forma que, na série, o personagem Professor conhece bem as rotinas e hábitos dos trabalhadores da Casa da Moeda.

3. Equipa

Um bom líder tem de ter cuidado especial com os membros da equipa que reúne para determinado projeto. Uma das melhores lições de “La Casa de Papel” é a diversidade da equipa que é reunida para a tomada da Casa da Moeda. Pessoas com personalidades específicas e diferentes perfis, destinadas a determinadas tarefas.

Apesar das capacidades individuais serem importantes, é também necessário manter uma equipa que possa trabalhar como tal. Um bom líder acaba por fazer uma gestão de egos e personalidades, ao mesmo tempo que motiva os membros da equipa.

4. Formação e preparação

Preparar a ação é fulcral, mas o ensaio geral da mesma também é. Num ambiente empresarial, é importante testar e simular os processos que foram planeados. Apostar na formação dos colaboradores ajuda imenso neste processo, tal como se vê na série – afinal, o grupo de assaltantes preparou-se intensamente para o golpe. Foi preciso haver um período de adaptação à equipa, estudar bem o plano e fazer valer as capacidades individuais de cada um.

5. Assumir os erros

É inevitável que alguma coisa corra mal. Se numa série, estes plot points representam uma viragem na história e um pico dramático, no mundo empresarial uma falha não pode significar a desmotivação dos colaboradores. Falhar é aprender e evoluir.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.