Gripe das aves: tudo o que precisa de saber

A gripe das aves é uma doença muito contagiosa que afeta todos os tipos de aves. Em 2017 voltou a ser notícia por novos surtos infeciosos. Saiba tudo.

Gripe das aves: tudo o que precisa de saber
A gripe das aves foi notícia em 1997. Qual o panorama desta doença?

O ano de 1997 ficou marcado pela gripe das aves, estirpe do vírus H5N1. Este foi um vírus que afetou aves em todo o mundo, sendo que o seu foco teve início numa capoeira na China. Já em 2003, o vírus espalhou-se pela Ásia, Europa e África.

Apesar de tudo, a sua transmissão entre humanos não é fácil, ainda que possa infetar os mesmos de modo ocasional. Este aspeto deve-se, sobretudo, ao facto de o vírus continuar a sofrer mutações. Já em 2017, foram publicadas notícias de novos focos de infeção, nomeadamente em Espanha, França e Alemanha.

Gripe das aves: perigos e cuidados a ter


gripe das aves

Em 1997, contabilizaram-se 18 pessoas infetadas com a gripe das aves, sendo que 6 acabaram por falecer. De modo a tentar controlar o foco infecioso, foram exterminadas mais de 1 milhão de aves na China. Entre as aves infetadas destacam-se os frangos, os patos, perus, gansos, aves domésticas e aves de campo.

Porém, em 2003 surgiram novos casos e, desde então, voltaram a verificar-se casos esporádicos de mortes entre humanos. Até à data, contabilizam-se cerca de 200 mortos, em todo o mundo, vítimas de gripe das aves, sendo que os dados apontam para uma maior prevalência na Ásia, nomeadamente no Vietname.

A transmissão é feita através do contacto direto com aves infetadas, podendo estar vivas ou mortas, sendo que o contágio também pode acontecer por contato com as suas secreções ou fezes. Porém, nem todas as aves infetadas aparentam estar doentes, pelo que o contacto com as mesmas deve inspirar ainda mais cuidados.

Os sintomas da gripe das aves são muito semelhantes aos sintomas da gripe sazonal, caraterizando-se por dores musculares, dores de cabeça, diarreia, vómitos, tosse e febres altas.

Estado da gripe das aves na atualidade

Já no início de 2017 a gripe das aves voltou a ser a notícia, especialmente em França, onde mais de 1 milhão de aves, nomeadamente gansos, patos e galinhas foram mortos. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) veio alertar para uma maior resistência do vírus e para o facto de, por essa mesma razão, se poderem verificar novos surtos.

Isto deve-se, sobretudo, ao facto de se verificarem novas estirpes do vírus, como é o caso do H5N8 ou do H7N9, maioritariamente na China e o país não ter condições para controlar a progressão do vírus.

gripe das aves

Recomendações relativamente à gripe das aves

Apesar de todos os riscos apresentados, ingerir carne de aves não implica qualquer problema para a saúde pública, desde que a carne ou os ovos sejam cozinhados a temperaturas superiores a 70ºC. De todos os modos, e segundo as recomendações do Serviço Nacional de Saúde (SNS), caso encontre uma ave morta deve evitar tocar na mesma, e entrar em contacto com o veterinário local.

Ainda assim, apesar de o risco de infeção ser mínimo, caso tenha tocado no animal morto, lave imediatamente as mãos, evitando sempre tocar no nariz, boca e olhos.

Veja também: