AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Guia de utilização da Segurança Social Direta

Já ouviu falar da Segurança Social Direta? Nós explicamos-lhe para que serve este canal de acesso aos serviços do Instituto da Segurança Social.

Guia de utilização da Segurança Social Direta
Saiba que funcionalidades existem e como fazer o registo

De há uns anos para cá, se precisar de consultar informação registada no sistema de informação da Segurança Social, alterar alguma informação ou propor que a mesma seja alterada não precisa de se deslocar aos serviços de atendimento presencial da Segurança Social.

Para isso existe a Segurança Social Direta, um canal direto, rápido, eficaz, cómodo e seguro que permite às pessoas singulares e às empresas utilizarem grande parte dos serviços através da internet.

Segundo o Instituto da Segurança Social, o principal objectivo deste canal é facilitar e maximizar o relacionamento e a interação do cidadão e das empresas através de um serviço funcional e de proximidade.

Deixam de existir horários e passa a poder aceder a grande parte dos serviços a qualquer dia e a qualquer hora!
 

O que é preciso para usar a Segurança Social Direta?

Antes de mais é preciso ter acesso à internet. Mesmo que não tenha em casa, há vários espaços criados pelas câmaras e juntas de freguesia onde o podem ajudar a aceder ao site deste serviço.

Depois, precisa do seu Número de Identificação da Segurança Social (NISS) e de ter uma palavra-chave para aceder ou utilizar o seu Cartão de Cidadão e um leitor de cartões para fazer a autenticação.
 


Ainda não tenho palavra-chave, como faço?

Se quer usar a Segurança Social Direta mas ainda não tem palavra-chave é fácil.

Basta:
  • Aceder ao portal da Segurança Social na internet;
  • Clicar em “Segurança Social Direta”;
  • Escolher “Efetuar Registo”;
  • Preencher o campo com o seu NISS;
  • Clicar em “Efetuar Registo”;
  • Ler ou imprimir o documento de “Política de Privacidade e Termos de Utilização”;
  • Preencher todos os campos do registo, como nome completo, data de nascimento, número do Cartão do Cidadão, Número de Identificação Fiscal… etc;
  • Introduzir ou confirmar a morada.
 


A minha morada não está correta, o que faço?

A sua morada tem que estar actualizada na Segurança Social Direta, já que a palavra-chave para usar esse serviço será enviada para essa morada.

Caso esteja correta basta clicar em “passo seguinte”. Isso vai dar uma ordem ao sistema para que a palavra-chave seja enviada no prazo de oito dias.

Caso a morada não esteja correta não deve prosseguir com o registo. Antes de mais nada deve atualizar a sua morada através do Cartão do Cidadão. Pode fazê-lo no Portal do Cidadão ou junto de um balcão de atendimento, como a Loja do Cidadão e Espaços do Cidadão, por exemplo.

Depois de ter este percalço resolvido pode voltar ao site da Segurança Social Direta e prosseguir com o registo. E “confirmar” todos os dados. Vai-lhe aparecer um ecrã que indica “Registo efetuado com sucesso!”.
 


Como faço para aceder?

Deve aguardar até receber em casa uma carta com a palavra-chave que lhe permite entrar no site. Depois basta ir ao site da Segurança Social, escolher “Segurança Social Direta” e preencher os campos que pedem o seu NISS e a sua palavra-chave, clicando em “Entrar”.
 


Que serviços posso utilizar na Segurança Social Direta?

Dentro do site da Segurança Social Direta vai ter à disposição vários menus que lhe darão acesso a serviços distintos. Saiba quais são:
  1. Conta-corrente – Encontra informação sobre pagamentos e recebimentos e emissão de documentos de pagamento; pode consultar a sua situação contributiva; consultar notificações recebidas pelas entidades contratantes; saber se há dívidas em execução fiscal, entre outros.
  2. Família – Saber informações sobre abono de família e prova de situação escolar; conhecer outras prestações familiares e subsídios de maternidade, paternidade e adoção.
  3. Emprego – consultar a situação quanto a remunerações e descontos ou sobre o subsídio de desemprego.
  4. Doença – Informações sobre o subsídio de doença ou o Cartão Europeu de Seguro de Doença.
  5. Ação Social - Consultar prestações familiares de crianças/jovens a cargo de instituições; ter acesso a programas de apoio social; comunicar frequências mensais de utentes.
  6. Pensões – aceder a informação sobre pensões e simuladores e conhecer o regime público de capitalização, entre outros.
 
Veja também: