Publicidade:

Pele e olhos amarelos? Saiba como tratar a icterícia

Pode surgir em recém-nascidos e desaparecer em semanas. Mas é em adultos que é mais preocupante. Conheça neste artigo a icterícia e quais as suas causas.

Pele e olhos amarelos? Saiba como tratar a icterícia
O fígado em desenvolvimento nos bebés pode provocar icterícia

Icterícia é o termo médico que descreve a coloração amarelada na pele e nos olhos. Não se trata de uma doença, mas sim um sintoma de possíveis doenças.

Como é que a pele e a parte branca dos olhos ficam amarelos? Devido ao excesso de um pigmento amarelo, a bilirrubina, na corrente sanguínea. Este pigmento é formado pela hemoglobina num processo natural de decomposição e de reciclagem, digamos assim, de glóbulos vermelhos velhos ou lesionados.

No processo normal, a bilirrubina produzida é transportada pela corrente sanguínea até ao fígado e em seguida até ao sistema digestivo até ser eliminada, geralmente através das fezes, sendo uma pequena parte eliminada na urina.

O que acontece no caso da icterícia é que a bilirrubina fica bloqueada no fígado, acumulando-se no sangue e consequentemente depositando-se na pele e olhos. Há várias doenças que podem ser responsáveis por este bloqueio.

Causas da icterícia

figado

Substâncias que danificam o fígado ou que desencadeiam a destruição de glóbulos vermelhos, produzindo uma maior quantidade de bilirrubina que não consegue ser devidamente processada no fígado, podem estar na origem deste problema.

As causas mais comuns de icterícia em adultos são:

  • Abuso de álcool;
  • Infeções;
  • Cancro no fígado;
  • Cirrose;
  • Cálculos biliares;
  • Hepatite;
  • Cancro no pâncreas;
  • Parasitas no fígado;
  • Anemia hemolítica (quando há uma diminuição de glóbulos vermelhos no sangue);
  • Reação adversa ou toma em excesso de um medicamento, como o paracetamol.

A icterícia não surge apenas em adultos. É muito comum surgir em recém-nascidos, sobretudo prematuros, uma vez que o fígado ainda não está suficientemente desenvolvido.

Diagnóstico da icterícia

É fácil perceber se alguém tem este problema. O que é importante definir é o que é que o está a causar. Um exame de sangue vai permitir ao médico determinar a causa da icterícia, permitindo também detetar a existência de doenças como a hepatite.

Podem ser usados outros métodos complementares de diagnóstico como testes de função hepática para perceber o funcionamento do fígado, exames como tomografias computorizadas ou ressonância magnética e biópsias ao fígado que vão permitir retirar pequenos pedaços do tecido deste órgão para análise ao microscópio.

No caso dos recém-nascidos, o diagnóstico é feito retirando uma pequena gota de sangue do pé do bebé. Se os resultados mostrarem que se trata de um episódio grave de icterícia, o pediatra irá aconselhar o devido tratamento.

Tratamento da icterícia

Este vai depender da causa em questão e também da gravidade do problema. Há casos leves de icterícia que podem desaparecer sem necessidade de tratamento.

Por outro lado, casos mais graves podem causar danos a nível cerebral e é importante agir sobre o que está a provocar este fenómeno de pele e olhos amarelos. Logo que comece o tratamento para a causa em específico, a pigmentação amarela diminui.

Nos bebés, na maioria dos casos, a icterícia desaparece no espaço de uma a duas semanas.

A icterícia moderada é tratada através de fototerapia, ou seja, terapia através da luz. A luz vai ser absorvida pela pele e sangue do bebé, permitindo transformar a bilirrubina em resíduos a ser eliminados. Um efeito secundário será a evacuação com fezes esverdeadas, mas isso significa precisamente que este pigmento está a ser expulso do organismo.

Este tipo de terapia pode utilizar uma pequena manta que é colocada em cima do bebé que emite uma luz por fibra óptica e que imita a luz solar.

Em casos mais graves, pode ser necessária uma transfusão de sangue de doador para o recém-nascido para remover a bilirrubina.

Veja também: