Impetigo: contágio, sintomas e tratamento

O impetigo é uma infeção da pele causada por diversas bactérias. Afeta adultos e crianças entre os 2 e os 5 anos e é bastante contagiosa. Saiba mais aqui.

Impetigo: contágio, sintomas e tratamento
Saiba mais sobre esta infeção da pele

O impetigo, vulgarmente conhecido como impinge, consiste numa infeção bacteriana da pele, que afeta sobretudo crianças entre 2 e 5 anos, apesar de também poder surgir em adultos.

É uma doença contagiosa, que aparece com mais regularidade nos meses quentes de verão.

A nossa pele é colonizada por biliões de bactérias, sendo algumas colonizadoras persistentes e outras colonizadoras transitórias. Normalmente, a nossa convivência com estas bactérias não nos causa problemas porque a pele atua como um escudo, impedindo o contacto de germes do meio externo com o nosso meio interno.

As doenças dermatológicas infeciosas – nomeadamente o impetigo – surgem, por norma, quando há alguma lesão que corrompe esta barreira da pele, favorecendo a entrada de bactérias para o interior do nosso corpo.

Existem três formas de impetigo, mas todas se tratam da mesma maneira.

Impetigo: formas de contágio

Os agentes infeciosos causadores do impetigo são os estafilococo ou estreptococo e o seu período de incubação dura entre um a três dias. A infeção ocorre em zonas da pele que já estejam lesadas ou fragilizadas, nomeadamente:

A infeção ocorre mais rapidamente se a pele estiver quente ou húmida, como nos casos em que está tapada com pensos. As bactérias viajam facilmente de umas áreas do corpo para as outras e são transportadas pelas mãos do doente quando coça as lesões.

Impetigo: principais sintomas

  • Normalmente, as zonas infetadas  apresentam pequenas crostas cor de mel que, por sua vez, são rodeadas por zonas de pele avermelhada;
  • Podem aparecer vesículas que podem rebentar e provocar uma úlcera que, rapidamente, cicatriza;
  • Não provoca febre.

Impetigo: formas de tratamento

  • Deve lavar a zona afetada com água morna e massajar muito suavemente para as crostas amolecerem e serem removidas;
  • Deve desinfetar a pele lesada com álcool e colocar sempre um creme que tenha propriedades antibióticas 3 vezes ao dia, até as crostas desaparecerem;
  • Se a zona da pele lesada for muito extensa poderá ser necessário tomar um antibiótico via oral;
  • O doente deve permanecer por casa enquanto as crostas não desaparecerem, de modo a não haver possibilidade de contágio.

 

Veja também: