InterRail: as 10 melhores dicas para fazer um este ano

O InterRail foi pensado à medida de quem procura aventura nas férias. Mas para que não fique desprevenido ou tenha surpresas desagradáveis, é preciso planear.

InterRail: as 10 melhores dicas para fazer um este ano
Dicas para programar uma viagem que não vai esquecer

Qualquer que seja o sítio onde fique, arranjamos quarto para dormir

O interRail é uma forma barata, prática, divertida e intensa de conhecer outros países. Mas antes de partir à aventura há que planear detalhadamente a sua viagem, não só os sítios que pretende visitar, mas também o que levar na mala e – muito importante – que cuidados ter. 


Como planear um interrail em 10 dicas essenciais

Quem já fez um interRail recomenda vivamente esta experiência, pelo menos a grande maioria. A verdade é que fazer um interRail lhe permite mais do que colecionar histórias. Vai certamente trazer também na “bagagem” amigos novos e imensas descobertas. Vai poder conhecer os cantos mais escondidos do velho continente e guardar memórias que jamais vai esquecer. 

Oferta não falta. Por norma, os passes duram até um mês e durante esse tempo poderá descobrir tudo aquilo que a Europa tem para oferecer. Das grandes capitais até pequenas aldeias, praias fabulosas, montanhas de cortar a respiração e pessoas inesquecíveis. Mas para evitar surpresas desagradáveis é importante planear a sua viagem ao pormenor. Saiba como. 


1. Destinos 

Tudo depende do que procura. Não faltam ótimos destinos de interRail na Europa. No Verão, o sul do continente é muito requisitado, pelo mar e bom tempo, mas os países do norte também não ficam de fora das escolhas nesta época do ano. Já quem procura diversão noturna, não deixa de fora cidades como Barcelona, Belgrado ou Roma, por exemplo. Para quem pretende algo mais cultural destacam-se Paris, Berlim, ou Praga. Mas isto são apenas alguns exemplos de uma oferta, atualmente, bastante ampla.

A CP – Comboios de Portugal, por exemplo, tem no seu site toda a informação sobre os programas de interRail que disponibiliza. Pode optar por comprar o interRail one country pass para um único país ou o interRail global que cobre a maioria dos países europeus (30 no total) e inclui também algumas ligações de barco entre a Itália e a Grécia. A par da CP pode ainda visitar os sites interrail.eu ou rail.cc, onde vai poder encontrar não só bilhetes, mas dicas muito úteis para a sua viagem. 
 


2. Plano de viagem

É impossível conhecer toda a Europa numa única viagem, por isso, o ideal é que planeie a viagem de forma a que consiga cumprir os seus objetivos. O segredo aqui é saber fazer uma boa gestão do tempo. Portanto, antes de partir pesquise os locais que pretende visitar e defina as atividades a realizar. De preferência, escolha países próximos uns dos outros para não gastar o tempo todo em viagens. 



3. Bagagem

Aqui está algo a que deve dedicar algum tempo e atenção. É importante que tenha duas coisas em mente: pense em tudo atempadamente para que não lhe falte nada, mas não leve a casa atrás. Lembre-se que vai ter que carregar com tudo, todos os dias. Por isso, aposte no essencial, leve vestuário que seja flexível, leve, fácil de secar e no qual se sinta confortável, que deverá ser adequado à época do ano em que vai fazer o interRail. E claro, não se esqueça de levar medicamentos de que possa necessitar e, porque não, um kit de primeiros socorros feito por si.



4. Saúde

Antes de partir faça um cartão europeu de saúde. Assim, vai poder ter acesso a cuidados de saúde de que possa eventualmente necessitar noutros países da Europa. 



5. Documentos 

Além do cartão europeu de saúde, deve garantir que leva consigo a documentação necessária. Não só os seus documentos de identificação, mas também o cartão jovem/de estudante que lhe pode dar descontos nas entradas em museus e monumentos. Muito importante: antes de partir faça cópias dos seus documentos de identificação e do seu bilhete, podendo também fazer uma digitalização e enviar para o seu email, de forma a poder aceder aos mesmos em caso de perda ou roubo.



6. Segurança

Viaje com um mapa, dos antigos, em papel. Pode dar-lhe muito jeito. Tenha muita atenção às suas coisas e informe a embaixada portuguesa nos países por onde vai passar sobre o seu período de permanência e deixe o seu contacto. E claro, ande sempre com o dinheiro e o seu bilhete ocultados. Nunca deixe a sua mochila em locais que não estejam vigiados e tenha atenção aos locais onde vai usar a sua máquina fotográfica e telemóvel.



7. Essenciais

  • Chapéu
  • Impermeável
  • Saco-cama e colchão de espuma
  • Protetor solar
  • Kit farmácia … e não só! (como aspirinas, bepanthene plus, Imodium, pensos rápidos, preservativos, etc.) 
  • Canivete
  • Corta-unhas
  • Lanterna
  • Telemóvel
  • Carregador de telemóvel
  • Máquina fotográfica
  • Escova e pasta de dentes
  • Desodorizante
  • Espuma e lâmina de barbear 
  • Papel higiénico e lenços de papel
  • Gel de banho - que funcione também como champô
  • Toalha – que dê como toalha de praia
  • Chinelos – essenciais em balneários, por exemplo
  • Mapas, guias, horários e notas
  • Corda e fita-cola

Os hostels têm condições para fazer as suas próprias refeições pelo que não será necessário levar material para cozinhar. Se vai acampar, um garfo, colher e copo de plástico, uma panela, uma pequena botija de gás e uma tenda são indispensáveis.



8. Língua

O inglês é falado ou pelo menos compreendido em grande parte do território europeu. Ainda assim, será de bom-tom saber algumas palavras na língua do país que está a visitar, como “olá”, “bom dia”, “por favor”, “obrigado” ou – ainda – “fala inglês?”. É sempre uma boa forma de começar uma simples conversa de ocasião ou para pedir ajuda, se necessário.



9. Rail planner

Instale a aplicação rail planner. Trata-se de uma ferramenta que lhe dá informações de comboios, onde quer que esteja e funciona offline. É também ótima para planear sua viagem com antecedência e ter acesso a algumas dicas úteis. 
 


10. Outras dicas

  • Assim que chegar à estação, trate de tudo para a próxima viagem. Assim, caso - por alguma razão - se atrasar, já tem tudo pronto. 
  • Se não vai dormir numa determinada cidade, alugue um cacifo para guardar a mochila. Leve apenas o dinheiro, documentos, bilhete e cópias, a máquina e telemóvel, água e um snack. Assim anda mais leve e tem as suas coisas em segurança. 
  • Mal chegue a um destino, comece sempre por tratar do alojamento ou de fazer o check-in. Assim pode libertar-se do preso da mochila e começar a conhecer  a cidade, levando consigo apenas o essencial (sempre!). 
  • Antes de partir, veja se pode ter algum pacote de dados moveis ou chamadas em roaming a preços mais atrativos e assim evitar custos astronómicos com o telemóvel. Por outro lado, privilegie sempre a internet do hotel ou hostel onde ficar hospedado. 
  • Ainda que o euro seja a moeda comum a quase todos os países da Europa, há alguns casos onde isso não acontece, por isso verifique sempre se não tem que fazer câmbio. Se tiver, faça-o sempre nas estações de comboio. O melhor é levantar o dinheiro diretamente no multibanco e em quantidades maiores que o habitual.


InterRail: preços e orçamento

Os preços do interRail variam em função da classe (1ª ou 2ª classe), do número de dias (mínimo de 5 dias, até ao máximo de 30 dias) e, claro, do número de países que vai visitar. No caso de escolher fazer um interRail por mais do que um país, os preços podem ir dos 200 aos 800 euros, sensivelmente, tendo em conta também a sua idade (os valores variam dos 12 aos 65+ anos). Consulte aqui os preços e condições em vigor.

A maioria das pessoas acaba por gastar mais do que previa, mesmo que tenha feito um planeamento muito cuidado. Recordações, oportunidades do momento, atrasos ou locais esgotados implicam, na maior parte dos casos, um acréscimo de custos. Mas não tente cortar custos na alimentação e no alojamento ou acaba por não desfrutar da viagem.

Desejamos-lhe uma ótima viagem!

  Hotéis, apartamentos e quartos no mundo inteiro, a preços mínimos garantidos >>
Veja também: