IRS em papel em 2017: como e para quem

Em 2017 apenas alguns contribuintes podem entregar a declaração de IRS online ou em papel. Se vai preencher o IRS em papel, conheça aqui os cuidados a ter.

IRS em papel em 2017: como e para quem
Entrega destinada a trabalhadores por conta de outrem

Se em 2016 apenas obteve rendimentos por conta de outrem, poderá optar pela entrega da declaração de IRS em papel ou via internet.

Caso opte por preencher a Declaração de Rendimentos de IRS – Modelo 3 – em papel, gostará de saber que se tiver de preencher os anexos D, E, I e L da declaração de IRS, então terá obrigatoriamente de a enviar via internet.

Os anexos em causa dizem respeito aos seguintes rendimentos:

  • Anexo D – Rendimentos de sociedades sob regime de transparência;
  • Anexo E – Rendimentos de capitais;
  • Anexo I – Rendimentos de heranças indivisas;
  • Anexo L – Rendimentos de residentes não-habituais.

IRS em papel: prazos de entrega

Este ano, uma das novidades do IRS é o facto do prazo de entrega da declaração ser igual para todos, independentemente da categoria (trabalhador dependente, pensionista ou trabalhador independente).

Entre 1 de abril e 31 de maio de 2017 pode entregar a Declaração de Rendimentos de IRS, mas não se esqueça que qualquer atraso na entrega pode valer-lhe coimas avultadas – além das declarações com erros.

IRS em papel: impressos, preenchimento e local de entrega

Um dos principais cuidados a ter no preenchimento do IRS em papel é utilizar um lápis para poder corrigir os valores e não ter de comprar uma declaração nova. Também é aconselhável usar uma caligrafia legível.

Reúna ainda todos os documentos necessários, tais como a declaração Modelo 3, os respetivos anexos a preencher, o cartão de cidadão, cartão de contribuinte, o NIB, declarações de rendimentos e de retenções, comprovativos de despesas dedutíveis.

Tenha ainda os seguintes cuidados:

1. Compre os impressos necessários numa repartição das Finanças. A declaração em papel é sempre apresentada em duplicado;

2. Preencha a declaração com uma letra legível;

3. Dirija-se a uma repartição das Finanças para entregar a declaração. Leve consigo o Cartão de Cidadão, assim como o do seu cônjuge, dependentes e ascendentes que façam parte do agregado familiar;

4. Receberá o duplicado da declaração, devidamente autenticado pelos serviços das Finanças;

5. Em alternativa, pode enviar a declaração por correio. Nesse caso, remeta-a à direção distrital de Finanças ou para o serviço da sua área de residência em carta registada com aviso de recepção. Inclua um envelope selado com a sua morada (para receber posteriormente o duplicado da declaração) e fotocópias dos seus documentos identificativos dos membros do agregado familiar.

Para quem opta pela entrega via internet, a Autoridade Tributária, por norma, antecipa a entrega do reembolso. Os contribuintes que optem por entregar a declaração de IRS em papel recebê-lo-ão mais tarde.

Se tiver direito a reembolso, o prazo máximo para o receber é até ao dia 31 de julho – sendo que até 31 de agosto este imposto tem que ser pago -, isto de acordo com informação do Portal das Finanças. Todavia, podem existir sempre pequenos atrasos.

Veja também: