De Shakespeare a Harry Potter: 8 sucessos da literatura inglesa

Relembre uma parcela da literatura inglesa e alguns escritores que se eternizaram pelas suas obras e personagens. Desde os mais tradicionais aos sucessos do momento.

De Shakespeare a Harry Potter: 8 sucessos da literatura inglesa
Aventure-se! Faça parte destas histórias!

Faça parte desta aventura no mundo da literatura inglesa, viaje até aos tempos de Shakespeare, onde pode encontrar personagens e histórias intemporais como Hamlet ou Romeu e Julieta, passe por Sherlock Holmes e chegue às atuais e mediáticas como Hobbit ou Harry Potter.

Para além de imergir no tempo, na vida e obra dos autores, pode ainda aperfeiçoar os seus conhecimentos em cultura, língua e literatura inglesas, lendo as obras na sua língua original e/ou assistindo a peças de teatro, filmes, visitando locais e museus que procedem das mesmas.

Por serem tão relevantes na literatura inglesa e mundial, alguns destes autores tornaram-se ícones de referência, algumas das suas obras geram lucros avultados, conduzem a autênticas peregrinações a locais de onde os autores são originários, àqueles em que os filmes a que deram origem foram rodados, a museus e a inúmeras iniciativas culturais, turísticas e de lazer.
 

8 casos de sucesso da literatura inglesa


1. William Shakespeare (1564 - 1616)

Incontornável figura da literatura inglesa e universal, é considerado um dos maiores dramaturgos de sempre. Conhecido como “poeta nacional da Inglaterra”, Shakespeare nasceu a 23 de abril de 1564, em Stratford-upon-Avon, e morreu a 23 de abril de 1616.

Stratford-upon-Avon é um belo local a visitar, uma cidade situada no condado de Warwickshire ao sul de Birmingham. A sua principal atração turística está relacionada com as casas de William Shakespeare e as suas propriedades. É mundialmente conhecida por ser o lugar de nascimento de William Shakespare. A cidade está vinculada ao teatro e ao turismo e recebe cerca de três milhões de visitantes por ano vindos de todo o mundo.

Poeta, dramaturgo e ator, entre 1585 e 1592, passou a integrar a companhia de teatro Lord Chamberlain’s Men. A obra de Shakespeare é bastante vasta: mais de 150 sonetos escritos, além das peças que vão desde encenações histórias, como Henrique VI, a tragédias que exploram, em diversos aspetos, a condição humana, como Romeu e Julieta, Hamlet, Rei Lear e Otelo.

Principais obras: “Romeu e Julieta”, “Sonho de uma noite de verão”, “Júlio Cesar”, “A comédia dos erros”, “Hamlet”, “Rei Lear” e “Macbeth”, consideradas algumas das obras mais importantes da literatura inglesa.




2. Jane Austen (1775 - 1817)

A autora de Orgulho e Preconceito é a primeira mulher da nossa lista. As suas obras representam uma das primeiras contribuições literárias a um movimento feminista ainda ténue.

Em Jane Austen encontramos protagonistas mulheres com uma autonomia maior do que em outros títulos da época. As suas obras apresentam diálogos fortes e transbordam ironia. As personagens de Jane Austen carregam com elas uma profundidade psicológica poucas vezes encontrada noutros autores românticos ingleses.

Principais obras: “Sensibilidade e bom senso”, “Orgulho e preconceito”, “Emma” e “Persuasão”.

 

3. Charles Dickens (1812 - 1870)

Nascido em 1812, em Portsmouth, na Inglaterra, Charles Dickens é considerado o mais popular dos romancistas ingleses da era vitoriana.

O seu primeiro romance de sucesso foi “Oliver Twist”, que retratava os males da sociedade na era vitoriana. Apesar de os seus romances não serem considerados, pelos parâmetros atuais, muito realistas, Dickens contribuiu em grande parte para a introdução da crítica social na literatura inglesa de ficção.

Principais obras: “David Copperfield”, “Oliver Twist”, “Bleak house”, “Great expectations”.

 

4. Oscar Wilde (1854 - 1900) 

Oscar Wilde nasceu em 1854, na Irlanda, em Dublin, onde frequentou o Trinity College. Mas foi só quando se mudou para Inglaterra, depois de difundir o movimento estético que pregava o belo como antídoto para os horrores da sociedade industrial em Paris e nos Estados Unidos, que ele iniciou sua fase mais produtiva como poeta, dramaturgo e literato.

Foi um influente escritor, poeta e dramaturgo britânico. Depois de escrever de diferentes formas ao longo da década de 1880, tornou-se um dos dramaturgos mais populares de Londres, em 1890. Hoje é lembrado pelos seus epigramas e peças, e as circunstâncias da sua prisão (foi condenado a dois anos de prisão por “cometer atos imorais com rapazes”).

Principais obras: “O leque de Lady Windermere”, “Uma mulher sem importância”, “O príncipe feliz”, “O rouxinol e a rosa”, “ O retrato de Dorian Gray”.

 

5. Sir Arthur Conan Doyle (1859 - 1930) 

Sir Arthur Ignatius Conan Doyle nasceu a 22 de maio de 1859, em Edimburgo, no Reino Unido. Além de escritor, foi médico. Porém, o que o tornou um cidadão conhecido mundialmente foi a sua personagem Sherlock Holmes.

Para a criar, Sir Arthur Conan Doyle inspirou-se num professor muito arguto, que constantemente apresentava as suas deduções a partir de determinadas situações. Este detetive ficou tão famoso, que ainda hoje é uma das personagens mais retratados em séries e filmes.

No total, o autor escreveu mais de 60 aventuras desta personagem. Uma curiosidade interessante foi o facto de Sir Arthur Conan Doyle matar a sua personagem para se dedicar a outras facetas da literatura inglesa, mas depois ter que a ressuscitar por exigência dos seus fãs.

Principais obras: “As aventuras de Sherlock Holmes”, “Um estudo em vermelho”, “O cão dos Baskervilles”, “O signo dos quatro”; “O vale do terror”.

 

6. Agatha Christie (1890 - 1976) 

Agatha Mary Clarissa Christie, ou simplesmente Agatha Christie, nasceu em 1890, em Torquay, na Inglaterra e foi considerada a “Dama do Crime”.

A romancista, contista, dramaturga e poetisa consagrou-se ao dar vida ao detetive belga Hercule Poirot, que desvenda mistérios com finais surpreendentes.

Hercule Poirot ou simplesmente Poirot é um grande detetive fictício e protagonista da maioria dos livros de Agatha Christie (o detetive aparece em mais de 40 romances da autora), comparável apenas a Sherlock Holmes. Grande parte das obras onde Poirot aparece tornaram-se filmes, séries de televisão, rádio e teatro. Inspiração máxima para o género policial, as suas obras venderam milhões de cópias ao longo dos séculos XX e XXI.

Principais obras: “O assassinato de Roger Ackroyd”, “Morte na praia”, “Assassinato no Expresso Oriente”, “Os crimes ABC”, “O caso dos dez negrinhos”, “Convite para um homicídio".

 

7. J. R. Tolkien (1892 - 1973) 

John Ronald Reuel Tolkien nasceu a 3 de janeiro de 1892, na África do Sul, e foi considerado o pai da literatura fantástica moderna.

Com 3 anos de idade, a sua família voltou para Inglaterra, terra de origem dos seus pais, onde foi naturalizado. Tolkien formou-se em letras pela Universidade de Exeter e, durante a Primeira Guerra Mundial, começou a escrever obras ligadas à fantasia.

O criador dos Hobbits consagrou-se com a trilogia “O Senhor dos Anéis”: as suas obras foram traduzidas para mais de 34 línguas e venderam mais de 200 milhões de cópias.

Principais obras: “Senhor dos anéis”, “A sociedade do anel”, “As duas torres”, “O retorno do rei”, “O Hobbit” e “Silmarillion”.

 

8. J.K. Rowling (1956) 

J.K. Rowling é uma das autoras britânicas mais mediáticas do Reino Unido na atualidade. Nasceu em 1956, em Yates, Inglaterra e é a autora dos sete livros da famosa e premiada saga Harry Potter, que foi traduzida em mais de 64 línguas.

Os livros de J.K Rowling venderam mais de 450 milhões de exemplares e foram adaptados ao cinema com um sucesso estrondoso em todo o mundo. A série de filmes é distribuída pela Warner Bros. e consiste em oito filmes, que iniciou com Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001) e “finalizou” com Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 (2011). Finalizou entre aspas, porque, efetivamente, a inspiração na saga e personagem voltaram ao cinema em 2016 e prometem continuar.

Uma curiosidade interessante foi a sua aventura na cidade do Porto, onde a autora viveu, por ter sido convidada para dar aulas de inglês, e a sua ligação à Livraria Lello, cujas célebres escadarias de madeira a inspiraram para criar as escadas de Hogwarts, que teimam em não parar quietas e em conduzir os alunos a zonas do castelo onde eles não pretendem ir.

Principais obras: “Harry Potter e a pedra filosofal”, “Harry Potter e a câmara secreta”, “Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban”, “Harry Potter e o cálice de fogo”, “Harry Potter e a ordem da fénix”, “Harry Potter e o enigma do príncipe”, “ Harry Potter e as relíquias da morte”.
 


Universo da literatura inglesa

Deixamos-lhe aqui algumas sugestões de leitura ou de filmes a que poderá recorrer para aperfeiçoar o seu inglês ou simplesmente para usufruir nos seus momentos de lazer.

Adicionalmente, a literatura inglesa está tão presente em Londres, que as obras de alguns autores britânicos deram origem a atrações muito especiais para os leitores.
 

Se viajar até Londres, aproveite o universo da literatura inglesa na cidade:

  • Museu de Sherlock Holmes, em Baker Street
  • Peça de Agatha Christie, Mousetrap, peça há mais tempo em cartaz em todo o mundo
  • Museu de Charles Dickens
  • Teatro de Shakespeare, o Shakespeare’s Globe, é um teatro a céu aberto que recria a arena onde eram encenadas as peças de Shakespeare no seu tempo
  • Bar Mr. Fogg’s, totalmente inspirado no livro “Volta ao Mundo em 80 Dias”, de Júlio Verne
  • Estúdios de Harry Potter, da Warner Bros, para conhecer os cenários dos filmes de Harry Potter

Nice readings and have fun!

Veja também:

Os mais vistos