Publicidade:

Luto: como lidar com a perda de alguém especial

O turbilhão de sentimentos característicos do processo de luto não ocorre desordenadamente. Quem vive o luto precisa de tempo até alcançar paz e aceitação.

Luto: como lidar com a perda de alguém especial
O que fazer quando alguém que amamos vai embora?

A experiência de luto é uma das mais dolorosas e intensas que podemos viver. Apesar de a dor ser inevitável, quando mais conscientes estivermos sobre a intensidade e a forma como cada um vive o luto, mais facilmente conseguiremos lidar com este processo tão difícil.

O que é o luto?


O luto é, claro está, uma parte natural da vida. É a resposta natural que tem lugar devido à perda de uma pessoa ou algo importante para nós. Não é desencadeado apenas pela morte de alguém significativo, mas também por outras perdas, como divórcio, perda de um emprego, a doença de alguém próximo, pela morte do animal de estimação e, até, pelo casamento de um filho.

lutoFonte: Pexesl/kasuma

É quase um consenso que a perda por morte constitui a mais difícil de todas estas experiências, pois remete para um sentimento de impossibilidade de reverter a mesma, ou seja, de reaver o ente querido.

O processo de luto pode durar muito tempo e é acompanhado por sofrimento físico e psicológico. Pode complicar-se quando os sintomas duram tempo exagerado ou quando são demasiado intensos e interferem de forma significativa nas atividades do dia a dia.

Muitas vezes, o luto pode ser acompanhado de quadros de depressão, ansiedade e abuso de substâncias. Noutras vezes, acontece o oposto: a pessoa vive um luto ausente – ou seja, os sintomas típicos do processo de luto não acontecem e a pessoa mantém-se em choque ou nega a morte. Nestes casos, de luto complicado e patológico, é essencial pedir ajuda.

As 5 fases do luto


Para resolver um luto é necessário passar por ele e experimentar todas as emoções associadas à perda – isso para que, depois, exista espaço para novas emoções, como a saudade.

Este processo desenvolve-se em 5 fases, pelas quais a pessoa enlutada precisa passar para resolver o seu luto de forma saudável. Estas fases não são vividas de igual forma por todas as pessoas. Entenda mais sobre estes períodos após uma perda.

1. Fase da negação e choque

  • Fase da descrença;
  • Momento em que a perda não parece possível.

2. Fase da raiva

  • Pensamentos do tipo “ porquê a mim?”.

3. Fase da negociação

  • Tentativa de fazer a vida voltar ao que era antes.

4. Fase da depressão

  • Quando se toma consciência que a perda é inevitável e incontornável;
  • Podem surgir alterações do sono e apetite;
  • Pode ocorrer um tempo depois da perda e não imediatamente a seguir.

5. Fase da aceitação da perda

  • Quando se aceita a perda com paz e serenidade, sem desespero nem negação;
  • O espaço vazio deixado pela perda é preenchido;
  • É natural sentir tristeza e saudade, mas a paz vai sendo recuperada.

 

lutoFonte: Pexels/sameel-hassen

Sintomas característicos


Diversos sintomas são característicos do processo de luto. Fique atento aos mais comuns.

Sintomas físicos

  • Hiperatividade ou baixa atividade;
  • Alterações no apetite;
  • Flutuações de peso;
  • Cansaço;
  • Falta de ar;
  • Aperto na garganta;
  • Vazio no estômago;
  • Aperto no peito;
  • Alterações do sono;
  • Falta de energia.

Sintomas emocionais

  • Tristeza;
  • Raiva;
  • Alívio;
  • Medo;
  • Irritabilidade;
  • Culpa;
  • Solidão;
  • Saudade;
  • Ansiedade;
  • Abandono;
  • Vulnerabilidade;
  • Hostilidade;
  • Desamparo;
  • Apatia;
  • Dependência dos outros ou evitamento dos outros.

Sintomas comportamentais

  • Comportamentos de procura pela pessoa falecida;
  • Vaguear sem objetivo;
  • Sentir necessidade de contar a história da morte da pessoa querida;
  • Evitar coisas que lembrem a pessoa que faleceu;
  • Inquietação.

Sintomas cognitivos

  • Confusão;
  • Esquecimentos;
  • Dificuldades de concentração;
  • Pensamentos obssessivos.

15 conselhos para lidar com a perda


Se está a atravessar um processo de luto, tente alcançar o equilíbrio que lhe permita aprender a viver com a perda. Algumas destas dicas podem ajudar:

1. Aceite que a perda é definitiva;

2. Fale com família e amigos;

3. Estabeleça novas relações;

4. Procure ajuda psicoterapêutica se sentir essa necessidade;

5. Participe em grupos de apoio, religiosos ou não;

6. Participe em atividades sociais;

7. Leia livros sobre o assunto;

8. Descanse e relaxe;

9. Restabeleça os padrões de sono, alimentação e exercício físico;

10. Dê-se o direito de se divertir sem se sentir culpado;

11. Recorde como lidou com situações anteriores de perda e sofrimento – a forma como se lidou com sucesso com situações semelhantes no passado pode ajudar;

12. Evoque memórias positivas e negativas com a pessoa que se perdeu;

13. Regresse às velhas tradições (Natal, Páscoa, aniversários…) de forma gradual, ou crie novas formas de viver as festas;

14. Procure coisas positivas na sua vida;

15. Não esqueça que é natural que demore muito tempo a “cicatrizar” a dor e que haverá uns dias melhores que outros.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!