Martim Branco: a aldeia onde ainda se benze a massa do pão

O cheirinho a pão acabadinho de cozer em forno de lenha é uma das marcas distintivas da Aldeia do Xisto de Martim Branco. Irresistível de tão genuína.

Martim Branco: a aldeia onde ainda se benze a massa do pão
Uma das aldeias mais genuínas da região Tejo-Ocreza

A Aldeia do Xisto de Martim Branco pertence ao concelho de Castelo Branco. Ergue-se nas margens da Ribeira de Almaceda, numa envolvente paisagística idílica, e, apesar de ser pequenina e do casario em xisto ser modesto, a aldeia tem um ambiente muito familiar, tradicional, que lhe confere um caráter genuíno e uma beleza fora do normal.

As construções são sobretudo destinadas a habitação, a palheiros, a fornos comunitários e açudes. Todos os dias cheira a pão acabadinho de cozer em forno de lenha ou mesmo a cabrito e à doçaria regional.

Aliás, os fornos comunitários, recentemente recuperados, funcionam também como ponto de encontro das gentes da aldeia. Conversa-se, contam-se histórias, trabalha-se e recebe-se os visitantes com muito carinho. É, sem dúvida, um lugar de visita obrigatória para quem quer conhecer melhor as aldeias das terras do interior.

Martim Branco: o que visitar e onde ficar

martim-branco

martim-branco

Martim Branco estende-se numa encosta soalheira da margem esquerda da Ribeira de Almaceda – que circunda a aldeia e vai desaguar no rio Tripeiro, um dos afluentes importantes da margem direita do rio Ocreza. A par das casas de xisto, a ribeira é um dos destaques da aldeia, portanto o passeio por lá é aconselhado.

Apesar de não ter património construído do tipo religioso ou cultural, a visita aos fornos comunitários e aos moinhos ocupam praticamente uma tarde, pois muitas são as histórias que as gentes lhe vão querer contar.

Aconselhamos ainda que vá bater à porta da Casa das Artes e Ofícios, uma antiga residência transformada para reativar os moinhos da Ribeira de Almaceda e a cultura do linho e do tear. Aqui funciona também uma Loja Aldeias do Xisto, que dá oportunidade aos artesãos da região de exporem e venderem o seu trabalho.

Distando um total de 24 km de Castelo Branco, Martim Branco está a escassos 2km da EN112, a estrada que de Castelo Branco procura passar entre a Serra do Muradal e da Gardunha, rompendo a Serra do Açor a caminho da Serra da Lousã. Vai ficar encantado com a beleza paisagística destas terras do interior, sobretudo agora na primavera…as cores da paisagem são belíssimas.

Onde ficar?

Em Martim Branco pode ficar hospedado na unidade de turismo rural Xisto Sentido, que disponibiliza quatro casinhas de xisto cuidadosamente recuperadas. As casas têm Wi-Fi, ar condicionado, um belíssimo jardim e todas as comodidades para fazer uma churrascada. Além disso, o Restaurante Bem Me Quer, que integra a unidade de turismo rural oferece-lhe algumas das mais deliciosas iguarias da gastronomia beirã.

1. Casa Rosmaninho

martim-branco

Pode alugar a casa inteira por 55€/noite. Faça aqui a sua reserva >>

2. Casa Alecrim

restaurante-bem-me-quer

Para dois hóspedes, pode alugar a casa inteira por 60€/noite. Faça aqui a sua reserva >>

3. Casa Amores Perfeitos

martim-branco

Para dois hóspedes, pode alugar a casa inteira por 55€/noite. Faça aqui a sua reserva >>

4. Casa Alfazema

martim-branco

Para dois hóspedes, pode alugar a casa inteira por 55€/noite. Faça aqui a sua reserva >>

Veja também: