PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Medula óssea: tudo o que quer saber

Já ouviu falar sobre medula óssea e não sabe do que se trata? Saiba a importância deste tecido para o bom funcionamento do corpo humano.

Medula óssea: tudo o que quer saber
Descubra a importância deste tecido para o bom funcionamento do organismo

A medula óssea é um tecido mole rico em nutrientes que está presente no interior dos ossos e que constitui cerca de 4% do peso total do corpo humano (perto de 2,6 kg). É nesse tecido que podem ser encontradas as células estaminais que se renovam frequentemente e que permitem criar qualquer outra célula do sangue periférico. 
 

A importância da medula óssea

É na medula óssea que são criados os componentes do sangue. Os leucócitos (glóbulos brancos), as hemácias (glóbulos vermelhos) e as plaquetas. O oxigénio é transportado pelo organismo através dos glóbulos vermelhos e os leucócitos são os responsáveis pelo combate às infeções e doenças que afetam o nosso organismo. Já as plaquetas estão responsáveis pelo controlo das hemorragias através da formação de coágulos sanguíneos.

A hemoglobina (Hb) é a proteína que pode ser encontrada nos glóbulos vermelhos e está responsável pela captação de oxigénio que é posteriormente libertado para oxigenar os órgãos do organismo. A Hb também é responsável pela remoção do dióxido de carbono (CO2) do corpo, já que faz o “transporte” do CO2 para os pulmões, onde é expelido.

Existem, ainda, seis tipos de glóbulos brancos, essenciais para o bom funcionamento do sistema imunológico:
  • Linfócitos – produzem os anticorpos naturais que combatem os vírus que entram no organismo através do nariz, boca ou cortes superficiais. A produção de linfócitos aumenta sempre que o organismo deteta “corpos” estranhos; 
  • Monócitos – são os responsáveis pela destruição de bactérias e alguns fungos que se alojem no organismo; 
  • Granulócitos – agregam três tipos de leucócitos (neutrófilos, eosinófilos, basilófios) e permitem uma resposta rápida do organismo em caso de infeção; 
  • Neutrófilos – responsáveis pela destruição de bactérias e vírus; 
  • Eosinófilos – combatem as infeções parasitárias e algumas reações alérgicas; 
  • Basófilos – são os leucócitos menos comuns e atuam em casos de irritação e inflamação, como é o caso da asma, urticária e do choque anafilático. 

A medula óssea é, então, a responsável pela produção de células sanguíneas saudáveis responsáveis pelo controlo das infeções e doenças que ataquem o nosso corpo. 

 

Medula óssea e espinal-medula. Qual a diferença?

A medula óssea está presente no interior dos ossos e a espinal-medula, produzida através de tecidos nervosos, está presente no interior da coluna vertebral e transmite, a partir do cérebro, os estímulos nervosos para todo o corpo.

 

Síndrome Mielodisplástica: o que é?

Quando a medula óssea não é capaz de produzir o número suficiente de células sanguíneas saudáveis falamos da Síndrome Mielodisplástica (SMD).

Nestas situações podem surgir doenças como a anemia, linfomas, leucemia e tumores. Nestes casos mais graves é feito o transplante da medula óssea. 

Veja também: