As melhores dicas para quem vai fazer um safari

Para verdadeiros aventureiros, fazer safaris é um sonho de sempre. Não espere mais: siga as nossas dicas e prepare-se para explorar a vida selvagem das savanas e selvas africanas!

As melhores dicas para quem vai fazer um safari
Tudo o que precisa saber

Se é um amante da vida natural e não abdica de uma boa dose de adrenalina, fazer safaris é a escolha ideal para si. Estas expedições, que começaram como caçadas, hoje em dia consistem sobretudo na observação e fotografia da vida selvagem típica da selva e savana africanas (elefantes, leões, primatas, jibóias e muitos outros animais exóticos).
Assim, quando tomar a decisão de partir à aventura, comece por ter em conta estas dicas que recolhemos para si:
 

1. Preparar a viagem

  • Evite as temporadas das chuvas – no leste de África, ocorrem em abril e maio; na África meridional, entre dezembro e março; na África do Sul, entre novembro e maio.
  • Prepare o passaporte e, em caso de necessidade, o respetivo visto – confirme com o seu agente de viagens o tipo de visto a prever.
  • Trate das vacinas atempadamente – visitas a países exóticos implicam uma série de vacinas, antes da partida; confirme a lista com o seu médico (aproveite para questionar qual o material profilático a levar).
  • Certifique-se que o seu seguro de saúde está em ordem – ou faça um especificamente para a duração da estadia, junto da sua agência de viagens.
  • Informe-se sobre o país que pretende visitar  (cultura, etc.) - consulte bons livros e sites sobre África e fazer safaris, antes de tomar a sua decisão.



2. Preparar a mala

Pense em roupas leves e confortáveis:
  • t-shirts, camisas e roupa interior de algodão; calções e jeans;
  • polar ou blusão (para a noite);
  • sapatos para caminhar e sandálias leves (para o acampamento);
  • chapéu;

Outros elementos a não esquecer:
  • Uma mochila prática e fácil de transportar;
  • Um bom protetor solar, bem como um repelente de insetos (além dos produtos de higiene pessoal);
  • Uma garrafa de água.

Não descure alguma tecnologia:
  • Uma boa câmara fotográfica;
  • Um par de binóculos (essenciais)
 

3. Escolher o seu tipo de safari

Identificámos 3 tipos básicos:
 

Acampamento permanente:

  • O mais luxuoso, cómodo e, obviamente, dispendioso;
  • Os parques nacionais localizam estrategicamente estes acampamentos, no sentido de possibilitar uma série de atividades de manhã ou ao final da tarde (quando os animais estão mais ativos);
  • Caminhadas, corridas e safaris em balões de ar quente são intercalados com refeições gourmet e períodos de repouso.
 

Acampamento permanente móvel:

  • A ideia, aqui, é visitar diferentes acampamentos;
  • As viagens entre as várias localidades são feitas em viaturas todo-o-terreno, autocarros de 6/ 8 lugares (sem capota), camiões de caixa aberta ou pequenos aviões.
 

Móvel:

  • Neste caso, o visitante fica num acampamento diferente cada noite;
  • Fazer safaris nestas condições satisfaz o orçamento de turistas que trocam qualquer comodidade pela hipótese de ver animais a vaguear pelo acampamento (não se importam com as privações, nem com a qualidade das instalações, que variam muito);
  • Outra das vantagens aqui é a possibilidade de conhecer pessoas dos quatro cantos do mundo.
 
 

4. Definir a duração do safari

Como não há garantia de efetivamente ver a fauna pretendida, sugerimos um safari de, no mínimo, 5 dias (que proporciona melhores chances de ver os animais).
No entanto, também pode fazer safaris em pacotes de 2 a 15 dias (viagens mais longas podem ser organizadas de forma a incluir países vizinhos).

 

5. Garantir a diversão, com segurança

  • Contrate um guia experiente – é a melhor forma de se certificar que verá os animais que pretende, no seu habitat natural. Além disso, assegura conversas muito interessantes!
  • Ao fazer safaris de carro, mantenha uma velocidade reduzida e evite atalhos – há que tomar precauções para não destruir a vegetação, ferir os animais ou perturbar os seus hábitos (mantendo a discrição, aumentamos ainda as chances de visualizar os mais esquivos, como os felinos).
  • Nunca sair do carro, exceto em locais assinalados para o efeito  (acampamentos oficiais, trilhos naturais seguros ou postos de observação de caça) – os animais podem tornar-se agressivos e bastante perigosos.
  • Não alimente os animais – fazer safaris implica interagir com animais selvagens, que podem ficar doentes com alimentos estranhos ou até atacar para obter mais comida.


E pronto, com as nossas dicas, uma boa dose de bom humor e uma forte admiração e respeito pelo povo e animais africanos, temos a certeza que viverá uma experiência verdadeiramente inesquecível.

Boas férias!


Veja também: