Publicidade:

500 melhores empregadores do mundo: 2 são portugueses

Dos 500 melhores empregadores do mundo constam dois grupos portugueses. Os norte-americanos dominam o top 20.

500 melhores empregadores do mundo: 2 são portugueses
As empresas de tecnologia estão muito bem posicionadas

A lista dos 500 melhores empregadores do mundo acaba de ser publicada pela revista norte-americana Forbes. Neste ranking surgem apenas dois grupos portugueses.

No top 20, destacam-se os setores ligados à tecnologia, banca e automóveis. Já ao nível dos países, os Estados Unidos da América dominam esta ‘short list’.

500 melhores empregadores: os líderes

A liderança dos 500 melhores empregadores do mundo cabe à Alphabet, proprietária da Google, com sede nos Estados Unidos da América (EUA). A Alphabet emprega mais de 72 mil pessoas e fatura cerca de 77 mil milhões de euros.

A Microsoft é a senhora que se segue. A empresa de Bill Gates, que ocupa o segundo lugar desta lista, tem 114 mil colaboradores e um volume de negócios da ordem dos 73 mil milhões de euros.

Na terceira posição surge a japonesa Japan Exchange Group, que gere as bolsas de valores de Tóquio e Osaka, com pouco mais de mil trabalhadores e 880 milhões de faturação.

O estudo

A seleção dos 500 melhores empregadores do mundo está nas mãos dos seus colaboradores. A Statista, reconhecida empresa de estatísticas e estudos de mercado, analisou mais de 360 mil respostas dos funcionários das 2000 maiores empresas mundiais com capital em bolsa, uma lista também elaborada pela Forbes.

Os colaboradores tinham de avaliar a empresa onde trabalham, indicar a probabilidade de a recomendarem a um amigo ou familiar, nomear outras empresas que consideram atrativas, apontar regalias concedidas pela entidade empregadora, entre outras matérias.

Domínio dos EUA

As empresas norte-americanas dominam a lista dos 500 melhores empregadores do mundo. Só nos primeiros 20 lugares estão nove empresas com sede nos EUA. No total, são 157 empresas.

No top 20, estão as já citadas Alphabet e Microsoft, mas também a Apple, Noble Energy, Williams, IBM, Northern Trust, Celgene e Cisco Systems. A tecnologia é o setor mais representado, mas há lugar também para as indústrias do petróleo, da biotecnologia e banca.

O Japão surge em terceiro lugar, como já referido, e só na sexta posição aparece um país europeu, a Alemanha, representada neste ranking pela Daimler.

A Alemanha é o país europeu mais representado no top 20, com mais duas empresas – Siemens (13º) e Volkswagen (15º).

A Europa destaca-se ainda pelo grupo sueco Investor AB, que ocupa a 9ª posição e pelo Pentair do Reino Unido (11ª). A fechar esta short list dos 20 melhores empregadores do mundo estão dois grupos italianos, a Enel (em 19º) e a Luxottica (20º).

A Ásia marca presença com a empresa sul coreana LG (em 10º), a financeira tailandesa Kasikornbank (16º) e a industrial Ayala (18º), das Filipinas.

Duas portuguesas

Portugal surge na lista dos 500 melhores empregadores do mundo na 274ª posição, lugar ocupado pela Jerónimo Martins, proprietária dos supermercados Pingo Doce. O grupo português tem um volume de negócios superior a 14 mil milhões de euros e emprega mais de 96 mil pessoas.

A Galp Energia aparece no 286º lugar. O grupo tem um volume de negócios da ordem dos 13 mil milhões e contabiliza quase 6500 colaboradores.

A vizinha Espanha tem três empresas na lista dos 500 melhores empregadores do mundo: a Repsol, a Amadeus e Grifols.

Veja também: