Microcrédito – muito mais que um crédito «pequeno»

Cada vez mais, quem abre um negócio de pequena dimensão pensa em aderir ao microcrédito e contrair um empréstimo através desta linha de crédito. Sabe quais as características deste tipo de crédito?

Microcrédito – muito mais que um crédito «pequeno»

Para que um empréstimo seja considerado um microcrédito terá de respeitar alguns pressupostos. Assim, os destinatários devem ser pessoas, que não têm acesso ao crédito bancário normal e desejam realizar um pequeno investimento, com vista à criação do seu próprio emprego.

 

A iniciativa de investimento proposta terá de se transformar numa actividade sustentável, por forma a garantir o reembolso do capital emprestado e o montante máximo solicitado, de acordo com a Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC) é, nas condições actuais, de 10 mil euros.

Se o negócio justificar poderá ser atribuído um valor superior, distribuído em duas fatias: a primeira até 7 mil euros, no início do primeiro ano e a segunda, no montante complementar, no início do segundo ano.

 

Uma vez que estas pessoas não têm acesso ao crédito bancário, a ANDC assume-se como uma instituição "intermediária” entre o cidadão e as instituições financeiras com as quais celebrou protocolos de cooperação.

 

Refira-se que a ANDC é uma associação privada sem fins lucrativos e ajuda qualquer pequeno empresário a formar a sua empresa e a desenvolver o seu plano de negócios.
Criada para promover o desenvolvimento da experiência do Grameen Bank, criado por Muhamad Yunus no Bangladesh (1976) prémio Nobel da Paz, destina-se a apoiar quem não tem acesso ao crédito bancário, nas condições normais de mercado, e precisa de um empréstimo para criar o seu próprio negócio.

 

Numa altura de crise, o microcrédito pode ser para muitos uma tábua de salvação para pôr em marcha uma ideia de negócio que apenas está dependente de uma quantia de dinheiro para ser lançada e prosperar.