Vê mal ao longe? Pode ser miopia

Descubra quais os sintomas da miopia e saiba como corrigir um mal comum que, embora sem gravidade, afeta o dia a dia de milhões de pessoas.

Vê mal ao longe? Pode ser miopia
Dificuldade com os horizontes?

A sensação de embaciamento das imagens, apertar os olhos para ler as indicações na estrada, mas ao mesmo tempo, ser capaz de ler minuciosas informações detalhadas sobre medicamentos. Estes são alguns dos sintomas que nos trazem a este artigo. Vê mal ao longe? Pode ser miopia.

Mas antes de mais, sabe o que é miopia? A resposta é simples: a miopia é um erro refrativo que ocorre no globo ocular e que se define pela incapacidade de focar corretamente objetos distantes. O olho míope foca as imagens à frente da retina, o que faz com que os objetos distantes se desenhem de forma turva. 

Imagine que, numa situação normal, uma imagem deve passar através do olho e formar-se na retina, transmitindo ao cérebro as informações através do nervo ótico. Para quem sofre de miopia, isto não acontece, e sendo a imagem formada à frente da retina, a imagem que é transmitida pelo olho ao cérebro não corresponde à imagem real ou correta.
 

Sintomas da miopia

Em resumo, o indivíduo míope tem facilidade para ver ao perto e dificuldade para definir imagens distantes. Semicerrar os olhos para tentar focar a imagem é um sintoma clássico do problema e pode ajudar a perceber a existência da miopia.

É habitual que a miopia seja observada muitas vezes pela primeira vez na escola, quando as crianças podem mostrar dificuldade para ver o quadro, mas não demonstram problemas em ler um livro, por exemplo. Normalmente, a dificuldade em ver ao longe estabiliza por volta dos 20 anos, mas é preciso ter em atenção que até chegarem a esta idade, a miopia agrava com o passar do tempo. Por isso, com frequência, os míopes têm de trocar a graduação dos óculos ou das lentes de contacto.

Outros sintomas da miopia:


Causas da miopia

São desconhecidas com exatidão as causas do problema, mas sabe-se que um historial familiar de miopia representa uma maior probabilidade de desenvolver o problema, e que mulheres e homens são afetados de igual forma.


As 3 causas conhecidas da miopia são:

  • Córnea curva: ou seja, quando acontece uma alteração da curvatura da córnea que faz com que a imagem dos objetos seja formada antes mesmo de chegar à retina. Esta é a causa mais comum.
  • A causa axial: esta é a chamada miopia patológica. Caso o comprimento do olho seja maior do que o comprimento ótico, ocorre a dificuldade em ver ao longe. Nestes casos, o problema aparece em grau elevado e tem tendência a ser uma miopia evolutiva. 
  • Cataratas nucleares: este tipo de catarata pode provocar uma miopia tardia, conhecida como miopia de índice. Regra geral, ela aparece após os 60 anos e é provocada porque as cataratas nucleares provocam o aumento do índice refrativo do cristalino, favorecendo a capacidade visual ao perto, mesmo sem o recurso dos óculos.


Como diagnosticar a miopia?

Existem exames que devem ser efetuados para diagnosticar a miopia. Feito em consultório especializado, o exame oftalmológico poderá incluir:
  • Exame do disco ótico, da retina e da mácula;
  • Teste de refração (serve para determinar o grau da miopia);
  • Recurso às tabelas Snellen (teste para ver à distância) e Jaeger (mede a dificuldade visual ao perto);
  • Tonometria (mede a pressão ocular);
  • Teste para reparar os movimentos oculares;
  • Teste de visão das cores;
  • Mapas topográficos e paquimetria;
  • Lâmpada de fenda (examina o segmento anterior do olho).


Dioptrias: quais os graus da miopia?

As dioptrias são os graus que tornam possível medir o nível de dificuldade provocado pela miopia. Quanto maior é o grau diagnosticado da miopia, maior é a dificuldade apresentada pelo indivíduo míope em ver ao longe.
A miopia pode ser classificada com base nos graus abaixo listados:
  • Miopia ligeira: 1 a 3 dioptrias.
  • Miopia moderada: 3 a 6 dioptrias.
  • Miopia alta: mais de 6 dioptrias.


A miopia infantil

Acontece quando o erro refrativo afeta crianças com idades até aos 5 anos e é ligeiramente mais frequente nas meninas. Em todo o mundo, 1% das crianças sofrem de miopia e o percentual sobe para os 8% quando as idades abrangidas vão até aos 10 anos.  Caso sejam levadas em consideração todas as idade até aos 15 anos, aumenta para 15% o número de crianças afetadas pela miopia.

O fator genético é importante, mas não é o único nas causas para a miopia infantil. Atenção: a genética tem forte influência na miopia infantil, sendo provável que os filhos de pais míopes sofram com o problema.
 

Miopia tem cura?

A miopia não tem cura, contudo, se corretamente diagnosticada pode ser tratada de modo a corrigir o erro refrativo. Os meios para corrigir a miopia, na atualidade, permitem restituir uma vida perfeitamente normal aos míopes. De igual modo, a miopia com astigmatismo também não tem cura, mas podem ser corrigidos os dois erros refrativos, restabelecendo uma boa acuidade visual aos doentes.
 

Como corrigir a miopia

A miopia não tem cura, mas é possível minimizar ou corrigir este erro refrativo e melhorar a qualidade de vida de quem lida com a dificuldade.  Para tratar ou corrigir o problema, é essencial o uso de óculos graduados até aos 15 anos, e só a partir desta idade passar para o uso de lentes de contacto. Após os 20 anos, quando o problema é considerado como estabilizado, é possível recorrer à cirurgia refrativa a laser.

Para doentes com idades superiores aos 45 anos, é possível optar pelo uso de lentes intraoculares multifocais, que são posicionadas no saco capsular e após facoemulsificação.

Veja também: