Desvendamos os 6 mitos científicos mais incríveis

Quantos mitos científicos não passam a verdades absolutas durante anos? Desfaça agora todas as dúvidas.

Desvendamos os 6 mitos científicos mais incríveis
Deixe-se surpreender e desfaça todas as dúvidas

São muitos os mitos científicos que acreditamos serem verdadeiros durante uma vida inteira. Chegou a altura de desfazermos dúvidas e de quebrarmos algumas das "verdades" que têm persistido erradamente ao longo dos anos.


Os seis mitos científicos mais surpreendentes


1. Um raio não cai no mesmo local duas vezes

Parece ser um daqueles factos científicos inegáveis mas é mentira. Sendo certo que o raio procura sempre a forma mais rápida de encontrar o solo, árvores e edifícios altos têm as maiores probabilidades de serem atingidos. A título de exemplo, o Empire State Building, em Nova Iorque, é atingido por raios cerca de 100 vezes por ano.



2. O ser humano só usa 10% do cérebro

Este é um dos grandes mitos científicos que circula por todo o mundo desde o século XIX. A verdade é que o ser humano utiliza 100% do cérebro ao longo de toda a vida, ainda que seja verdade que algumas áreas poderão estar “adormecidas” em situações específicas.



3. Açúcar provoca hiperatividade nas crianças

Esta é uma “verdade absoluta” para todos os pais. Mas a realidade é que nenhum estudo conseguiu provar isso mesmo. Num artigo de Medicina publicado pela BBC, a irritabilidade da criança vai aumentando não à conta da ingestão de açúcar, mas sim à conta do cansaço e da excitação provocada pelos momentos de brincadeira em grupo.



4. O ser humano tem cinco sentidos

Mais uma verdade absoluta que, afinal de contas, não passa de um mito científico. Ainda que os sentidos mais falados sejam os clássicos “visão”, “audição”, “paladar”, “olfato” e “tato”, certo é que os estudos mais recentes apontam que o ser humano é capaz de ter um mínimo de 9 perceções distintas, como é o caso da termocepção (perceção da temperatura) e a nocicepção (perceção da dor).



5. Não é aconselhado tomar banho logo após uma refeição

Se a temperatura da água for regulada, não há qualquer problema em tomar banho a seguir a uma refeição. Se for utilizada água fria, a distribuição sanguínea do nosso corpo será alterada para regular a temperatura, o que poderá provocar a interrupção do processo digestivo.



6. Beber álcool aquece o corpo

Aqui está aquele que poderá ser um dos maiores mitos científicos de sempre. Ao contrário do que possa parecer, a ingestão de álcool provoca uma sensação de calor mas diminui a temperatura corporal interna. A ingestão de álcool inibe a produção da Hormona Anti-Diurética, o que permite uma maior desidratação celular (é esta a razão para a necessidade de ingestão de água ou outros líquidos durante a ressaca).

Veja também: