AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

9 mitos sobre o trabalho de freelancer

Ainda que os tempos estejam a mudar, muitos são aqueles que ainda consideram que trabalhar como freelancer se resume a passear muito e a trabalhar pouco.

9 mitos sobre o trabalho de freelancer
Ouve estes mitos muitas vezes?

Para essas pessoas, os freelancers têm demasiado tempo livre. Saem de casa para passear e tomar café, andam com os seus portáveis e tablets atrás mas, na verdade, passeiam mais do que trabalham.

A verdade, no entanto, está muito longe disso, e é por isso que estes 9 mitos sobre o trabalho de freelancer devem ser divulgados, para que todos percebam que não é o que muitos imaginam.


Mitos sobre o trabalho como freelancer


1. Os freelancers podem trabalhar em roupa interior

Isso acontece quando um freelancer está tão envolvido em determinado projeto que não tem tempo para mais nada. Para além de estar de roupa interior há 3 dias, também não lavou louça e/ou roupa, ou tomou banho durante esse período. Assim já não soa tão bem, pois não?



2. O freelancer recebe muito dinheiro

A verdade é que alguns freelancers conseguem boas quantias pelos seus trabalhos, mas também têm despesas, nomeadamente relacionadas com equipamentos informáticos, internet, luz, etc. Para além disso, é necessário ter em conta que os freelancers ainda têm de pagar uma % dos seus ganhos ao governo, como qualquer outro trabalhador.



3. Não ter chefes equivale a não ter stress

Este é, muito provavelmente, um dos maiores mitos sobre o trabalho como freelancer. Ok, não há chefes, mas e os clientes? Os clientes que contratam os freelancers e que pagam pelo seu trabalho acabam a tornar-se, inevitavelmente, nos chefes dos freelancers. E, se um trabalhador comum tem apenas um chefe a quem prestar esclarecimentos, um freelancer acaba a ter vários, o que equivale, a maior parte das vezes, a muito stress.



4. Os freelancers têm o tempo livre que quiserem

Na teoria, os freelancers podem usufruir de todo o tempo livre que quiserem, na prática, se não estão a trabalhar, também não estão a ganhar dinheiro, o que leva a que, a maior parte deles, não perca muito tempo quando pode estar a utilizá-lo para trabalhar e ganhar dinheiro.



5. O trabalho dos freelancers é tão bom que nem sequer devia ser trabalho

De todos os mitos sobre o trabalho como freelancer este é capaz de ser o que faz menos sentido. Numa organização, os colaboradores, limitam-se a fazer o trabalho que lhes é indicado. No caso dos freelancers, ainda têm de o procurar e, no início, nem sempre é fácil.



6. Os freelancers não têm de lidar com burocracias

Todo o trabalho administrativo que é distribuído por vários colaboradores nas organizações recai única e exclusivamente, no freelancer, ou seja, o freelancer, para além de fazer o trabalho para o qual é contratado, tem ainda de lidar com todas as burocracias inerentes ao seu trabalho.



7. O trabalho como freelancer é bom para pessoas introvertidas

Trabalhar em casa pode ser muito bom para pessoas mais tímidas e introvertidas, no entanto, é sempre necessário contacto constante com clientes, o que não significa que se passe um dia inteiro sem falar com ninguém. É ainda extremamente importante cuidar da imagem de marca do freelancer, procurar novos clientes e, muitas vezes isso não são tarefas fáceis para introvertidos.



8. É ótimo para aqueles que não conseguem manter um trabalho

Este mito sobre o trabalho como freelancer é completamente desprovido de sentido. Quando as pessoas não conseguem manter um trabalho para outros, também não o vão conseguir fazer para si próprios. Nessas situações, os clientes não pagam porque o freelancer não entregou o trabalho nos prazos definidos. A verdade é que é preciso ser-se organizado e, acima de tudo, cumprir prazos, para se conseguir ter sucesso a trabalhar como freelancer.



9. A única coisa que um freelancer precisa é de um website

O site com o melhor portfolio do mundo pode estar online, mas se as pessoas certas não o encontrarem, não servirá de nada. É então extremamente importante promover também os serviços prestados e isso, como tudo o resto, requer tempo e trabalho.

Veja também: