Mochila ou trolley: qual escolher?

Na hora de escolher entre mochila ou trolley, no início de um novo ano letivo, há alguns cuidados a ter. Saiba quais.

Mochila ou trolley: qual escolher?
Independentemente do modelo, há cuidados a ter!

As preocupações dos pais quanto ao peso das mochilas tem levantado muitas questões sobre qual opção escolher: mochila ou trolley? A escolha da mochila escolar é uma das mais importantes no regresso às aulas. É necessário cuidado nesta escolha e a preocupação deve focar-se nos problemas que o excesso de peso ou um mau uso podem fazer trazer à coluna das crianças.

Tanto as mochilas como os trolley têm vantagens e desvantagens pelo que é importante que faça uma análise cuidada, perceba o uso que vai ser dado e até falar com a escola do seu filho sobre o assunto.

Se precisa de comprar uma mochila ou trolley, faça-o tendo em atenção alguns aspetos para que o excesso de peso ou um mau uso não faça mal à coluna das crianças e jovens.

Ambos têm vantagens e desvantagens, por isso importa saber o uso que vai ser dado, que tipo de carga e peso vai ser transportado habitualmente, a idade e constituição de quem a/o vai usar para escolher a solução mais adequada.

Vantagens e desvantagens da mochila e trolley

1. Os trolley podem ser mais fáceis para as crianças transportarem os livros, os cadernos, o estojo e até o lanche mas quando a criança se depara com vários lances de escada ou um piso irregular, as coisas podem não ser tão fáceis. O esforço a fazer para pegar no trolley pode ser maior do que se carregasse tudo às costas.

2. Os trolley são puxadas com o recurso de um cabo e é muito possível que, ao fazê-lo, o seu filho  mantenha o ombro fora da posição correcta, exercendo uma pressão desnecessária na coluna, torcendo-a.

3. A maioria dos trolleys trazem também alças incorporadas para que possa optar pelo modo que mais lhe convier: mochila ou trolley. Porém, o peso extra do cabo e das rodas pode ser um problema. Deve confirmar o peso total da mochila a fim de evitar problemas para coluna. Já sabe que o peso da mochila não pode exceder 10% o peso da criança.

4. No que diz respeito à mochila, a preocupação maior prende-se com a sua qualidade e a forma como é usada. Se a criança usar a mochila com as alças muito soltas, com pouco suporte, de material fraco, é natural que os problemas comecem a surgir, resultando num esforço excessivo para a coluna.

5. Para evitar a compressão excessiva dos ombros, é importante que a mochila tenha duas alças, as tiras devem ser largas (4 cm, no mínimo), é necessário uma tira extra na na zona lombar, as fitas devem ser ajustáveis e acolchoadas para garantir que protegem as costas e dão um bom suporte.

6. Uma boa mochila, com um bom suporte ergonómico pode ser a melhor opção, desde que usada da forma correta, para prevenir dor, tensão muscular, problemas de circulação e futuros problemas posturas que, a longo prazo, podem tornar-se bastante complicados.

Cuidados a ter ao escolher mochila ou trolley

Mochila

Para evitar problemas musculoesqueléticos vale a pena prevenir, seguindo os conselhos da Direção Geral do Consumidor partilhados pela Direção Geral da Educação:

  • Escolha uma mochila adequada à estatura da criança e que não seja demasiado pesada quando vazia (uma mochila vazia não deve pesar mais do que meio quilo);
  • Prefira os modelos anatómicos, com alças largas e acolchoadas. Para se certificar de que está a comprar o modelo adequado, a criança deve experimentar a mochila.

 

Na utilização da mochila…

  • A mochila deve estar bem colocada nos ombros para proteger as costas. As alças da mochila devem ser reguladas para que esta fique colocada acima das ancas da criança;
  • A mochila e o respetivo conteúdo não devem exceder 10% do peso corporal da criança (ex: para uma criança com 25 Kg, a mochila não deve pesar mais do que 2,5 Kg);
  • O conteúdo da mochila deve ser regularmente verificado para assegurar que a criança só transporta diariamente o material de que necessita;
  • Explique à criança por que razão a mochila nunca deve ser transportada na mão ou num só ombro.

 

Para conhecer mais dicas de segurança no regresso às aulas consulte a brochura da Direção Geral do Consumidor partilhada pela Direção Geral da Educação.

Trolley

  • Os trolleys podem ser mais fáceis para as crianças transportarem os livros, os cadernos, o estojo e até o lanche, mas quando a criança se depara com vários lances de escada ou um piso irregular, as coisas podem não ser tão fáceis. O esforço a fazer para pegar no trolley pode ser maior do que se carregasse tudo às costas.
  • Os trolleys são puxados com o recurso de um cabo e é muito possível que, ao fazê-lo, o seu filho mantenha o ombro fora da posição correta, exercendo uma pressão desnecessária na coluna, torcendo-a.
  • A maioria dos trolleys traz também alças incorporadas para que possa optar pelo modo que mais lhe convier: mochila ou trolley. Porém, o peso extra do cabo e das rodas pode ser um problema. Deve confirmar o peso total da mochila para evitar problemas para a coluna. Já sabe que o peso da mochila não pode exceder 10% do peso da criança.

Resumindo, uma boa mochila, com um bom suporte ergonómico, pode ser a melhor opção, desde que usada da forma correta, para prevenir dor, tensão muscular, problemas de circulação e futuros problemas posturais que, a longo prazo, podem tornar-se bastante complicados.

Se realmente não conseguir decidir-se, pode optar pela solução mista: mochila e trolley, desde que tenha atenção aos cuidados atrás apresentados.

Duas sugestões de  formatos dois em um: mochila e trolley

DOONE KITTY

trolley 1

 

 

 

 

 

 

 

 

Preço: 12,99€ Ver produto>>

DOONE FLER

trolley 2

 

 

 

 

 

 

 

 

Preço: 12,99€ Ver produto>>

Ver mochilas e trolleys>>

Por fim, antes de avançar com a compra da mochila ou trolley, sugerimos que experimente várias e perceba de que forma é que a criança a usa. É importante que lhe explique qual a forma correta para usar a mochila e quais os problemas que daí podem surgir para a sua saúde. Não perde nada em marcar uma consulta de prevenção com um fisioterapeuta osteopata para perceber se o seu filho precisa de cuidados extra.

Veja também: