AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Modelo de candidatura espontânea: como fazer?

Saiba como criar uma candidatura espontânea modelo que desperte a curiosidade de qualquer recrutador.  Esta pode ser a sua porta de entrada num novo emprego.

Modelo de candidatura espontânea: como fazer?
Se está à procura de emprego, não se limite a responder a anúncios.

Uma candidatura espontânea pode causar mais impacto do que qualquer resposta a um anúncio de emprego. Na verdade, esta é cada vez mais uma opção, tanto para candidatos, que procuram aumentar as suas hipóteses de sucesso; como para recrutadores, que na hora de escolher optam por selecionar entre os candidatos que tentaram a sua sorte espontaneamente, mesmo antes de divulgarem uma determinada posição.
 
E porque procurar emprego é muito mais que enviar o seu Curriculum Vitae (CV) em reposta a uma oferta, saiba como criar uma candidatura espontânea infalível.
 

Porque fazer?

Os números não enganam. Grande parte das posições de emprego não são divulgadas nos meios habituais e o recrutamento é feito por entre as candidaturas espontâneas que todos os dias chegam às empresas. E é fácil de perceber porquê. Do ponto de vista do recrutador, uma candidatura espontânea revela mais sobre um candidato do que possa parecer à primeira vista. Para quem está do outro lado e tem emprego para oferecer, revela proatividade e interesse por parte de quem “tenta a sua sorte”.
 
Mas há mais, para os candidatos esta é uma boa forma de alargar o âmbito de ação, já que permite a inclusão de outras áreas ou posições para as quais esteja qualificado e – consequentemente - aumenta as probabilidades de encontrar emprego.
 
Convencido? Então veja o que deve fazer.
 

Como fazer?

Como se cria uma candidatura espontânea exemplar? O que faz um recrutador olhar para o seu CV mesmo que não esteja a recrutar? O que deve dizer para captar a atenção de potenciais recrutadores? Se estas são dúvidas que o atormentam, nada melhor que ler as nossas dicas.
 
E não, não lhe vamos dizer, palavra por palavra, o que escrever na sua carta de candidatura. Até porque não existe um modelo único ou perfeito para todas as candidaturas. Vamos antes falar-lhe dos erros a evitar ou do que pode fazer para se autopromover em apenas alguns parágrafos.
 

1. Foque as suas atenções

Não se limite a enviar uma candidatura espontânea para qualquer empresa que encontre. Foque-se numa área de trabalho ou em algumas posições que gostaria de ocupar – tendo sempre em conta as suas competências profissionais, obviamente – e faça uma seleção de empresas onde possa encontrar essas oportunidades.
 

2. Pesquise e informe-se

Uma candidatura espontânea deve ser informada. Não se deve candidatar apenas porque gosta da empresa ou pelo “empurrão” que poderia dar à sua carreira. Antes de se candidatar, pesquise informações sobre a empresa, a área de negócio, a (possível) expansão ou as necessidades que a empresa possa ter. Só assim pode analisar as suas competências e expor as mais-valias que pode adicionar à mesma.
 

3. Equacione pequenas, médias e grandes empresas

Qualquer um ambiciona trabalhar em grandes empresas, mas não se fique por aí. As empresas mais pequenas podem igualmente ter boas oportunidades de trabalho e com grandes perspetivas de evolução profissional para si.
 

4. Estude os padrões de candidatura da empresa

Todas as empresas têm os seus próprios métodos de recrutamento e, como tal, antes de se candidatar é importante que perceba qual é o procedimento preferencial de cada empresa para receção deste tipo de candidaturas. O truque é fazer tudo de acordo com as "regras" e encaixar em todas (e possíveis) expectativas da empresa.
 

5. Elabore uma boa carta de apresentação

Este é o grande segredo de qualquer candidatura espontânea de sucesso. A candidatura deve ser composta por dois documentos essenciais: uma carta de apresentação e o seu CV. Esta carta serve – nada mais, nada menos – para manifestar o seu interesse na empresa, no cargo a que está a candidatar-se e nos motivos por detrás do seu interesse em trabalhar com a empresa em questão. Esmere-se!
 

6. Direcione a sua carta

Os documentos devem ser endereçados a um destinatário específico, seja ele o Diretor de Recursos Humanos, o Diretor-geral da empresa ou o diretor do departamento onde gostaria de trabalhar. A pesquisa é fundamental. 
 

7. Mantenha um registo das suas candidaturas

A organização é essencial para o seu sucesso. Não queira cair no erro de não se recordar de ter enviado a sua candidatura espontânea caso recrutador entre em contacto consigo.
 

Um possível modelo de candidatura espontânea

Encontrar modelos de cartas para incluir na sua candidatura espontânea não é difícil e pode ser uma grande ajuda, mas não é a melhor das opções.
 
A ideia é que a carta transmita uma mensagem aos seus eventuais recrutadores e que seja uma primeira apresentação do seu perfil. Se quer “dar nas vistas” o melhor é que faça você mesmo o seu modelo. E não é tão complicado quanto possa pensar. Só precisa de seguir uma estrutura base e dar o seu “toque” pessoal. Ora veja.
 
A estrutura é simples. Além dos cabeçalhos (habituais em toda a correspondência) com a sua identificação e contactos pessoais e da empresa e/ou destinatário, o corpo da mensagem é composto por apenas alguns parágrafos, cada um com uma finalidade.
 
  • 1º Parágrafo – Serve para se apresentar e contextualizar a sua candidatura.
  • 2º Parágrafo – Aqui devem constar as suas competências e experiências profissionais, bem como o valor acrescido que podem significar para a empresa.
  • 3º Parágrafo – Indica a sua disponibilidade para ser entrevistado ou dar informações adicionais, se necessário. 
  • 4º Parágrafo – Conclua com profissionalismo e agradeça o tempo e atenção que o recrutador despendeu com a sua candidatura. Fica sempre bem.
 
FIQUE ATENTO:
Se quer receber mais notícias gratuitas como esta, basta registar-se no E-Konomista. Toda a informação sobre emprego actualizada ao minuto.

A escrever…

O seu futuro emprego pode não estar à vista de todos, disponível num dos muitos sites de emprego ou anúncios de jornal. Possivelmente, nem os próprios recrutadores sabem que precisam de si (ainda!). Mas vão saber, se lhes enviar uma candidatura espontânea… não uma qualquer, mas sim uma verdadeiramente exemplar. Sem falhas. Que faça de si o candidato ideal. O segredo é fazer uma candidatura espontânea modelo, irresistível aos olhos de qualquer recrutador. Agora que já sabe como a fazer, não perca tempo!
 
Veja também: