Seis motivos para fazer um PPR

Os Planos de Poupança Reforma (PPR) ainda são aplicações financeiras atrativas. Conheça seis dos motivos pelos quais deve fazer um PPR.

Seis motivos para fazer um PPR
Deduções fiscais, taxas e rentabilidades atrativas

Os Planos de Poupança Reforma (PPR) perderam alguns dos seus benefícios fiscais no últimos tempos, mas continuam a ser um produto financeiro interessante, particularmente para aqueles que o usam para o efeito adequado – poupar com vista a uma reforma mais desafogada. Mas existem outros motivos para fazer um PPR. Conheça seis dos motivos pelos quais deve fazer um PPR.
 

Seis bons motivos para fazer um PPR hoje

1. Permite o resgate antecipado, sem penalizações, em situações como: pagamento de prestações do crédito habitação garantidos por hipoteca sobre imóvel destinado a domicílio próprio e permanente, para a reforma por velhice, por desemprego de longa duração ou incapacidade permanente para o trabalho ou doença grave do investidor ou de um qualquer membro do seu agregado familiar, por exemplo. Assim, o aspeto positivo da queda dos benefícios fiscais associados ao PPR são as condições mais acessíveis de resgate antecipado;

2. Permite efetuar deduções das entregas feitas num PPR na declaração de IRS. Apesar da perda de alguns dos seus benefícios fiscais, fazer um PPR permite deduzir 20% das entregas feitas num PPR, até a um limite máximo de 100 euros. No entanto, os contribuintes com rendimentos anuais superiores a 80 mil euros não podem usufruir destas deduções;

3. Permite uma poupança mais fácil quando comparado, por exemplo, com os depósitos a prazo pois permite fazer entregas mensais a partir de 25 euros. Numa altura em fazer poupanças não é tarefa fácil, com entregas de valor reduzido pode conseguir poupar algum dinheiro para ter uma reforma mais confortável;

4. Taxas e rentabilidades atrativas, especialmente comparando com os depósitos a prazo. Atendendo aos baixos valores passíveis de serem entregues, um PPR consegue taxas mais atrativas que a maioria dos depósitos a prazo disponíveis no mercado financeiro atual. Já na rentabilidade, os PPR sob a forma de seguro não apresentam grandes ganhos, mas têm pouco risco. Já os PPR de fundos de investimento têm rendimentos interessantes;

5. A taxa de imposto sobre os rendimentos de um PPR é inferior à maioria das restantes aplicações financeiras;

6. Uma das melhores formas de poupar para a reforma, especialmente numa altura em que as alterações legislativas nessa matéria praticamente retiram qualquer possibilidade de um contribuinte manter o mesmo nível de vida com o valor a receber das pensões, comparativamente com o da altura em que trabalhava.



Veja também: