Motivos para ver o seu pedido de crédito recusado

Conheça os três principais motivos que podem levar o banco a recusar o seu pedido de crédito de modo a aumentar a probabilidade de ter o seu crédito aprovado

Motivos para ver o seu pedido de crédito recusado
Se quiser ter crédito deverá ter em atenção alguns fatores que poderão levar as instituiçoes financeiras a recusar-lhe o seu pedido.

Pedir crédito é uma tentação que deve ser combatida. Contudo, pode ser mesmo necessário pedir dinheiro emprestado.
Apesar de estar a ser cada vez menos difícil o acesso ao crédito, tal não significa que as taxas de aprovação do seu pedido sejam muito elevadas. Na realidade, os bancos ainda se mostram exigentes na concessão de crédito pois o contexto económico em Portugal ainda precisa de melhoria.

Neste artigo apresentamos-lhe os três principais motivos para ver o seu crédito recusado junto das instituições financeiras.


Incumprimento:

Com o rebentar da crise de crédito os bancos começaram a ser mais responsabilizados pelas análises de crédito. Se no passado era possível atribuir crédito sem grandes perguntas e avaliações, hoje esta avaliação tem de ser rigorosa e metódica.

O ponto de partida para qualquer avaliação de crédito é a consulta da Central de Responsabilidades de Crédito (CRC), popularmente conhecida como a lista negra do Banco de Portugal.

Para evitar burlas e experiências desagradáveis, saiba que se tiver o seu nome no Banco de Portugal nunca poderá ter acesso ao crédito. Não é demais repetir: nenhum banco poderá conceder-lhe novo crédito se o seu nome estiver referenciado como tendo um incumprimento (na linguagem do Banco de Portugal poderá ver incumprimento, renegociado, abatido ao ativo, vencido em litigio judicial, entre outros desde que diferentes de regular ou potencial).


JUNTE TODOS OS SEUS CRÉDITOS NUM SÓ
Simplifique as suas contas, consulte agora os nossos especialistas em crédito consolidado. Ao juntar os seus créditos, fica com apenas uma mensalidade, paga sempre ao mesmo dia do mês.

Elevada taxa de esforço:

Um segundo ponto de análise da sua qualidade de crédito consiste na taxa de esforço. Na prática, a taxa de esforço consiste na relação entre os seus custos financeiros e demais custos essenciais à sua vida (água, luz, gás, alimentação) e o rendimento da sua família.

Não é possível generalizar qual a taxa mais adequada para que consiga que lhe concedam crédito. Algumas instituições apontam para taxas máximas a rondar os 40%. Outros, mais exigentes, preferem que o cliente tenha taxas de esforço máximas de 25%. A análise irá depender dos vários bancos e de outras garantias que entretanto possa dar, sendo as mais comuns as hipotecas (de imóveis ou de automóveis) ou a existencia de um fiador (evite pedir a alguém que seja seu fiador).


Propensão ao consumo:

Se o seu mapa de responsabilidades de crédito apresenta diversos tipos de crédito será provável que a instituição financeira lhe conceda mais um crédito. Na prática, os bancos procuram analisar se os seus clientes são regrados e se têm boas relações financeiras.

Imagine o caso de um cliente com créditos (mesmo que de baixo valor) em cinco ou mais instituições de crédito. A imagem que passa ao banco é:

  • Elevada propensão ao consumo;
  • Dificuldade em gerir o seu orçamento;
  • Cliente de dificil confiança (por que motivo pediu crédito em diversas instituições?)

Se quiser crédito deverá ter em atenção que o seu nome é aquilo que há de mais importante. Crédito é sinónimo de confiança. Procure ter os seus extratos limpos e sem juros de mora. Por fim, e não menos importante, pense duas ou três vezes se precisa mesmo do crédito ou se pode passar sem ele!



Veja também: