Musicoterapia: o que é e a quem se destina

Saiba em que consiste a musicoterapia, a quem se destina e quais são os seus principais benefícios.

Musicoterapia: o que é e a quem se destina
Experiências musicais que promovem a saúde

A aprendizagem de música traz, obviamente, inúmeros benefícios para crianças, jovens e adultos. Desenvolve-se um conjunto de competências de especial importância: a paciência e a concentração, a autodisciplina e a coordenação, a capacidade de memorização, o trabalho em equipa (por exemplo, numa orquestra), a persistência e a sensibilidade, entre tantas outras.

Todas estas competências são relevantes e contribuem para um desenvolvimento saudável, promovem a expressão pessoal e o bem estar. Não surpreende, então, que a musicoterapia seja - cada vez mais - um recurso possível para ajudar a promover a saúde. Mas afinal, como se dá a utilização da música para fins terapêuticos? Descubra neste artigo.

 

O que é a musicoterapia?

Embora não exista uma única definição, podemos dizer que a musicoterapia é uma intervenção clínica que pretende ajudar um determinado indivíduo a melhorar a sua saúde física e mental. Ou seja, trata-se da utilização da música, com o apoio de um musicoterapeuta, com o objetivo de restabelecer determinadas funções ao indivíduo e melhorar a sua qualidade de vida - através de experiências musicais e de um conjunto de elementos (ritmos, sons, melodias e harmonias).
 


Quem é o musicoterapeuta?

É um profissional devidamente qualificado (ou seja, com formação académica superior, através da conclusão de um Mestrado em Musicoterapia). Desta forma, o musicoterapeuta pode exercer musicoterapia e orientar ações de formação, oficinas ou cursos nessa área. Existem alguns pré-requisitos para exercer esta atividade: formação na área da música, prática e supervisão clínica, desenvolvimento pessoal e outra formação complementar relevante.
 


O que faz um musicoterapeuta?

Em termos gerais, o musicoterapeuta avalia o bem-estar físico e emocional do indivíduo, assim como um conjunto de outras competências. Cada sessão de musicoterapia é planificada de acordo com as necessidades da pessoa ou de um determinado grupo de pessoas. Recorre-se à improvisação, à audição, à prática musical ou até mesmo à escrita de canções. É realizada uma avaliação contínua e um acompanhamento personalizado.
 


A quem se destina a musicoterapia?

Qualquer criança, jovem, adulto ou sénior pode participar em sessões de musicoterapia. Essas sessões podem ser individuais ou em grupo e têm uma duração variável. Os participantes não precisam de saber tocar um instrumento: a formação musical não é um requisito e a musicoterapia não tem como objetivo a aprendizagem de um instrumento musical.
 


Quais são os principais benefícios da musicoterapia?

As sessões de musicoterapia podem contribuir para reduzir a ansiedade, controlar a impulsividade, assim como promover a expressão de sentimentos e de emoções. Além disso, são igualmente úteis para estimular o movimento e promover uma postura corporal mais adequada. A musicoterapia pode também ajudar no desenvolvimento da fala e da comunicação.

Ainda tem dúvidas sobre os incríveis poderes da música?

Veja também: