Como negociar um contrato de arrendamento

Precisa de ajuda para negociar um contrato de arrendamento? Temos as dicas de que precisa. 

Como negociar um contrato de arrendamento
Siga as nossas dicas e consiga um contrato à sua medida

Ainda que a maioria dos portugueses prefira comprar casa, há ainda muitos que optam pelo arrendamento, pelas mais variadas razões. Independentemente do motivo por detrás do arrendamento, em todos os casos há margem para negociar um contrato de arrendamento, quer seja para lhe dar início, mantê-lo ou prolongá-lo.


Como negociar o contrato de arrendamento? 7 dicas essenciais 


1. Estude o mercado 

A melhor forma de conseguir um bom negócio passa por conhecer as tendências do mercado, ou seja, estar a par dos preços médios em vigor no setor imobiliário. Para obter este conhecimento, deve pesquisar online e/ou visitar alguns imóveis na área em que pretende arrendar casa e com as características do imóvel que tem em vista.

Este conhecimento do mercado vai permitir-lhe negociar e, se necessário, regatear o preço da renda ou as condições do contrato de arrendamento. Só desta forma vai ficar a saber se o preço e as condições propostas pelo senhorio são ou não justas.
 


2. Procure saber há quanto tempo a casa está no mercado

Se a casa estiver desocupada há muito tempo, há mais probabilidades de que o senhorio esteja mais predisposto a negociar. 



3. Avalie o estado do imóvel 

O estado do imóvel que pretende arrendar é um ótimo argumento (se não o melhor) para poder negociar um contrato de arrendamento. Por exemplo, caso o imóvel apresente algum defeito nos equipamentos, tenha necessidade de obras ou não tenha elevador/garagem, pode ter bons argumentos para negociar o valor a pagar pela renda. 



4. Faça um contrato a longo termo

Se há coisa que os senhorios valorizam, além do pagamento da renda a tempo e horas, é a estabilidade dos seus inquilinos. Ou seja, para muitos senhorios o facto de saberem que o inquilino se pode manter no imóvel a longo prazo pode funcionar como um fator positivo.

Significa isto que ao assinar um contrato a longo prazo (por quatro ou cinco anos, por exemplo) está a mostrar o seu compromisso ao senhorio e pode ganhar alguma margem de negociação.



5. As despesas 

O pagamento das despesas como água, luz, gás, condomínio tanto pode ficar a cargo do senhorio como do inquilino (ainda que na maioria dos casos fique a cargo do inquilino). Também aqui pode ter aqui uma margem de manobra para negociar o contrato de arrendamento, seja para definir quem paga o quê ou para tentar baixar um pouco o preço da renda. 



6. Conheça a lei 

É fundamental saber o que diz a legislação sobre a atualização das rendas e dos contratos de arrendamento. Portanto, informe-se! 
 


7. Acima de tudo seja um bom inquilino 

A sua melhor (ou pior) arma para negociar um contrato de arrendamento (principalmente para renegociar) é o seu comportamento enquanto inquilino. Um inquilino cumpridor e zelador pelos bens arrendados, vai certamente “cair nas boas graças” de qualquer senhorio. 

Veja também: