AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Networking: 5 erros que não pode cometer

Descubra quais os erros que não pode (mas pode estar a) cometer no seu networking e veja como corrigir a sua estratégia

Networking: 5 erros que não pode cometer
Feito de forma correta, o networking pode ser a chave para o sucesso. Feito de forma errada, o caminho para o desastre.

Networking. Muito mais do que um termo da “moda”. Não é à toa que se diz que uma carreira de sucesso está intimamente ligada a uma boa estratégia de networking. A verdade é que, nos dias que correm, o networking pode abrir as portas para novas (e boas) oportunidades de emprego e ser a chave para uma carreira de sucesso. Mas não só. Uma boa rede de contactos pode oferecer ainda conhecimento, novas competências e ligações a pessoas fora do seu círculo profissional. Mas para surtir efeito há que saber trabalhar essa rede.  
 

Erros a evitar no networking

Um bom networking não se resume a acumular contactos ou cartões-de-visita. De facto, se bem feito, o networking pode ser a resposta para progredir na sua carreira, mas se feito de forma errada, faz de si apenas mais um no meio de tantos e pode mesmo arruinar as suas hipóteses de ter sucesso profissional. Para evitar que isso aconteça e para se tornar um “ás” do networking, evite cometer estes erros comuns.

 

1. Privilegiar a quantidade em detrimento da qualidade

Tal como dissemos anteriormente, um bom networking requer mais do que a simples acumulação de contactos profissionais. De nada lhe adianta ter inúmeros contactos se nenhum deles tiver valor para si. Um bom networking é aquele que privilegia a qualidade dos contactos profissionais. Falamos de contactos que conheçam o seu valor profissional e com quem possa vir a construir (ou já mantenha) uma relação genuína. Caso contrário, a única coisa que vai ter serão pessoas que poderão – ou não – recordar-se de se terem cruzado consigo. A ideia é que o conheçam e saibam o que faz, que tenham noção das suas competências e mais-valias que tem para oferecer.  

 
Quer saber mais?
Receba as nossas melhores dicas no seu e-mail. Registe-se no E-Konomista. Diariamente, levamos até si a informação de emprego mais relevante.

2. Não comunicar pessoalmente com os candidatos

Os contactos virtuais são ótimos e permitem agilizar o trabalho e até as relações entre profissionais. Mas não basta. Mesmo na era digital, o contacto pessoal, cara-a-cara, é fundamental para criar uma boa rede de contactos. Apresente-se e dê-se a conhecer “em carne e osso” aos seus contactos.

 

3. Apostar no networking apenas quando necessita

Imagine este cenário: ficou desempregado e de repente lembrou-se que precisa dos seus contactos profissionais. ERRADO! Se quer tirar o máximo partido do networking tem que alimentar a sua rede de contactos de forma contínua e permanente.

 

4. Descurar o seu marketing pessoal

Já aqui falamos da importância do marketing pessoal. Se quer criar uma rede de contactos sólida vai certamente necessitar de apostar na sua marca pessoal. Esta é uma das ferramentas mais importantes de que dispõe, já que lhe vai permitir dar-se a conhecer aos seus contactos e apresentar as suas competências ou qualidades de forma eficaz.

 

5. Não alimentar os contactos e espera resultados imediatos

Não, uma boa rede de contactos não funciona como um serviço de emergência a que recorre quando está necessitado de ajuda e onde obtém resultados instantâneos. Como dissemos antes, uma boa rede de contactos deve ser trabalhada constantemente. As relações profissionais podem ser muito frágeis pelo que devem ser construídas de forma cuidada. Se o fizer corretamente os resultados vão acabar por surgir, mas isso leva tempo.

 

Networking sem falhas

O networking pode ser feito a qualquer hora e em qualquer lugar. Quanto menos espera pode cruzar-se com potenciais contactos profissionais que podem vir a ser-lhe muito úteis na sua carreira. Por isso, o ideal é que esteja sempre alerta e, acima de tudo, que evite cometer “gaffes” que podem arruinar-lhe o networking.


Veja também: