NIB e IBAN: Qual a diferença?

O NIB vai desaparecer no próximo ano para dar lugar, em definitivo, ao IBAN. Saiba qual a diferença entre NIB e IBAN. Vantagens do IBAN. 

NIB e IBAN: Qual a diferença?
O que saber.

NIB e IBAN são ambos identificadores/códigos de contas bancárias, mas a partir de 1 de fevereiro de 2016 o NIB vai deixar de poder ser usado nas transferências bancárias, sendo substituído pelo IBAN. Na prática, o fim do NIB significa que deixam de ser os Bancos a ter a responsabilidade de conversão automática do NIB em IBAN, aliás como já acontece nas transferências entre contas de países diferentes. Mas afinal qual a diferença entre NIB e IBAN. Saiba de seguida.
 

NIB Vs. IBAN

A principal diferença entre NIB e IBAN reside no facto de os algarismos do último serem precedidos de PT50. Confira as características e diferenças entre os dois.
 

NIB

NIB representa as siglas de Número de Identificação Bancária, ou seja, é a versão portuguesa de BBAN (Basic Bank Account Number). O NIB é formado por 21 dígitos que representam o seguinte:
  • Os primeiros quatro são referentes ao código de agente financeiro atribuído pelo Banco de Portugal (BdP);
  • Os quatro seguintes são uma referência de quatro dígitos (algarismos) atribuídos pelo PSP (Prestador de Serviços de Pagamento – Banco);
  • Seguem-se 11 dígitos relativos aos números de conta;
  • Os dois últimos números são dígitos de controlo.
 

IBAN

O IBAN (International Bank Account Number - Número Internacional de Conta Bancária) é um identificador, em contexto internacional, do número de uma conta à ordem, autenticando o país, o Banco e a conta do beneficiário. O IBAN é constituído por 25 dígitos compostos por:
  • Código do país (PT);
  • Dois dígitos de controlo (no caso português, são sempre ‘50’);
  • BBAN português, ou seja, o NIB.

Ou seja, e a título de exemplo, um IBAN em Portugal será: PT50 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx (x = 21 dígitos do NIB).

 

Vantagens do IBAN

  • Possibilita uma melhoraria na eficácia do serviço prestado pelos Bancos em transferências internacionais;
  • Uniformiza/simplifica os critério de transferência a crédito e débito entre dois bancos nacionais ou internacionais.


Veja também: